Notizie, curiosita',aneddoti, e fantasie su New York – tagged "Tours" – Page 2 – Minha Viagem a Nova York Google+

Autenticamente Nova York

Ano Novo na Times Square: 7 Dicas para Aproveitar o Máximo December 30 2017



Os Melhores Cupcakes de Nova York e Onde Encontrá-los November 17 2017

Christopher Cammarano

Os Cupcakes, assim como os Hambúrgueres, são símbolos culinários da América do Norte e de Nova York. Esses dois elementos conseguem agradar os mais distintos paladares. Bem, quando eu estava em NY eu perguntei para todos: Onde comer os melhores Cupcakes dessa cidade? E aqui está o meu ranking pessoal, após experimentar vários lugares e tipos desse doce fantástico! Espero que vocês gostem.

 

Os melhores cupcakes de Nova York

1. Magnolia Bakery
401 Bleecker St, New York, NY 10014, Estados Unidos

Fundada em 1996, a Magnolia Bakery é provavelmente a cadeia de padaria mais popular de Nova York. Originalmente nascida de uma pequena unidade, hoje é Doda de várias lojas espalhadas por toda Nova York, mas o local mais antigo está localizado na Rua Bleecker.

A variedade de cupcakes oferecidos é realmente enorme, mas a minha dica que vale ouro aqui é a versão de Red Velvet. Cada cupcake custa entre US $ 2,75 e US $ 3,50.

 

2. Two Little Red Hens

1652 2nd Ave, New York, NY 10028, Estados Unidos

Conhecido e premiado por seu cheesecake, Two Little Red Hens também é amado por seus cupcakes. Aqui, a escolha obrigatória é o Brooklyn blackout, um cupcake de chocolate recheado com pudim de chocolate. O lugar é pequeno e acolhedor, e existem poucos assentos. O mini Cupcakes custa US $ 1,75, os normais começam a partir de US $ 3.

 

3. Georgetown Cupcake

111 Mercer St, New York, NY 10012, Estados Unidos

Essa bakery especializada em Cupcake  tem suas origens em Washington DC, hoje Georgetown Cupcake é um verdadeiro império com lojas em todos os EUA e também um programa de TV dedicado especialmente a marca. O restaurante de Nova York está localizado em Soho e dentro dele você pode encontrar cucpakes para todos os gostos (20 tipos diferentes por dia). Os preços variam a partir de US $ 2,75.

 

4. Amy's Bread

250 Bleecker St, New York, NY 10014, Estados Unidos

Não se deixe enganar pelo nome, o Amy's Bread é uma padaria, mas as iguarias encontradas aqui que variam de pão a doces (especialmente cupcakes) são únicas! Existem várias lojas espalhadas por Nova York, mas a mais famosa é a da Vila na Rua Bleecker número 250. Que cupcake eu recomendo? Absolutamente o Devil's Food Cake, um desejo de chocolate que você vai adorar.

 5. Molly's Cupcakes

228 Bleecker St, New York, NY 10014, Estados Unidos

Nascida em Chicago, esta bakery também conquistou Nova York. A história por trás dos Cupcakes do Molly`s merece ser relembrada: ​​Mollys era o nome do seu professor do ensino primário, e sempre que um aluno comemorava seu aniversário na sala, o professor levava um cupcakes. O interior da padaria é inspirado em um ambiente escolar da década de 60!

Aqui você pode encontrar cupcakes de todos os tipos, desde o mais clássico até os mais elaborados. Mas a verdadeira característica do Molly`s são os cupcakes cheios de cremes como o Cake Batter, Creme Brulée, Manteiga de amendoim, Cookie Monster e muito mais.

 

Se você ainda não achou o seu melhor Cupcakes em Nova York, definitivamente vale a pena procurar nesses lugares!


Dicas de como Dirigir e Alugar um Carro nos EUA October 26 2017

Documentos, Sinalização e Estilo de Direção

Essa é uma dica que vale para todos: a única maneira de realmente conhecer de forma profunda os Estados Unidos da America é fazendo uma jornada por suas magníficas e emblemáticas estradas.  No entanto, um elemento fundamental é muitas vezes ignorado: como dirigir nos EUA?

Neste artigo, vamos lhe dar todo passo a passo para se dirigir nos EUA,e  assim, fazer você aproveitar ao máximo sua viagem.

Como dirigir nos EUA?

Dirigir nos EUA não é difícil, especialmente se você se manter longe das ruas mais movimentadas das grandes metrópoles. Na verdade, as autoestradas são perfeitas para um passeio descontraído e agradável. Para dirigir com segurança, você terá que ter em mente algumas regras básicas.

O código Americano de direção:

Devemos enfatizar algumas coisas importantes:

  • A ultrapassagem à direita é permitida nas ruas com pelo menos duas pistas.
  • Salvo indicação contrária, é possível girar à direita até a segurança, mesmo com o sinal vermelho.
  • É absolutamente proibido ultrapassar um ônibus escolar estacionado com as luzes piscando, pois indica a presença de crianças.
  • Nas rodovias, há uma faixa denominada "car pool lanes", indicada por um símbolo em forma de diamante para carros que transportem pelo menos duas pessoas. Tudo para incentivar o uso de um veículo para mais de um passageiro.

Limites de velocidade

Na América, os limites de velocidade são expressos em milhas (1 milha corresponde aproximadamente a 1,6 km) e muitas vezes variam de Estado para Estado. Em geral:

  • Nas cidades, o limite é de 25/35 milhas (40/55 km/h).
  • Nas rodovias, no entanto, o limite é de 55/75 milhas (105/120 km/h).

Nas estradas da estrada há uma maior tolerância aos limites de velocidade e você também pode chegar nas 5/10 milhas acima da média. Os limites, no entanto, devem ser obrigatórios em grandes centros urbanos e particularmente perto das escolas.

Dica importante! Caso seja parado por um policial, lembre-se de não sair do carro e aguardar as instruções do oficial, segurando as mãos firmemente no volante.

 

Sinais Rodoviários

Se o seu objetivo é entender de modo completo como dirigir com segurança pelos EUA é muito importante aprender a sinalização rodoviária.

  • Interstate: Rotas rodoviárias que ligam estados. São realmente fáceis de reconhecer, pois são indicados por uma letra seguida de uma sequência de números. A numeração deve ser levada em consideração como se a rota ímpar fosse de norte a sul ou vice-versa, ou se ela vai de leste a oeste ou vice-versa.
  • Highways: Exatamente o equivalente a nossas rodovias, também são indicadas através de um sinal de cor verde. As saídas são sinalizadas com uma numeração progressiva e são facilmente reconhecíveis.
  • Freeways são “estradas estaduais” que permitirão viajar para as áreas rurais de seus respectivos estados.

 

 

Left turn yield on green: quando você virar à esquerda, você deve dar prioridade a quem vem na direção oposta.

Junction: É o nosso entroncamento.

No turn on red: Não é possível virar a direita com o semáforo vermelho.

 

Estacionamento na América

Os estacionamentos são outro elemento importante. Em geral, nas áreas periféricas, não existem restrições específicas, exceto para as rotas mais movimentadas. Outra história para o centro da cidade, onde os estacionamentos geralmente são muito limitados e marcados com os seus próprios indicadores.

 As restrições de estacionamento em algumas cidades são indicadas por cores específicas na calçada adjacente:

Vermelho: proibição de estacionamento

Amarelo: reservado para veículos autorizados

Branco: parada curta para embarque e desembarque de pessoas

Verde: parada permitida dentro dos prazos marcados na região

Também é proibido estacionar a uma distância menor do que 3 metros de um hidrante, e é obrigatório estacionar sempre na mesma direção da pista.

 

Alugando um Carro

Finalmente chegamos ao último passo, alugar um carro nos EUA. O conselho que lhe dou é reservar on-line e depois buscá-lo diretamente no aeroporto. Mas você precisa ter cuidado com algumas coisas:

  • Os condutores com menos de 25 anos geralmente pagam uma tarifa mais elevada.
  • Devolver o seu carro em um local diferente de onde você pegou, terá um custo adicional. Nos estados da Califórnia e Nevada, isso só é aplicado nos meses de verão.
  • A quilometragem na maioria dos casos é ilimitada, mas, em todo caso, você deve verificar sempre para evitar surpresas desagradáveis.
  • Se você devolver o carro após o horário de funcionamento da locadora, você terá que pagar uma penalidade.
  • É possível durante o período de locação indicar um motorista adicional pagando um custo extra.
  • Verifique se a sua reserva inclui Collision Damage Waiver (CDW), também denominado Damage Waiver (LDW), que cobre qualquer dano ao seu carro ou perda do mesmo.

Agora que você já tem todas as dicas de como dirigir nos EUA, você só precisa reservar sua viagem e colocar o pé na estrada! Essa será uma experiência que você vai levar para o resto de sua vida.


Dez dicas para você não ser enganado em Nova York December 04 2016 1 Comment

 

  • Chegando ao aeroporto, preste atenção: não seja enganado por golpistas que se oferecem para levá-lo ao seu hotel em carros pretos, muitas vezes eles inventam vários tipos de desculpa para lhe enganar, como afirmar que o AirTrain está quebrado, ou combinar um preço, e no fim da corrida dizer que esse preço era por pessoa, fazendo você pagar o dobro ou o triplo do valor. Outra sacanagem é que as vezes você pode lhes dar duas notas de 100 e o motorista guardar e dizer que eram duas notas de dez dólares. Fique atento a tudo, caso contrário isso pode lhe custar de 200 a 400 dólares, quase o preço da passagem aérea. Procure usar o AirTrain e os serviços de traslado como o táxi. Se você quiser um serviço mais caro, é conveniente contratar alguém que fale português para busca-lo no aeroporto, e nós temos este serviço!
  • Não compre produtos eletrônicos em lojas próximas a Times Square. Elas elevam bastante os preços, e você pode encontrar um produto semelhante a algumas quadras por um valor menor. Para fazer compras vá a B&H ou a loja da Apple.
  • Lembre-se de incluir a taxa de serviço (ou seja, a gorjeta), mesmo ao pagar com cartão de crédito. Caso contrário, eles podem colocar o valor que quiserem. Não é sempre que isso acontece, mas pode acontecer. Atenção!
  • Não tome café da manhã no hotel, o café no hotel é muito mais caro. A rua é a melhor opção para você economizar com isso.
  • Nunca faça xixi na rua ou beba álcool em local público. Caso contrário, você receberá uma multa pesada. Além de ter que comparecer perante o tribunal de justiça.
  • Não use o pedicab, esse tipo de taxi-bicicleta que você encontra nas ruas de Nova York. Eles custam muito caro!
  • Quando você for comprar uma cerveja, a taxa de serviço não é automaticamente incluída na conta. Se eles não disserem nada pergunte se há alguma taxa, ai você decide quanto pagar.
  • Cuidado ao tirar fotos com os "bonecos" que ficam na Times Square. Se você não der dinheiro a eles (uma boa quantia) por vezes, eles podem se tornar agressivos quando você tirar a foto.
  • Se você for alugar uma casa ou um apartamento, não faça o depósito em dinheiro. Muitos desaparecem. Use sites seguros como o airbnb.
  • Evite trocar dinheiro em casas de câmbio, isso pode custar caro. Faça saques em caixa eletrônicos da ATM, você vai economizar muito assim. Retire grandes somas para amortizar os custos fixos.
  • Sempre pergunte o preço antes de comprar um cachorro-quente que esteja sem preço. Ele deve custar entre 1 e 3 dólares, porém alguns podem chegar a custar 10 dólares!

    Outubro, o mês do Halloween em Nova York October 15 2016

    Outubro é o mês do Halloween, a festa mais esperada do ano pelos nova-iorquinos. O Halloween não é apenas o desfile do dia 31, com todas aquelas máscara incríveis! É uma atmosfera que funciona durante todo o mês de outubro.

    Primeiro, se você está planejando passar o Dia das Bruxas em Nova York, não seja apanhado de surpresa: pense em sua fantasia com antecedência. Você pode optar por uma máscara de estilo caseiro "do-it-yourself", ou visitar uma das muitas lojas de Halloween, algumas das quais ficam abertas apenas durante os meses de setembro e outubro permanecendo fechadas para o resto do ano (eu deixo para você fazer os cálculos aproximados das "receitas" que estas lojas de Halloween tem abertas apenas dois meses por ano).

    Halloween Adventure (104 4th Avenue) e Abracadabra Superstore (19 West 21 Street) essas são apenas duas das muitas lojas para comprar ou alugar fantasias para o Halloween.

    Aqui estão algumas idéias para você entrar no espírito do Halloween em outubro:

    TOUR DAS CASAS "POSSEDUTE" DE MANHATTAN

    Onde: Merchant’s House Museum, 29 east 4th street

    Quando: de 21 à 30 de outubro.

    Oito pessoas da família Merchant morreram nessa casa, que agora é um museu aberto ao público; um museu que tem como objetivo dar aos visitantes a chance de conhecer a "vida doméstica" de uma rica família mercante do século XIX e seus raros quadros irlandeses. Os membros da família morreram a mais de um século e meio atrás, mas é possível, por causa do “Spirated” October Festival, através do “Candlelight Ghost Tour”, entrar em contato com os seus fantasmas, ouvir suas histórias, suas vozes e experiências ... Acredite ou não, durante os 50 minutos do tour, você entra em contato com tudo o que aconteceu naquela casa. Não grite alto demais! O New York Times chama de a casa desse tour de "a casa mais temida  de Nova York". Vários detalhes desse tour podem ser vistos on-line.

    ESCURSÃO PELO CEMITÉRIO DE GREEN-WOOD

    Onde: 500 25th street, Brooklyn

    Quando: sábado 15 de outubro, das 8 p.m. às 12 a.m.

    Green-Wood é um cemitério histórico dos nova-iorquinos. Em um velho artigo no The New York Times do final do século XIX, mostrou que o cemitério de Green-Wood é o local mais assustador de Nova York, porém também é o local onde a maioria dos nova-iorquinos queriam ser enterrados." Green-Wood é um enorme cemitério, onde mais de 500.000 nova-iorquinos, por nascimento ou por adoção, estão enterrados. Criado em 1838, é o lar de centenas de soldados mortos durante a Guerra Revolucionária, assim como políticos e artistas. Green-Wood é um enorme espaço verde que inspirou parques como o Central Park e Prospect Park, e onde se pode observar túmulos e mausoléus que datam do século XIX e XX, com diferentes estilos arquitetônicos e alguns bem excêntricos (como um túmulo em forma de pirâmide). O jovem artista Jean Michael Basquiat (1960-1988), protegido de Andy Warhol, está enterrado aqui no Green-Wood.

    A iniciativa Into the veil: an after dark exploration, um tour depois do escurecer, realizado geralmente dia 15 de outubro, patrocinado pela Atlas Obscura, promove um tour noturno pelo Green-Wood Cemetery, com performances e leituras, na maioria dos casos, de histórias assustadoras que se passaram lá!

    O código de vestuário recomendado é o “cocktail attire”, mas com sapatos confortáveis e uma jaqueta não muito leve, para suportar as noite de outono de Nova York.

    Ferramenta necessária para o tour: uma lanterna e pilhas de reserva, você nunca sabe o que vai acontecer. Imaginar ficar no escuro no meio do cemitério Green-Wood em uma noite sem lua?

    BROOKLYN HORROR FILM FESTIVAL

    Onde: diferentes locais.

    Quando: de 14 à 16 de outubro de 2016.

    Halloween tem como sinônimo "terror", e se vocês são fãs de filmes de terror, vocês não podem perder o festival “the art of horror filmaking”: o Brooklyn Horror Film Festival. Além da exibição de filmes clássicos e independentes, existem outros eventos dentro como reuniões e festas que fazem parte do festival. Confira a programação completa no site, e no local do evento, no Videology do Wythe Hotel, existem vários espalhados por todo Brooklyn. Os organizadores do festival, o definem como um "festival de cinema de gênero durão", leve um amigo, ou um "inimigo". Más intenções? No Halloween tudo é permitido.

    http://brooklynhorrorfest.com/

    A PROCISSÃO DE GHOULS NA CATEDRAL DE ST. JOHN

    Onde: St. John the Divine, 1047 Amsterdam

    Quando: 28 de outubro de 2016

    A procissão anual de ghouls e demônios, na catedral do Harlem (Morning Side), é a maior de Nova York, é uma experiência imperdível. St. John the Divine é chamada assim por causa do St. John the Unfinished, porque, devido à falta de fundos essa catedral, que começou a ser construída na segunda metade do século XIX, nunca foi concluída (se vocês olharem para cima vão ver partes inacabadas na fachada dela). O estilo romano-gótico dos arcos da catedral dão o “set” perfeito para a procissão de demônios e bruxas, acompanhado por um ambiente macabro com grandes pilares e corredores em um cenário de tirar o fôlego, ainda tem a apresentação do grupo teatral de Ralf Lee and The Mettawee River, o Halloween Extravaganza and Procession of the Ghouls. Isso tudo mostra como Nova York é perfeita para a época do Halloween.

    JARDIM BOTÂNICO: ESPANTALHOS E ABÓBORAS

    Onde: 2900 Southern Blvd, Bronx

    Quando: a partir de 17 de setembro - 30 de outubro.

    A exposição de Scarecrows & Pumpinks  (espantalhos e abóboras), do artista Ray Villafane é uma oportunidade única de visitar o Jardim Botânico, no Bronx. Além de admirar as plantas e flores e todo o colorido único do outono, você vai encontrar-se rodeado por cerca de trinta espantalhos "alegres", verdadeiras obras de arte que o artista concebeu com a ideia de representar a sua evolução ao longo dos anos. Espantalhos desempenham um papel importante na agricultura e cultura americana. Não só são os guardiões dos jardins e campos, como são frequentemente retratados como personagens de desenhos animados, filmes e histórias em quadrinhos.

    HALLOWEEN PARTIES!

    São muitas “parties”, organizadas para o Halloween, e você vai ter a dificil tarefa de escolher em quais ir. Em uma área menos turísticas uma das festas mais divulgadas é a Stranger Things theme party a Lot 45, no bairro Bushwick no Brooklyn. A festa é inspirado por uma lenda macabra associada ao desaparecimento de um menino de 12 anos de idade, Will Byers, na cidade americana de Hawkins. Em 06 de novembro de 1983 Will Byers desapareceu depois de sair da casa de seu amigo, logo depois uma menina com poderes "psicocinéticos", aparece misteriosamente na cidade e afirma saber onde Will está. Uma história misteriosa que ainda conta com uma agência do governo, que tenta encobrir os fatos ocorridos.

    Músicas dos anos 80 para dançar e desfrutar deste evento baseado em fatos verdadeiros.

    Onde: 411 Troutman street

    Quando: De 21 à 23 de outubro. Das 10 p.m. às 02 a.m.

    DESFILE DE CÃES FANTASIADOS

    Quando: 22 de outubro a partir de meio-dia até às 15:00 horas.

    Centenas de cães de todas as raças vão desfilam todos os anos na maior parada de cães fantasiados do mundo, no coração de Nova York, na Tompkins Square. De 12:00 às 15:00. O evento é gratuito, embora seja recomendada uma doação de 5 dólares para a premiação. O cão vencedor ganhará milhares de dólares!

    A 42º PARADA DE HALLOWEEN

    Quando: 31 de outubro das 19:00 às 23:00

    No tradicional desfile de Halloween só é permitido pessoas fantasiadas (pelo menos máscara), ele acontece todos os anos no Village.

    Trajeto para aqueles que estiverem fantasiados: Seguindo pela Sixth Avenue e Spring Street até a 16th Street.

     

    Para aqueles que não vão participar fantasiados: Sixth Avenue na Bleecker e a 14th Street são as área mais congestionada. A melhor área para se ficar é a Spring e Houston Street, na 14th e 16th street.

    Quando: Das 19:00 às 23:00. Para participar não chegue depois das 18 e 30.


    Bushwick Open Studios: Os artistas de Nova York abrindo seus ateliês para o público October 05 2016

    Mariagrazia De Luca

    Durante a primeira semana de outubro milhares de artistas do Bushwich, bairro localizado no coração do Brooklyn, abrem excepcionalmente seus estúdios ao público, por causa do festival BOS, Bushwick Open Studios (1 e 2 de Outubro), organizado pela Associação de Artes do Bushwick

    Para chegar em Bushwick, você deve pegar o trem L para 14th Street parando na Jefferson. 

    Andando pelo Open Studios (o mapa pode ser baixado no site oficial do evento), você pode apreciar os belos murais nas paredes dos edifícios do bairro que hoje pode ser considerado um dos mais “alternativos” de Nova York.

     

    É uma pena que a busca constante por "lucros" já esteja chegando aqui, e já podemos ver muitos cartazes cobrindo cada vez mais as obras de arte, a maioria de incrível qualidade, feitas por artistas independentes.

     

    Entre as muitas exposições que eu recomendo que você faça uma visita a de treze artistas mexicanos, Se habla Arte Mexicano, da associação Méxtasis, na 476, Jefferson Street. Imigração, identidade, feminicídio, e "desaparecidos", esses são apenas algumas das questões abordadas pelos artistas.

    Meu conselho: se perder nas ruas de Bushwich, que não são tão geométricas como as de Manhattan, entre e saia dos Studios, converse com os artistas, pergunte sobre sua arte (Estou muito animado para falar sobre isso), tome uma taça de vinho, ou coma pipoca, esses são alguns dos "mimos" que muitas vezes são oferecidos aos visitantes.

     

    Cada artista de Bushwick (muitos dos quais são originários de Nova York, mas também de várias outras cidades dos EUA e do mundo) tem uma personalidade distinta, um estilo único, e utiliza materiais diferentes, originais e muitas vezes "incomuns".

     

    Durante este fim de semana em Bushwick, tanto na rua como dentro do Open Studios, existem mundos surpreendentes para você descobrir e explorar... Uma aventura que você não pode perder! A sensação após a visita ao Bushwick Studios é de que você esta “drunk”, bêbado de arte e conhecimento.

     


    Os Segredos do Washington Square Park September 29 2016

    1) Um antigo cemitério

    Agora essa área é linda, mas há algum tempo atrás, este parque era um simples cemitério, estima-se que mais de 20 mil cadáveres (ou melhor, os seus ossos) estão escondidos nesse subsolo. Estamos nos referindo ao período de 1797-1825, foram enterrados ali indigentes ou pessoas desconhecidas, e durante as grandes epidemias de febre amarela, o movimento aqui dobrou. 

    2) A árvore dos enforcados

    No parque esta localizada a árvore do enforcado, Hangman’s Elm. Embora os historiadores concordem e argumente que estas execuções são um mito, no sentido de que nenhuma pessoa foi enforcada na árvore, essa lenda ainda está presente nas histórias que os nova-iorquinos contam. De acordo com especialistas, essa é a árvore mais antiga em Nova York, com mais de 300 anos. Vale a pena conferir. Ele tem uma placa, fica fácil de você reconhecê-la

    3) La statua di Garibaldi

    Datada em 1888, a estátua foi construída alguns anos após a morte de Garibaldi, pelo escultor Giovanni Turini, que também esculpiu a estátua de Giuseppe Mazzini localizada no Central Park. Nada excepcional, a estátua passa até despercebida, mas existe e é uma fonte de orgulho para aqueles com raízes italianas.

    4) O arco de George Wasghinton

    Foi inaugurado em 1892 para comemorar o centenário do início da presidência de George Washington. Ele tem mais de 23 metros de altura e é uma imitação do Arco do Triunfo de Paris. Na década de 80 foi restaurado depois de ser preenchido com grafites, como se vê claramente na última foto deste artigo..

    5) Fonte centra

    Ela não possui nenhum valor artístico particular, foi construída em 1960, no verão os estudantes da NYU, assistem concertos ao ar livre, e colocam seus pés na água para se refrescar na fonte.

    6) Por algum tempo aqui passavam-se carros

    Olha como essa região era feia na década de 50, em seguida, graças ao ativismo de alguns moradores e, especialmente, graças ao urbanista Jane Jacobs, foi possível que este parque se tornasse uma zona de pedestres em agosto de 1959, derrotando o grande planejador Robert Moses queria a destruir e estender a Fifth Avenue. 

    6) Casas "estilo grego"

    No lado norte do parque você vai encontrar estas casas no “estilo grego” (estão vendo as colunas?). Elas por si só, seriam uma atração histórica e valiosa. Especialmente por elas serem de 1800. Porém, além disso, aqui vive um grande artista americano, Edward Hopper. E no número 11 foi gravado o filme I Am Legend (Eu sou a Lenda) , com Will Smith (foto abaixo)..

    7) A República da Utopia Duchamp

    Em 23 de janeiro de 1917 Marcel Duchamp e seus amigos foram dentro do arco, utilizado as escadas e chegaram ao seu topo (tecnicamente você pode escalar o arco e há um terraço no topo), e aqui foi declarada república independente de Washington Square, chamado de a "Nova Bohemia", lanternas japonesas foram usadas para iluminar e foram liberados vários balões. Porém isso tudo durou muito pouco, e nenhuma documentação fotográfica foi feita. Temos apenas essa imagem.

    8) Edifício Brown e o trágico incêndio

    Entre as mais tristes tragédias de Nova York está o incêndio de 25 de Março de 1911, em que 123 agentes e 23 homens morreram. Foi a maior tragédia da indústria de Nova York e é um dos eventos lembrados no Dia da Mulher. O Edifício Brown ainda está lá, agora pertence à Universidade de Nova York. A tragédia aconteceu nos pisos superiores, que foram reestruturados. Há placas comemorativas. Os visitantes geralmente deixam flores após a visita.

    9) A porta secreta do arco

    Poucos a conhecem, mas há uma porta secreta para o terraço que fica localizado no topo do arco. Em algumas ocasiões especiais alguns visitantes são autorizados a usa-la.

    E esta é à vista do terraço secreto!

    10) Nos anos 70 e 80 era melhor nem ir

    Todos os parques de Nova York foram recuperados nos últimos 25 anos, mas nos anos 70 e 80 eram lugares frequentados e dominados pela criminalidade e drogas. Eu não vou negar que têm o seu encanto metropolitano e desesperado, mas mal se podia colocar o pé lá. Eu procurei algumas imagens que poderiam expressar esse desespero metropolitano e encontrei esta aqui. Aqui está um artigo do New York Times sobre o crime foi combatido aqui, nesses anos.


    A Procura do melhor café de Nova York September 23 2016

    Se há uma coisa que você não pode deixar de trazer seja para visitar ou até mesmo viver nesta cidade maravilhosa, é sem dúvida uma dose abundante de energia.

    Em Nova York, de fato, se anda muito. E assim, como um grande amante do café, fui em busca do melhor café expresso de Nova York.

    Venha junto comigo!

    STARBUCKS

    Impossível não começar por aqui.

    No imaginário coletivo de todos os italianos, e acredito que não só deles, a Starbucks é a América e a América é a Starbucks.

    A rede americana, fundada em Seattle em 1971, combina os melhores cafés de todo o mundo para oferecer aos seus clientes uma variedade quase ilimitada de combinações possíveis: americano, expresso, macchiato, cappuccino, frappuccino e assim por diante.

    Esse não será o melhor café expresso que você pode beber na cidade, mas, certamente, ele merece destaque, por tudo que representa, a verdadeira tradição americana de café.

    CAFÉ VERGNANO, EATALY

    Sinceramente, aqui o nível sobe e muito.

    A histórica empresa de Piemonte fica localizada na gigante Eataly, perde em fama apenas para o lendário Flatiron, o "Iron" apelido dado pela forma triangular do edifício, um dos mais famosos do mundo.

    O que mais posso dizer? Bem-vindo à Itália!

    Desfrute de uma pausa com muitos aromas e cortesia, e você ainda tem a vantagem de poder comprar café moído na hora, e cápsulas compatíveis com as principais máquinas do mercado (recurso valioso para aqueles que estão em hotéis ou apartamentos que possuem cafeteiras) existe também uma grande variedade de biscoitos e doces de todos os tipos.

    Os preços são razoáveis, mas para quem procura um típico café italiano, essa é um ótima opção.

    ZIBETTO ESPRESSO BAR

    Essa é a verdadeira (deliciosa!) surpresa da minha aventura de aromas e sabores. 

    Ao contrário de outras dezenas de bares espalhados pelas ruas de Nova York, o café expresso daqui não se permitiu ser influenciado pelos hábitos de Nova York e gosto típico dos americanos. A essência aqui foi mantida de forma intacta.

    Não existem variantes: café preto, cappuccino e macchiato.

    101% Italiano, simples e perfeito.

    Os preços são médios e existe uma infindável variedade de iguarias, doces e salgados, com os quais você sai regenerado seja de um passeio ou de uma reunião de negócios estressante.

    Existe uma unidade que fica localizada no Rockefeller Center em um ambiente espaçoso e acolhedor. O da 5th Avenue (esquina da 42th) é menor, no entanto, está no coração de tudo.

    SAN MATTEO ESPRESSO BAR

    Se há uma coisa (na verdade, existem muitas!) que eu amo fazer é certamente tomar um café.

    Ciro Casella é o nome do visionário por trás deste projeto, ele é de Salerno e já possui três lojas diferentes em Manhattan. Eu sou cliente assíduo do Pizza Espresso Bar Guest na 90th com 2nd Avenue, onde sua filha Marica, é a gerente.

    Bem, o café aqui é arte! A mistura produzida com orgulho pelo Ciro vem cheia de força e aroma.

    Feche os olhos: você está em casa.

    Para os caçadores de emoções, e especialmente para pessoas que não estão de dieta, aqui está sua majestade, com base de noz, um creme misterioso e coberto com chantilly e chocolate em pó feito à mão.

    Essa é uma das obras de arte assinada por Ciro.

    TARALLUCCI E VINO

    Outro lugar rico em estilo italiano está espalhado por cinco locais diferentes.

    O meu favorito, fica além da Union Square, próximo ao Upper West Side (esquina da 83 com a Columbus Avenue).

    Café e Cappuccino assinados por Lavazza, os croissants e as bombas também são incríveis. O lugar também é muito procurado para almoço e jantar.


    Pedalando pelo Central Park. (Mapa) September 17 2016

    1) Aqui vocês podem ver o mapa, e esse já pode ser considerado o grande início do passeio. Você não pode sair pedalando livremente pelo parque, se você andar de bicicleta em áreas dedicadas a pedestres por exemplo (aquelas em cinza no mapa) poderá receber uma multa. De bicicleta você pode circular nas faixas verdes (às vezes compartilhada com carros) e nos traços laranja, compartilhada com os pedestres. O circuito completo é de 6,1 milhas (mais ou menos 9,7 Km) de comprimento. Para reservar a bicicleta você pode vir ao nosso escritório na 324 W 47th, ou fazer uma reserva  on-line, clicando aqui.

    2) O parque fecha de 01:00 AM até as 6:00 AM), se você tentar utilizar a ciclovia do parque durante esse horário irá correr sérios riscos de tomar uma multa.

     

    3) A ciclovia tem apenas um sentido, o anti-horário. Caso você queira dar meio volta ou encurtar o seu caminho, tem que utilizar alguns retornos e desvios que ficam espalhados pela ciclovia. Observem as linhas verdes no mapa. Lembre-se que você pode utilizar alguns desvios para encurtar a volta de mais ou menos 10 km no parque.

     

    4) Quando a ciclovia é compartilhada com carros, você deve utilizar apenas a área limitada as bicicletas. Quando não houver tráfego (geralmente das 10 horas da manhã até as 15 horas da tarde e após as 19 horas todos os dias), você poderá ocupar toda pista.

     

    5) Existe um limite de 20 milhas por hora que não podem ser superados, pouco mais de 30 km/h. Caso contrário... Multa!

     

    6) As crianças com idade inferior a 14 anos obrigatoriamente devem usar capacete.

     

    7) No caminho existem serviços públicos e estacionamento para bicicletas. Você vai reconhecê-los pelos símbolos no mapa.

    8) Se você quiser desfrutar de alguma área específica do parque, é só você estacionar sua bicicleta e aproveitar o passeio.


    O Carnaval de Nova York é realizado na primeira segunda-feira de Setembro. Feliz Labor Day! September 08 2016

    Por Maria Grazia De Luca

    deluca.marymary@gmail.com

    Estamos no fim de semana que é comemorado o Labor Day (A festa do trabalho), a festa pelo dia do trabalho é celebrada pelos americanos na primeira segunda-feira de setembro desde 1882. Se o feriado comemorado dia Primeiro de Maio continua sendo para muitos de nós o ícone do dia dos trabalhadores, e a oportunidade de celebrar a dignidade do trabalho (também como uma forma especial de lembrar as muitas vítimas do trabalho por todo o mundo), aqui em Nova York entre os muitos eventos que acontecem nos dias de hoje, com certeza esse está incluído, ele é chamado por muitos de “the greatest show in the earth”, o New York City Caribbean Parade, conhecido como West Indian Day Parade.
     
    Certamente esse é o dia mais esperado pela comunidade caribenha do Brooklyn, que também foi homenageada pelo artista de hip-hop Jay-Z em sua canção "Empire State of Mind" quando ele canta: “Three dice Cee-lee, Three card Monte, Labor Day Parade, rest in pace Bob Marley".

    O ponto de encontro da West Indian Parade é o Museu do Brooklyn (200 Eastern Pkwy). A saída está marcada para 11 horas, e o desfile vai passar pelo bairro de Crown Hights em direção ao Grand Army Plaza, onde existe um programa de "Grand Finale" marcada para as seis horas. É claro que você pode escolher um ponto estratégico e assistir apenas um pedaço do desfile, procure se informar sobre as mudanças nos serviços de metrô e ônibus, por causa do grande número de pessoas na área do Brooklyn.

    Ano passado resolvi fazer a experiência e participar do Carnaval Caribenho do Brooklyn, aceitei o convite de uma amiga para se juntar a ela e ao seu “boyfriend” jamaicano de assistir esse famoso desfile. Eu pensei que seria também uma oportunidade de ouro para mostrar a minha mãe, que tinha vindo me visitar em Nova York, um evento único, autêntico, além das ruas turísticas da Times Square. E eu não estava errada, o desfile superou as minhas expectativas.
     
    A West Indian Parade é uma experiência difícil de descrever em palavras, é necessário experimentar pessoalmente, se deixando levar pela vitalidade irresistível dos povos do Caribe, que sabem como se divertir ao som de tambores e instrumentos musicais tradicionais.

    Fui com a minha mãe no ápice do desfile, tocando salsa, calipso, reggae e soca, as mulheres e os homens geralmente bem fortes fisicamente, movimentam seus corpos com força e uma harmonia incrível - eles têm música no sangue - geralmente com vestidos muito coloridos, com grandes plumas que vibram no ar enquanto dançam como se não houvesse amanhã. Isso tudo nos faz lembrar de como é fácil ser feliz e de como devemos valorizar os momentos felizes da nossa vida.
     
    No desfile podemos ver as bandeiras de países do Caribe, como Jamaica, Haiti, Trindade e Tobago, Barbados, etc… Eles compartilham o uso do Inglês e do crioulo no idioma. Eu não me lembro de ter visto bandeiras da Republica Dominicana e de Cuba. No final da rua há muita “Street food” caribenha, e muito hambúrguer picante!

    A energia do Carnaval Caribenho é incrível, quase que intimidante. Três milhões de pessoas participam desta grande festa, com uma euforia explosiva no Crown Heights no Brooklyn. Eu nunca participei do carnaval brasileiro, no meu imaginário eu sempre cultivei esse evento como uma coisa  incrível, e acredito que com todas as devidas diferenças (com o nível de grandeza redimensionadas aqui em Nova York), os figurinos excêntricos, o desejo de dançar e, especialmente, a energia vibrante da West Indian Carnival do Brooklyn, lembra o que acontece no Rio todo mês de fevereiro.

    Essa festa caribenha em Crown Heights de alguma forma começa a fechar o verão de Nova York. Se a energia do Carnaval Caribenho não lhe empolga muito, você pode optar por outros eventos organizados no Labor Day. Você pode optar por passar o dia inteiro em um dos muitos parques nova-iorquinos, o Central Park pode ser a primeira opção, mas também os menos frequentados que ficam ao longo do Rio Hudson (Brooklyn Bridge Park, no Brooklyn ou o Fort Tryon Park, em Uptown), a praia de Coney Island, em Nova York, que tem um parque de diversões a uma curta distância da praia também é um bom destino para os dias menos quentes de setembro (é menos lotado) quando comparado com agosto e julho. Em todos esse lugares é possível ver um lindo por do sol, com todas as cores do mês de Setembro.

    O Washington Square Park, em Greenwich Village, por outro lado, pode ser um destino para quem gosta de artesanato, fotografia, esculturas e outras obras de artistas independentes, que na maioria dos casos são estudantes da Universidade de Nova York (NYU), que fica localizada nessa região.

    Muitos nova-iorquinos estão fora da cidade no último fim de semana de verão, deixando os visitantes e amantes da Big Apple a chance de torná-la “nossa”, pelo menos por um dia, no Labor Day, que se despede simbolicamente do verão, e marca um novo período de preparação para o outono.


    O lindo passeio pelo High Line September 01 2016

    Por: Mariagrazia De Luca

     deluca.marymary@gmail.com

    E pensar que em 1999 estavam para demolir o resto da antiga linha ferroviária que em 2009, tornou-se, graças às constantes batalhas da associação Friends of the High Line, se tornou um dos mais belos e dinâmicos parques de Nova York.

    Os restos ferroviários faziam parte do West Side Elevated Highway, que foi construído no início dos anos de 1900 para substituir a estrada de ferro que antigamente corria no nível da rua. Por causa da grande quantidade de acidentes que estvam acontecendo entre o tráfego local e o ferroviário, a 10th Avenue foi apelidada de "Death Avenue". Esse certamente não é o maior parque da cidade, não tem grandes lagos ou uma área com muita grama verde, onde você pode fazer um piquenique, como Central Park. Você também não pode andar de bicicleta no High Line bem porque é proibido o uso de bicicletas nesse parque.

    O High Line é um lugar mágico por outras razões: Ele foi construído sobre os trilhos da antiga ferrovia, e o parque também oferece uma vista espetacular! Com o Rio Hudson de um lado e do outro ... o Empire e todos os outros edifícios históricos e modernos de downtown e Midtown, alguns visto de longe outros de perto durante a sua caminhada de quase dois quilômetros e meio do Meatpacking District até as ruas do Chelsea. Vocês vão passar ao lado do Standard Hotel, vai dar para ver as suítes e os seus hóspedes, alimentando o sonho de um dia ser você hospedado em uma das suítes de luxo desse hotel incrível. Nunca diga nunca, especialmente em Nova York. Caminhando pelo High Line podemos sentir o coração de Nova York batendo.

    Informações sobre o High Line Park

    Como chegar ao High Line

    O High Line se estende ao longo de treze ruas, desde a Gansevoort Street (na metade do Meatpacking District) até a West 34th Street (entre 10th e a 12th Avenue).

    Horário de abertura:

    Embora durante os meses de inverno, o parque feche antes do pôr do sol, durante o verão, o parque fica aberto das 07:00 até as 23:00 horas.

    Como se entra no parque?

    Por elevadores: 14th, 16th, 23rd, 30th, 34th e na Gansevoort Street.

    Por escadas: 18th, 20th, 26th, 28th, 30th street e 11th Avenue. 

    Razões que fazem valer a pena visitar o parque

    Há muitas razões para ir visitar o High Line, especialmente durante o verão, quando o parque fecha mais tarde do que o habitual, e as flores ganham mais cores e ficam mais brilhantes cercadas dos restos da antiga ferrovia que ainda são visíveis de algumas partes do parque... Enquanto vários artistas buscam nos entreter com suas apresentações originais, ao nosso nos vemos rodeados por instalações, muitas vezes excêntricas, que provocam o pensamento crítico e tornam o parque um lugar único onde a arte, a poesia e a paisagem industrial, histórica e natural se reúnem de forma surpreendente, talvez isso represente a harmonia de Nova Yorker.

    As obras de arte

     

    Ao caminhar pelo High Line, você vai encontrar obras de arte que vão deixá-lo com a boca aberta. Pelo menos isso aconteceu comigo quando eu conheci o Sleepwalker. Um homem de cueca andando com os olhos fechados e os braços para a frente como um verdadeiro sonambulo. "Eu não posso acreditar em meus olhos!" E só quando eu estava perto o suficiente, eu descobri que não era um homem de carne e osso, mas uma obra de arte "hiper-realista" feita pelo artista americano Tony Martelli. "Este é um parque único, o High Line é único no mundo!" O artista Giorgio Andreotta Calò, também exibe suas obras de arte no parque elevado. Há uma obra de arte muito original, o Wanderlust: São barras de latão finas inseridas entre as placas de linha de alta pavimento com nomes de personagens que viajaram por toda a América a pé. O trabalho foi inspirando por Peace Pilgrim, um ativista político que durante o século passado atravessou o país... 20 vezes!

    Hoje cada artista que apresenta seus trabalhos na High Line refere-se ao projeto chamado "Wanderlust", que tem como tema central: O caminhar, a viagem, e a peregrinação.

    Ver as estrelas do High Line

    É gratuito e acontece toda terça-feira (até outubro) a partir do anoitecer até o fechamento do parque. O parque coloca a disposição dos visitantes telescópios profissionais, de onde você será capaz de apreciar as estrelas na companhia da Amateur Astrogy Association of NY. Em Nova York também é possível ver as estrelas de perto. O que vocês acham?

    Dançar no High Line

    Salsa, merengue e bomba são apenas alguns dos ritmos que é possível dançar dia 03 de agosto no High Line parque, na companhia de Aurora Flores e Zan del Barrio, dançarinos profissionais de Nova York. Algumas das bandas mais "hot" da cidade participam deste evento de dança, chamado de “¡Arriba!”.

    Esportes

    Se vocês gostam de esportes delicados (meditação) ou mais combatíveis (Tai Chi), você pode ter a experiência de algumas aulas gratuitas no High Line, toda terça-feira de manhã: Meditação, de 8 as 9. Tai Chi ( primeiro nível) 9:30 as 10:30.

    Os evento do verão: O High Line se ilumina!

    Já marquei na minha agenda eu não quero perder este evento incrível no High Line. Você também não deve perder, visite o site do High Line e faça o seu registro (Up Late, June 21st), é de graça, mas o número de bilhetes é limitado. http://www.thehighline.org/activities/up-late

    E acima de tudo, lembre-se de chegar cedo. Como em muitos eventos gratuitos, nesse se aplica a regra do "primeiro a chegar, primeiro a ser servido", em outras palavras, há um risco de que o parque fique lotado rapidamente e você pode acabar ficando de fora. Então: Quinta-feira, 12 de julho de 22:00 à meia-noite o High Line será preenchido com apresentações nova-iorquinas de artistas excepcionais, alguns de renome internacional.

    Blood Illumination é um dos mais interessantes e controversos. Na verdade, o artista Nova-iorquino Jordan Eagles usa o sangue como fonte primária de sua arte, geralmente ele usa sangue de animais, mas também faz uso do humano (como para Blood Mirror). As obras de Eagles são como uma provocação, como em 2014, o artista organizou um protesto contra a proibição de doação de sangue por homossexuais. Ele construiu obras de arte com o sangue de 9 homens, entre eles gays e transgêneros famosos. A obras de sangue contendo elementos orgânicos foi possível graças a um tratamento feito com resina que fazem as obras serem impressionantes, especialmente quando iluminadas na transparência por feixes de luz. As obras de Eagles tem a capacidade de interferir em nos mesmos, de forma profunda, íntima, visceral, difícil de colocar em palavras, mas que causam arrepios. Elas nos lembram de que somos feitos, a materialidade do sangue que nos mantém vivos: corpóreo, tangível, mas também como um elemento misterioso.

    Durante o mês de agosto outros artistas vão invadir o High Line, como o corpo de dança Blanche Performance do Brooklyn. Os dançarinos quebram todas as barreiras entre o público e a arte, com um show interativo e surpreendente. Shadoah Goldman, o fundador da Carte Blanche, além de bailarino é um mestre de Shiatsu e um grande hipnotizador. O que mais podemos esperar desse espetáculo incrível?

    O artista Merche Blasco também merece uma atenção especial, ele é um artista interdisciplinar que cria música eletrônica com instrumentos extremamente originais. Temos também a exibição do documentário Jackie 60: o filme, mostra todos os segredos das noites transgressivas da boate de Nova York Meatpacking 90.

    Próximo ao High Line

    Chelsea Market, Hudson River Park, Highline Ballroom (clube de música ao vivo), Chelsea Piers (um dos maiores complexos desportivos de Nova York), Whitney Museum of America, The Standard Biergarten (bar que pertence ao Standard Hotel, onde se pode provar um numero incrível de cervejas alemãs). 

     


    O que fazer em Nova York quando vier com crianças August 31 2016

    por Mariagrazia De Luca 

    deluca.marymary@gmail.com

    A Big Apple é uma cidade "family-friendly", com muitas atividades para crianças. Nesse texto nós apresentamos um guia para as famílias que planejam visitar Nova York. Não se esqueça dessas dicas.

    O desfile de balões da Macy’s

    Em 2016 completa 90 anos que a loja de departamento Macy’s organiza o desfile mais esperado do ano aqui em Nova York, ele acontece no dia de Ação de Graças ou Thanksgiving, ou seja, ele ocorre na quarta quinta-feira do mês de novembro. Se em 1924 ao olhar para o céu os espectadores poderiam ver balões gigantes do Popeye, Mickey Mouse hoje é possível ver Hello Kitty, Wimpy Kid, Ronald McDonald, o ranger vermelho dos Power Rangers, Bob Esponja, Snoopy e muitos outros. Mais de três milhões e meio de pessoas vão ao desfile de balões de Macy’s que ocorre nas ruas de Manhattan, e mais de 50 milhões assistem ao desfile on-line e pela televisão por todo o mundo. Apenas funcionários da Macy’s, suas famílias e amigos podem participar do desfile, mas você pode escolher um lugar com uma boa vista e se preparar com antecedência sabendo onde é mais conveniente para se sentar.

    O desfile começa na 77th Street e Central Park West vai até Columbus Circle e, em seguida, continua na 6th Avenue. O melhor lugar: Central Park West na 59th com a 38th Street. Como o desfile passa entre 9 e 10:30 da manhã. Tente chegar cedo para ter certeza de encontrar um lugar com boa visibilidade. No segundo e terceiro andar daTime Warner Cable na Columbus Circle (que abre às 9:00), ali você poderá desfrutar de uma vista perfeita.

    Áreas a serem evitadas: entre 34th e a 38th Street ou em frente a Macy’s Herald Square: os lugares são limitados porque é ali que os canais de televisão oficiais transmitem o desfile.

    A parada da Macy’s é definitivamente uma grande festa nas ruas de Manhattan, com participação de bandas, shows e várias celebridades.

    As luzes de Natal de Dyker Heights

    O bairro Dyker Heights, no Brooklyn, todos os anos, na época do Natal, o bairro da lugar a uma antiga tradição, a de decorar as casas e ruas com milhões de luzes de Natal. Tudo fica iluminado: os telhados das casas, as árvores, as ruas ... Nos jardins há presépios feitos de luzes, anjos, Papai Noel com suas renas. Um lugar mágico para as crianças, quer dizer, não só para elas, mas para todo mundo. Após visitar Dyker Heights você também pode fazer uma parada no Rockefeller Center para admirar a árvore de Natal mais famosa dos EUA, e também pode observar o esplendor das luzes nas janelas da 5th Avenue. Não se esqueça de que todo o ano, o Minha Viagem a Nova York organiza um passeio exclusivo por Dyker Heigths em português.

    Carrossel

    Além de ser um carrossel onde as crianças (e seus pais) podem experimentar a fantasia de montar cavalos brancos em um conto de fadas, Jane’s Carousel, próximo da Ponte do Brooklyn, uma verdadeira obra de arte. Na verdade, o carrossel é antigo, ele foi criado em 1922 e inicialmente instalado no Idora Park, em Ohio, onde permaneceu por muitos anos antes de ser transferido para Nova York. Graças ao trabalho de restauração que foi concluído recentemente, as cores do carrossel adquiriram seu antigo brilho novamente. O Jane’s Carousel passou por uma grande restauração, dada a magnitude do carrossel: 48 cavalos de madeira e dois carros. O bilhete custa 2 dólares e há preços especiais para escolas e grupos de pessoas. Está aberto todos os dias, exceto segunda-feira, de acordo com o site oficial: os cavalos “need a rest”, precisam descansar, pelo menos um dia por semana!

    Outro carrossel, menor e mais novo, é o do Bryant Park: 14 cavalos. Um lugar emblemático como o Bryant Park, o carrossel é inserido harmoniosamente entre os arranha-céus que refletem uns aos outros, e as crianças podem sonhar andando ao som da música de um cabaret francês.

    O carrossel Central Park, localizado na 64th Street na parte central do parque, ele é provavelmente o mais antigo em Nova York. Ele foi construído em 1871 (apesar de várias mudanças ao longo dos anos), a entrada custa 3 dólares e há sempre muitas pessoas (fecha nos dias mais frios de inverno).

    Central Park, do zoo as marionetes

    Quantas coisas as crianças podem fazer no Central Park? Muitas! De simples caminhadas para apreciar o verde e observar os esquilos, passeios de bicicleta, patinação no gelo no Wollman Rink, com vista para os arranha-céus e até pescar no Harlem Meer. Em dias de sol piqueniques em grandes espaços verdes, como no Sheep Meadow ou próximo a Belvedere Castle, assistir ao teatro de marionetes no  Swedish Cottage, onde são representados clássicos como Cinderela ou A Bela Adormecida. Fazer um passeio de barco ou alugue um veleiro de controle remoto em miniatura no Conservatory Water. Entre muitas atividades, uma é obrigatória, a visita ao Tisch Children’s Zoo. As crianças podem observar um urso cinza, o leopardo da neve, o panda vermelho; visitar o "Tropic Zone", que abriga animais tropicais ou visitar a parte dedicada aos pinguins e aves marinhas; em determinados momentos também existem atividades que incluem a alimentação de pinguins e leões marinhos e um teatro 4-D..

    Outros zoo espalhados pela cidade

    Zoológico do Central Park certamente não é o único em Nova York. Na verdade, o Jardim Zoológico do Bronx é um dos maiores nos Estados Unidos, com cerca de 4.000 animais e 650 espécies diferentes. No Brooklyn, Prospect Park Zoo, no Queens, Queens zoo e finalmente em Coney Island vale a pena visitar o aquário de Nova York, que abriga mais de 250 espécies de animais selvagens.

    Os passeios em Coney Island

    O Luna Park em Coney Island é um verdadeiro ícone de Nova York! Apenas meia hora de Manhattan de metrô (acessível pelo metrô F, Q, D, N), abre normalmente no final de março e fecha no início de novembro. No site oficial você poderá encontrar descrições de todos os passeios no parque de diversões, adequado para crianças e adultos, eles são divididos por "nível de adrenalina". Para as crianças pequenas e para os pais que querem relaxar, a seção "mild thrill" é, sem dúvida, a mais adequada: que tal girar no Tea Party, onde se pode sentar confortavelmente dentro de uma xícara que gira o tempo todo? Para as crianças um pouco mais aventureiras, o “moderate thrill” pode ser uma boa escolha, como Watermania: tenha em mente que você poderá ficar ensopada da cabeça aos pés quando estiver nesses carros de brinquedo aquáticos. Para as crianças um pouco maiores e bastante aventureiras, existem as opções “high thrill” e “extreme thrill”, isso significa: você deve estar pronto para lançar-se na famosa montanha-russa Cyclone a mais velha dos Estados Unidos e feita de madeira (mas está em excelente condição e é super segura ... pelo menos eu espero!)

    Coney Island não é só adrenalina…

    Coney Island não é apenas o Luna Park, de fato, vale a pena passar um dia inteiro nele e desfrutar todas as atrações com a família desse lugar único (e rico em história) nova-iorquina. Caminhar ao longo da Coney Island Boardwalk é outro ótimo passeio. A caminhada por Coney Island levará um longo tempo: é muito longa e cheia de comida de rua, onde você tem que parar e experimentar as fatias de pizza, o cachorro-quente e muitas outras iguarias locais; quando se fala de pizza, lembra as melhores do Brooklyn como a Totonno Pizzeria Napoletana ou Pizzeria Grimaldi. Os cachorros-quentes "históricos" do Nathan’s, aberto desde 1916, onde um dos clientes mais regulares foi Al Capone. A comida típica de Coney Island são os populares "knishes" (feito com purê de batatas, carne moída, chucrute, cebola, Kasha, o que seria uma mistura de trigo mourisco e queijo) que se tornou popular em Coney Island devido aos muitos imigrantes do Leste Europeu que chegaram no início de 1900. E para as sobremesas, considere ir até Williams Candy, há 75 anos produzindo os "candies" mais famosos do mundo: Red Candy Apple, coberto com caramelo, Marshmallow Treats (como descrever um doce com amendoim e recheado com marshmallow? somente experimentando!), sorvete, pirulitos, etc.

    Vá também ao Coney Island Museum, que abriga um modelo 3D do luna park original, feito pelo artista Fred Kahl, muito antigo (e indisponíveis), tem cartões postais de Coney Island e muito mais. Há espetáculos tradicionais, como o circo, mágica, teatro, etc. organizado pelo "Coney Island USA", que têm " programs for everybody " e quer melhorar e preservar a cultura de Coney Island e a cultura americana local. Finalmente, para relaxar e digerir toda a comida que você irá encontrar por Coney Island, um passeio na Wonder Weel (US $ 7), com mais de 45 metros de roda gigante para você observar do alto a magia que é Coney Island. Ela remonta à década de 20: sua construção. Perto da roda-gigante, há também o "kiddie park", um pequeno parque apenas para crianças, com 16 jogos diferentes, tais como: carrossel, pequena montanha russa, Sea Serpent, Rio Grande Train.

     

    Museus: aprendendo… enquanto se diverte!

    American Museum of Natural History

    Onde: 79th street e Central Park West

    Visite o Museu de História Natural, em Nova York é uma maneira divertida de introduzir as crianças na ciência. E esse é um dos museus mais emocionantes de Nova York. O planetário possui a representação do universo em diferentes escalas de planetas e estrelas, é algo que deixa as crianças e os adultos fascinados! Na seção pré-histórica, todo mundo se sente "pequeno" debaixo dos enormes esqueletos de dinossauros, bem como debaixo da icônica Giant Blue Whale: um modelo de uma baleia azul com quase 30 metros de comprimento, suspenso no ar. Deitar-se sob a sua barriga é um "must" para todos os visitantes: esse é um meio para prestar homenagem a esta espécie ameaçada lembrando que é responsabilidade de todos nós cuidarmos do meio ambiente, para que esses animais extraordinários possam continuar a existir em nosso planeta.

    Sony Wonder Technology lab

    Onde: 550 Madison Avenue

    Esse é o museu da Sony, completamente Sci-Tech. Quatro andares com uma exposição interativa para todos os visitantes (com atividades para crianças de diferentes idades), no início da visita, você cria seu próprio perfil digital: foto, gravação de voz e escolha de gostos musicais, cores, etc. Instalações "tecnologiche" que mostram como os dispositivos evoluíram nas últimas décadas (de algo grande e pesado para a "nanotecnologia"). A área Robot, onde as crianças podem interagir com robôs e o Interactive Floor, onde você persegue os pontos coloridos no chão que se movem junto com outros visitantes e o Dance Motion Capture, em que ao dançar aparece uma imagem refletida em um vídeo na frente com um personagem animado Sony, você aprenderá melhor a construir personagens de jogos de vídeo.

    Megastore da Time Square

    As megastores próximas da Times Square, como a Disney Store, M&M's e Toys R Us, muitas vezes organizam eventos para as crianças. Toys R Us não é apenas uma loja de brinquedos, ela possui diversas atrações para crianças, como roda-gigante de 18 metros de altura, um modelo em tamanho real do Tirannosuaro Rex, a casa de Barbie (400 metros quadrados). Infelizmente está fechada, mas vai reabrir em breve. A Disney Store é uma espécie de miniatura da Disneyland com castelos de fadas, bonecos gigantes dos clássicos e famosos personagens, tem até um teatro onde são projetados (em uma tela de estilo jukebox) cenas dos desenhos animados clássicos da Disney.

    A loja da M&M's é o risco, pois as crianças encontrarão centenas de confetes diferentes (o que seria perigoso para a carteira dos pais), mas as crianças também gostam de passear pela imensa loja, e tirar fotos com os famosos bonecos dos M&M's, o "Red", o sarcástico da gangue, "Yellow" mias ingênuo, e os mais recentes, Green, Blue e Orange. 


    Na primeira viagem a Nova York muitos se esquecem de trazê-lo, mas pode ser necessário August 21 2016

    Você acabou de chegar em Nova York, e, logo precisa carregar o celular, você percebe que há algo estranho, a sua tomada não se encaixa, ela é diferente. Ai você percebe imediatamente: está faltando um adaptador. Não se preocupe, você pode facilmente comprá-lo em algum supermercado-farmácia (como Duane Reade, CVS), ou em lojas que vendem tudo a 99 centavos, existem várias espalhadas pela cidade (por exemplo, a Jacks'99 Cent Store), ou em lojas e mais conhecidas (Best Buy, B & H), mas nunca, eu disse nunca, compre-os em lojas de eletrônicos que estão localizadas perto de Times Square, ou nas ruas mais turísticas. Porque você iria pagar muito caro. Na verdade, este pequeno dispositivo não vale mais do que 3 dólares.

    Esse adaptador pode ser parecido com o da foto e se encaixa na tomada, mas não muda a voltagem, que também deve ser observada antes de colocar qualquer aparelho na tomada. A voltagem norte-americana, geralmente é de 110-120 V, então não deve ser um problema, pois é parecida com a nossa, além disso, hoje em dia muitos dispositivos suportam dupla voltagem. Nos poucos casos em que isso não ocorre você vai precisar de um transformador. Que é outro dispositivo, diferente e pesa. Então, eu espero que você não precise deles.

    O mesmo se aplica ao equipamento eletrônico que você comprar, em Nova York, e depois trazê-los para seu país. Você provavelmente vai precisar alterar sua voltagem (ou usar um adaptador: comprado em seu país para colocar em sua tomada), mas em relação à tensão não haverá problemas. Em qualquer caso, sempre pergunte antes de comprar se o produto possui dupla voltagem, isso é para sua segurança. Em relação à produtos da Apple não se preocupe, não há problema. Porém, se você comprar uma lâmpada em Nova York (porque você faria isso?), em seu país ela poderá explodir.


    Que a chama de Nova York nunca se apague! August 10 2016

    Luca Marfé

    Instagram: @lucamarfe - Twitter: @marfeluca

    www.lucamarfe.com

    A primeira vez em Nova York é como uma cicatriz que você sabe que vai permanecer na pele. Queimando, enquanto você busca ver e sentir a magia de um céu tomado por aço e vidro que crescem verticalmente e se perdem no horizonte. São verticais assim como seus pensamentos, pronto para voar de baixo para cima, para conquistar algo maior.

    E assim, de repente, você se sente pronto para começar. Ou, melhor ainda, começar de novo. Começar a sonhar novamente.

    E não importa se é algo que você já viu antes, provavelmente você o verá com outros olhos.

    Este é o centro da vida e de todo o resto. Esta é América, uma loucura, uma perfeição maior do que se pode imaginar. É uma América que vive há mais de cem anos. Então, esse é o momento dos arranha-céus, dos prédios colossais que quase tocam as nuvens.

    E, se é verdade que em lugares como Dubai, Xangai e Meca possui prédios muito altos, é verdade, que aqui há prédios tão extraordinários quanto os deles e em maior quantidade.

    Céus que parecem formar um todo perfeito entre o homem e Deus, uma articulação de nuvens, antenas e sonhos que não se vê em outro lugar. Com uma corrente perpétua de Frank Sinatra que irá acompanhá-lo por todo o percurso.

    Porque Nova York é história. História da música, da esperança, de todas as coisas. É a história de ontem, assim como a história de amanhã.

    E, antes que venha o dia em que você deverá ir embora, em seu coração você já sabe, este fogo não será extinto.

    Um corte feito no cartão de cada viajante, que ficará para sempre.


    Lembre-se: os cadeados devem ser aprovados pela TSA August 09 2016

    Vamos tentar ser claro. Se você quiser fechar sua mala de viagem com um cadeado antes de embarcar para os Estados Unidos, o cadeado deve ser aprovado pelo TSA. O que isso significa? Que os funcionários do órgão de segurança americano (TSA) podem verificar sua mala. Eles têm as ferramentas apropriadas para abri-lo sem danificá-lo. Se o cadeado não for aprovado pelo TSA, provavelmente será quebrado, e eles não pensarão duas vezes em fazê-lo. Como saber se seu cadeado foi aprovado ou não? Cadeados aprovados possuem o símbolo semelhante a um losango vermelho, como na foto.

     

    Como você saberá se sua mala foi aberta ou não? Dentro da mala você encontrará um folheto como esse da foto.


    Dez conselhos para sua primeira viagem a Nova York. Ah não, são Vinte! August 08 2016

    • Não encha muito a mala, você irá voltar com ela cheia. Você pode comprar as coisas aqui e ir usando elas durante a viagem. Traga uma bagagem de mão com o essencial para os primeiros dias, isso porque a bagagem pode ser perdida facilmente.
    • Lembre-se de que as mudanças climáticas de Nova York podem ter efeitos nocivos sobre você, especialmente no verão, o calor úmido do ar-condicionado é um problema. Por isso, traga um agasalho leve que pode ser útil.
    • Compre o CityPass (aquí) ele inclui algumas das principais atrações da cidade, e vai ajudar você a organizar melhor o seu tempo. Visite a Estátua da Liberdade na parte da manhã, não vá até a coroa, não vale a pena. Ao Empire State você pode ir duas vezes, uma vez de manhã e a outra após as 20:00. Não há necessidade de ir até o andar de cima, suba até o 86º andar. Para ir aos museus escolha um dia chuvoso, se houver.
    • Busque sair um pouco da zona da Times Square. Nós oferecemos diferentes passeios por Manhattan. 1) Visita ao Bronx, Queens e Brooklyn (aqui). 2) Passeio por Nova Jersey e Cake Boss (aqui). Esses passeios são uma maneira inteligente de passar algumas horas visitando lugares da maneira que você quiser. Não se esqueça da missa gospel e do Harlem, o coração da cultura afro-americana (tour aqui).
    • De vez em quando, perca-se sem destino por Manhattan.
    • Tente não dormir muito cedo assim você também poderá curtir noite de Nova York. Descanse durante a tarde, tipo das 17:00 às 20:00 ou das 14:00 ás 17:00.
    • Para os show da Broadway existem estandes co ingressos a preços acessíveis na Times Square ou no Battery Park, mas se você quiser ver o mais belo de todos, vá ao espetáculo do Rei Leão, você pode reservá-lo aqui com antecedência.
    • Avalie as possibilidades de passeios de um dia nas cidades próximas, vale a pena sair de Nova York. Conheça Washington, Filadélfia ou Boston (encontre os passeios aqui). Se você tiver dois dias disponíveis, visite Niagara Falls. Evite fazer esse passeio de avião. O espetáculo das quedas a noite seria perdido, e quando o tempo está ruim, o avião não decola e assim, você teria que voltar de ônibus de qualquer maneira.
    • Ônibus sem teto também pode ser uma boa opção para conhecer Manhattan (aqui).
    • Não compre lembranças nas áreas turísticas, Little Italy é um bom lugar para fazer isso a preços excelentes. Antes de comprar um cachorro-quente, sempre pergunte o preço, nunca pague mais de 3 dólares por ele.
    • Se você tiver mais de 21 anos, você não pode perder os terraços panorâmicos (nós temos um passeio fantástico, veja aqui). Se você estiver viajando com crianças, avalie a possibilidade de ir para a Dumbo e veja um panorama fantástico (nós também temos o passeio, veja aqui).
    • Para fazer compras, não vá somente na Macy’s ou Century 21, há muitas lojas na Quinta Avenida, mas se você quiser enlouquecer, vá a um outlet.
    • Não beba cerveja na rua, é proibido. Vocês devem estar pensando que isso é uma coisa absurda, e eu digo a vocês, isso é uma coisa absurda. Mas o que nós achamos não tem poder para mudar a realidade. Se você for pego bebendo na rua, deverá pagar uma multa, sem reclamar, caso contrário, você será preso. Você também pagará multa se passar pelas catracas do metrô sem pagar, ou se fizer xixi na rua. Digo essas três coisas, porque são normais para nós, mas como uma agência de turismo em Nova York é nosso dever conscientizá-los.
    • Passeie pelo Central Park de bicicleta (aqui), é muito impressionante, faça também o passeio de barco pelo lago, é lindo.
    • Se você gosta de arte, tente comprar algo único. A final, o Chelsea Market é uma cooperativa de belos artistas, passeie pelo local.
    • Se você quiser comer uma boa pizza, eu recomendo San Matteo, Ribalta, Song e Napule, Numero 28, Don Antonio, Kesté, Sottocasa. Para uma fatia de pizza de alcachofra. Se preferir uma fatia de pizza a um dólar, recomendo o 2 Bros Pizza. Se você quer um bom prato de massa, eu recomendo Il Salumaio, Amarone e Via della Pace.
    • Para hambúrgueres, eu realmente gosto do Corner Bistro, mas também gosto muito do Shake Shack. Especialmente a que fica localizada dentro do Madison Square Park.
    • Se você quiser uma experiência glamourosa, vá para jantar no Tao Downtown.
    • Para um Brunch, aconselho Sweet Chick no Lower East Side.
    • Não se esqueça de visitar a Roosevelt Island, é realmente fantástica (também temos esse passeio aqui).
    • Se você tiver crianças, o playground de Coney Island é um dever moral.
    • Evite comprar produtos eletrônicos nas lojas próximas a Times Square, vá a uma loja B&H.
    • Dê um passeio durante o pôr do sol na High Line.
    • Venha visitar o nosso escritório, próximo da Times Square (324W 47). Vamos lhe dar nosso chaveiro!

    Descobrindo a Ponte do Brooklyn July 28 2016

     

    Por: Ernesto Manuel Lopez

    Nova York é uma cidade cheia de edifícios emblemáticos que alcançaram fama mundial e admiração por sua beleza, personalidade ou eventos relevantes em seus limites. A arte ajudou a contribuir para o mito e da imagem nova-iorquino, inspirados por cenas de filmes clássicos, fotografias, livros e canções; alimentando o desejo de milhões em todo o mundo, que sonham  um dia visitá-la.

    A ponte do Brooklyn é uma das melhores partes de Nova York. Possui um misto de misticismo e elegância, e exerce um magnetismo sobre toda a cidade, tomando conta da paisagem do East River e de Downtown Manhattan.

    A construção desta obra-prima da engenharia do século XIX foi um dos momentos que marcaram o desenvolvimento urbano, econômico e social de Nova York, na segunda metade do século XIX. Esse grande evento histórico, foi marcado por acontecimentos anedóticos. Até mesmo mortes, antes, durante e após a ponte ser concluída, com algum corajoso ou louco, que tentaram registrar algum tipo de recorde saltando de seu topo.

    A construção começou em 1869, inicialmente projetado pelo imigrante alemão John Augustus Roebling, que teve a infelicidade de sofrer um acidente de trabalho e faleceu antes da obra ser concluída, mas antes ele colocou o seu filho de 32 anos idade, Washington Roebling encarregado do projeto, porém ele deve o mesmo destino do pai, e também sofreu um acidente durante a construção da ponte. Washington era auxiliado por uma mestre de obras que acabou fazendo história, ganhando a reputação de ser a mulher que salvou a construção da ponte do Brooklyn: Emily Warren Roebling.

    Sob a supervisão de seu marido, Emily estudou matemática avançada, cálculos de curvas catenária, especificações de pontes e de toda complexibilidade do estudo de cabos. Ela passou 11 anos auxiliando Washington Roebling, supervisionando a construção da ponte, transmitindo para cada engenheiro a importância do trabalhado, visitando todos os dias obras, traçando o futuro de todas as mulheres engenheiras. Em 24 de maio de 1883 Emily foi a primeira pessoa a atravessar a ponte em um veículo puxado a cavalo. Atualmente, é possível encontrar uma placa em sua homenagem na ponte.

    Construída com inúmeras passagens e compartimentos através de sua fixação, foi visitada pelo prefeito de New York quase 102 anos mais tarde, uma inscrição próxima de um vinícola aos redores da ponte foi achada, ela dizia: "Quem não gosta de vinho, mulheres e música, vai ser um tolo por toda a sua vida".

    A ponte de Brooklyn é um lugar mágico, onde os nova-iorquinos e todos os seus visitantes se apaixonam, é o lugar ideal para se tomar decisões importantes ou apenas para desfrutar da brisa do rio em uma noite de verão. Os "Locks of Love" Cadeados do Amor são uma das práticas dos casais que vão até a ponte, o casal registra a data e as iniciais em um cadeado, fecham o cadeado na ponte e jogam a chave no rio como um sinal de que o seu "amor é eterno". Alguns falam que essa ação já esta causando danos à ponte e já foi considerada oficialmente ilegal em Nova York. De tempos em tempos cadeados são removidos da ponte do Brooklyn, mas a ação praticada por aqueles que estiveram lá nunca será apagada de suas memórias. A emoção e as memórias, junto da grandeza do East River, e a cumplicidade da lua, testemunhando uma alegria que se torna realidade.


    Tudo que você precisa saber sobre o metrô de Nova York July 19 2016

    O Metrô é seguro?

    Claro, é um lugar muito seguro. Você vai entende isso, porque mesmo à noite vai encontrar muitas pessoas sozinhas no metrô, então não se preocupe. Mas quando ele esta cheio, tenha cuidado quando for retirar a carteira do bolso. Não é comum acontecer alguma coisa, mas é bom se precaver.

    Quando o metrô para de funcionar à noite?

    Na verdade, nunca. Ele esta sempre ativo, mesmo após a meia-noite as linhas são reduzidas, e aumenta o tempo de espera.

    Quais são as desvantagens do metrô de Nova York?

    1)Nem todas as paradas são adaptadas a pessoas com deficiência. 2) No verão é muito quente na área de espera do metrô 3) Ao contraio dentro do vagão é muito frio. 4) À noite, como dissemos antes, o tempo de espera aumenta. 5) As indicações são um pouco confusas, mas basta lembrar que quando você tem que ir para o norte, você tem que tomar a direção Uptown, se você tem que ir para o sul tem que ir para Downtown.

    Se eu tirar alguns dias de férias, você acha que devo usar o metro?

    É um transporte rápido, embora às vezes um pouco estressante durante horários de pico. Em todo caso, temos algumas alternativas. 1) Em distâncias pequenas vá a pé. 2) Se você estiver em 3 ou 4 pode usar táxi ou Uber, que irá custar aproximadamente a mesma coisa. 3) E se você estiver de férias e que realmente relaxar, use o pullman hop on hop off. Aqueles ônibus com o teto aberto, coloque seus fones de ouvido e pronto! Relaxe!

    Quanto custa o bilhete?

    O bilhete único custa 2,75 dólares, enquanto o MetroCard custa um dólar, e então você tem que recarrega-lo. Portanto, não o jogue fora após usar. A corrida é considerada quando você passa pelas catracas. Não há bilhetes que vale por um dia, o que você pode fazer é o bilhete semanal de passe ilimitado por 31 dólares, e você também pode usar o ônibus. O bilhete mensal sai por 116,50 dólares. A esta soma deve ser adicionado o custo de US $ 1 do MetroCard.

    Onde comprar o bilhete?

    Você pode comprar em máquinas automáticas que ficam dentro das estações de metrô. Ou, em alguns casos, em um balcão físico.

    Devo fazer o passe semanal ilimitado?

    Acredito que isso você só irá descobrir no final da viagem. Em geral, no entanto, para viagens de uma semana ou cinco dias pode valer a pena, se for uma viagem de apenas 3 ou 4 dias, não.

    Podemos usar um MetroCard para dois?

    Se sua conta não for ilimitada, não. Porque depois que você utiliza o cartão, ele é bloqueado nessa estação por vários minutos. Caso a sua conta seja ilimitada, você não terá problema em partilhar o MetroCard. Um usa, e logo depois o outro pode usar.

    As crianças pagam?

    Até 5/6 anos não. No entanto não existe uma regra precisa para isso. Geralmente olham a altura e se a criança não for alta o suficiente pode passar sob as catracas, então isso significa que você pode com segurança utilizar o serviço sem um bilhete.

    E se a gente entrar sem pagar o bilhete?

    Se você for pego, irá pagar uma multa alta, e pode realmente ter problemas! Eu não arriscaria. Considere que há vários policiais à paisana no metrô. Teoricamente é fácil pular a catraca, mas acho que não vale a pena!

    Não saber Inglês pode ser um problema?

    Às vezes, se houver qualquer alteração ao longo da rota será feito um anúncio em Inglês. Porém, se você não entender, pergunte aos outros, se ninguém conseguir te ajudar, siga as instruções. Pode acontecer de todos terem que sair do vagão, nesse caso isso significa que você também terá que sair. Siga a maioria, você vai acabar se localizando.

    Nova York tem uma boa cobertura de metrô?

    Você pode ir do Bronx a Coney Island. 368 km de metrô não é pouco!

    Como introduzir o cartão nas catracas?

    Basta passar o cartão pela catraca, como nesse vídeo.

     


    Coisas gratuitas para se fazer em Nova York durante o verão July 18 2016

    Por: Mariagrazia De Luca

    deluca.marymary@gmail.com 

    De Segunda a Domingo: Coisas grátis (e divertidas) para fazer durante o verão em NEW YORK CITY!

    Ainda lhe restam alguns dias em Nova York, mas o dinheiro acabou? Não se sinta culpado, isso é bastante comum. Isso aconteceu comigo durante a minha primeira viagem a Nova York. Ok, eu comprei dois ou três pares de Converse, eu fui ver dois musicais, um concerto no Lincoln Center, visitei o MoMA, a Coleção Frick, almocei em uma churrascaria cara, para não mencionar jantares, noite após noite em diferentes restaurantes étnicos. Eu também comprei presentes para a minha mãe, minha tia, meu melhor amigo, o boné dos Yankees para o meu primo (difícil foi o fazer pagar) Presente para o meu amigo de Nova York me hospedou, em suma... Passei metade das minhas férias sem dinheiro. Por este motivo, queridos leitores do Minha Viagem a Nova York, o guia a seguir foi projetado para mantê-los ocupados durante toda a semana, a custo zero. E existem vários eventos gratuitos espalhados pela cidade, especialmente agora no verão. A parte difícil é escolher e, acredite em mim... Você vai se ocupar de segunda a domingo!

     

    Segundas-Feiras

    CINE EN BRYANT PARK

    Cheguem por volta das cinco horas da tarde, com sua cesta de piquenique e uma toalha para colocar sobre a grama do Bryant Park. Assim você vai ter todo o tempo para escolher um bom lugar com uma boa vista para a tela gigante, e do pôr do sol (8:00 ou 9:00), assistindo clássicos inesquecíveis. Olhem a lista de filmes que estão dentro do cronograma de julho. Repetimos: é gratis!

     

    11 de julho: The balm beach story (1942)

    18 de julho: The Omen (1976)

    25 de julho: Three days of the condor (1975)

    Onde: 1065 Avenue of the Americas.

     

    Terças-Feiras

    JARDIM BOTÂNICO do Brooklyn 

    Em cada estação, o Brooklyn Botanic Garden, irá lhe dar a oportunidade de observar diferentes plantas, flores e aromas. Na “summer flower collection”: você irá ver rosas, azaleias, orquídeas e muitas outras espécies. Há também uma seção dedicada às imagens históricas do jardim: durante a primeira metade do século XX, alguns fotógrafos profissionais catalogaram todas as plantas e flores do jardim, dando aos visitantes uma ideia clara sobre a importância do Jardim Botânico para a cidade. Durante o verão, toda terça-feira a entrada é GRÁTIS de 10 a.m. as 5:30 p.m.

    Onde: 900 Washington Avenue, Brooklyn.

     

    Quartas-Feiras

    Todos vão ao ZOO do BRONX 

    Em uma área de mais de 107 hectares, esse é o maior zoológico de Nova York. Tigre siberiano, flamingos, jacaré, urso pardo... São apenas algumas das muitas espécies dos mais de 6.000 animais que o maior Zoológico de Nova York abriga. Desde que foi inaugurado, em 1899, tornou-se uma verdadeira e autêntica instituição de Nova York. Fica aberto de 10 a.m. as 5:00 p.m. É gratuito toda quarta-feira. Nesse dia, geralmente ele fica lotado e, por vezes, observar os animais pode ficar mais complicado do que o habitual.

    Onde: 2300 Southern Boulevard, Bronx

     

    Quintas-Feiras

    Excursão a CHINA 

    Não será uma excursão “física” que você fará para o país mais populoso do mundo, mas uma imersão em sua cultura antiga. Toda quinta-feira de seis às oito horas, você têm a oportunidade de visitar o Instituto Chinês de graça e admirar toda beleza de sua cultura, como sua escrita, artesanato e etc. O museu também é um instituto cultural que oferece aulas de mandarim para adultos e crianças, organiza exibições de filmes e oficinas de leitura sobre a cultura chinesa.

    Esta é uma oportunidade de ouro para você entrar em contato com uma cultura que esta muito presente em Nova York. A China Town de Nova York, é a maior do mundo e a comunidade chinesa é muito grande.

    Onde: 100 Washington Street.

     

    Sextas-Feiras

    MoMa (Museu de Arte Moderna)  ou o Museum of the Moving Image em  (Museu de Imagem e Movimento). No Queens.

    Como muitos sabem, na sexta-feira, o Museu de Arte Moderna de Nova York abre as suas portas gratuitamente a todos os visitantes de 16:00 as 20:00. Um outro móvito para ir visitar o museu é a exposição de Edgar Degas, um dos pais do Expressionismo Francês. É a primeira vez que o MoMA abriga uma exposição individual de Degas, dedicada em particular às obras do pintor francêse o uso de técnicas italianas do século XVII de "monotipia": Edgar Degas, A strange new beauty.

    Onde: 11 West 53 Street.

    Se você é amante do cinema e de todas as artes, então pode optar por uma visita ao Museu da Imagem e Movimento do Queens. É considerado um dos museus mais inovadores e interativos de Nova York. Durante sua visita ao museu, você vai experimentar todas as etapas do “filmaking process”, ou seja, como fazer um filme. Há também objetos que foram usados em mais de 1000 filmes! Vocês também terão a oportunidade de jogar mais de 30 jogos de Arcade (Arcade Classic Exhibit). Todos conhecem Pac-Man né?

    Onde: 36-01 35th Ave.

     

    Sábados

    QUEENS INTERNATIONAL NIGHT MARKET

    Abre aos Finais de semana... É o mercado mais multiétnico de Nova York. Um dia inteiro não é suficiente para visitá-lo completamente e experimentar todas as suas especialidades culinárias. Fica aberto das 18:00 as 00:00 e fica no bairro da “diversidade” o Queens! Rillette de frango ou Japanese Oyaku? Ou talvez vocês prefiram a Samosa do Queens? Se o seu estômago for forte o suficiente, você pode tentar o Balut, um prato autêntico das Filipinas: Ovo de pato de 18 dias.

    Músicos, vendedores e artistas independentes, shows e artesanatos. Você vai encontrar isso e muito mais no QUEENS INTERNATIONAL NIGHT MARKET... Essa é a dica... Se não sabe aonde ir, vá ao mundo inteiro!

    Onde: New York Hall of Science (na esquina entre a 111th Street e a 45th Avenue).

     

    Domingo

    BRONX Rafting

    A coisa mais original que você pode fazer no domingo é certamente dar um passeio pelo rio do Bronx em um barco de madeira feito à mão. Rocking the boat é a empresa responsável pelo passeio irá organizar tudo para você, mais radical ou menos radical... Esse é o destino das pessoas mais aventureiras de Nova York. A partir das 13:00 até as 18:00 você se jogar nas descidas do rio do Bronx no Hunt Point Riverside Park, no cruzamento Edgewater Rd. y Lafayette Ave. Aproveitando a adrenalina do seu passeio.

    Onde: Hunts Point Riverside Park.

     

    Sempre aos Domingos

    GOVERNOR ISLAND

    Ir até a Governors Island é uma obrigação para todos aqueles que viajam no verão para Nova York. Você tem que pegar uma balsa (gratuita) no centro de Manhattan, que irá te deixar nessa pequena ilha. Chegando lá, você vai achar que esta vendo um quadro! Da ilha você vai ver, de fato, toda a floresta de arranha-céus de Nova York... Quando você está em Manhattan você quase se esquece de que esta cercado de cimento, pessoas, barulho e luzes.

    A Governors Island é uma pequena ilha que parece o paraíso! Não há carros, apenas bicicletas. E isso não significa que o lugar seja parado: Verifique a programação on-line de eventos: há festivais, concertos, festas, iniciativas de vários gêneros na ilha.

    Aos domingos (30 de Julho a 20 de Agosto) você pode assistir jogos de beisebol vintage (12:00-16:00). Os jogadores se vestem como no passado, sem luvas e com um uniforme a moda antiga (old fashion) de 1883. Os pais dos Giants!

    Onde: Governor Island, pode-se chegar de Manhattan (Battery Maritime Building, 10 South Street) e do Brooklyn (Pier 6).


    Os estranhos e desconhecidos museus de Nova York July 12 2016

    Por: Mariagrazia De Luca

    deluca.marymary@gmail.com

    Nem todo mundo sabe que Nova York está cheia de museums quase desconhecidos, e eles reservam uma grande surpresa para nós. Alguns são estranhos, como o Museu do elevador, outros intrigantes como o Museu do Sexo. Outros, como o Museu do Gangster, são perfeitos para aprender um pouco mais sobre a história dos EUA.

    Abaixo, você vai encontrar uma contra-lista de museus em Nova York, que tem como objetivo preservar e dar espaço a uma cultura menos mainstream, mas que expressa com igual importância à história de Nova York.

     

    Museum of the American Gangster

    Onde: 80 St. Marks Pl.

    As paredes de todos os ambientes que compõem o Museum of the American Gangster, são repletas de fotos de gangsters como Frank Castello e Meyer Lansky, jornais antigos que narram acontecimentos cruciais com mafiosos como personagens no período da Lei Seca, os projéteis usados durante os massacres cometidos por esses bandidos, e alguns exemplares dos ternos vestidos por Al Capone com todo o estilo Chicago. O museu é acessado passando por um speakeasy (que era um bar onde bebidas alcoólicas eram vendidas ilegalmente durante o tempo da Lei Seca). O museu é pequeno, mas possui muitos objetos e histórias. Uma história que também tem parte importante no desenvolvimento de Nova York.

     

    Morbid Anatomy Museum

    Onde: 424 32nd Ave, Brooklyn

    A morte é o tema do non-profit Morbid Anatomy Museum. Na verdade, a temática é até comum, mas também é fascinante! Se você observa do ponto de vista literário, científico e esotérico, este museu tratar de um tema bem desconfortável. Os objetos encontrados no museu são de vários tipos, esculturas retratando a morte, livros relacionados ao tema, crânios, bichos de pelúcia, moldes de corpos e órgãos humanos, símbolos religiosos, etc. Na biblioteca do Museu frequentemente tem palestras sobre o tema da morte em relação à natureza, anatomia, medicina, etc., onde escritores, professores, artistas e intelectuais estão envolvidos na organização.

    Até a morte, que em certo sentido é o “dark side” da vida, tem sua beleza, tem o seu fascínio e mistério. Esta é a impressão que se tem depois de visitar o Morbid Anatomy Museum.

    Sitehttp://morbidanatomymuseum.org/exhibitions/

     

    Mmuseumm 1, 2

    Onde: 4 Cortland Alley

    Entre os objetos expostos no Mmuseumm 1 talvez o menor museu de Nova York, localizado no interior de um elevador em desuso no coração de Chinatown, um em especial me chamou a atenção: Uma pasta de dentes Colgate, um pente, uma escova de dentes vermelha, um perfume e um desodorizante. Itens de uso pessoal, perdidos no deserto do Arizona, na fronteira entre o México e os Estados Unidos, em 2016.

    Então eu percebi que o Mmuseumm 1 que foi definido como "maravilhoso" pelo The New Yorker, é um lugar único no mundo, uma espécie de microcosmo, onde somos convidados a refletir sobre “what’s going on in the world”. Os objetos estão lá, em sua presença, como um fato irrefutável, como a escova de dente perdida no deserto que de alguma forma se tornou um objeto de arte que interroga o espectador. Olha, este é também o mundo em que vivemos.

    Mmuseumm 2 está localizado ao lado do Mmuseum 1. Este museu, no entanto, é uma miniatura da cidade síria de Aleppo, uma obra feita por um menino sírio de 14 anos de idade. O jovem artista define a obra como “Syria of Tomorrow”. É uma cidade utópica, anos-luz de distância daquilo que hoje esta sendo destruída pela guerra.

     

    The Skyscraper Museum

    Onde: 39 Battery Park

    Por acaso Manhattan não é um museu plein air de arranha-céus? Basta caminhar pelo distrito financeiro que você irá conseguir admirar arranha-céus de todos os tipos: uma floresta real e verdadeira de cimento e vidro!

    Se você é apaixonado por arranha-céus, não pode deixar de visitar o The Skyscraper Museum: Lá você vai obter todas as informações históricas, arquitetônicas e tecnológicas relacionadas aos arranha-céus de Nova York. É fascinante ver como evoluíram os arranha-céus de Nova York no decorrer desses últimos anos. Se você não estiver com tempo para visitar o museu, eu recomendo fazer uma visita ao seu site. Ele oferece um catálogo de todos os arranha-céus de Nova York, descrevendo todas as suas características: Peso, altura, número de pisos, ano de conclusão e etc. Embora à primeira vista possa não parecer, você sabia que muito dos arranha-céus que vemos quando andamos por Nova York ainda não foram definitivamente acabados?

    O museu abriga também amostras interessantes dedicadas ao assunto. Até setembro de 2016 a exposição WOHA rethink cities for the age of global city, com projetos e amostras dos arquitetos Wong Mun Summ e Richard Hassell que relacionam os arranha-céus projetados para combater as alterações climáticas e a densidade populacional: Torres enormes entre a natureza “sky garden”com parques elevados.

    Site: http://www.mmuseumm.com/contact/

     

    The City Reliquary 

    Onde: 370 Metropolitan Avenue, Brooklyn

    É um verdadeiro e autêntico museu cívico, (non profit) sem fins lucrativos, que originalmente era simplesmente a janela do apartamento de um homem, chamado Dave Herman. Dave tinha transformado sua janela em uma vitrine, expondo objetos para todos pudessem ver. A partir da janela do apartamento de Dave Herman, em 2006, o lugar se tornou um museu cívico, tornando-se maior e preenchido com uma variedade incrível de objetos. O presente e o passado de Nova York estão misturados no The City Reliquary... Um lugar rico em histórias Nova-iorquinas!

    É um verdadeiro e autêntico museu cívico, (non profit) sem fins lucrativos, que originalmente era simplesmente a janela do apartamento de um homem, chamado Dave Herman. Dave tinha transformado sua janela em uma vitrine, expondo objetos para todos pudessem ver. Revistas antigas de moda, cartões de Nova York, estátuas da liberdade, modelos de arranha-céus, artesanato de vários tipos, bonecos de jogadores do Giants, bonecas africanas... Objetos que contam a história de Nova York. A partir da janela do apartamento de Dave Herman, em 2006, o lugar se tornou um museu cívico, tornando-se maior e preenchido com uma variedade incrível de objetos. O presente e o passado de Nova York estão misturados no The City Reliquary... Um lugar rico em histórias Nova-iorquinas!

     

    O Museu do Sexo

    Onde: 233 5th Avenue

    Daniel Gluck foi o fundador do museu dedicado à história, evolução e significado da cultura e sexualidade humana, inicialmente ele teve algumas dificuldades impostas do governo para realizar o seu projeto.Na ideia original de Gluck, o museu deveria ser uma instituição sem fins lucrativos, mas isso vetado. Eles responderam: O museu é uma paródia da pornografia, não pode ser considerado um museu (non-profit)sem fins lucrativos!

    A coleção permanente do museu possui mais de 15.000 objetos, incluindo fotografias, vestidos, ternos, objetos de arte, revistas pornográficas vintage e etc. O museu abriga exposições sempre muito originais, abrindo a mente para formas interessantes de ver a sexualidade humana e animal. The sex lives of Animals, é caracterizada por esculturas de animais em relacionamentos amorosos, todas as obras feitas pelo artista Rune Olsen. Parece que a reprodução não é o único propósito do sexo entre os animais, como nós, seres humanos, animais gostam de trocar beijos e carícias. É também muito interessante a exposição Hardcore, century and a half of obsene imagery. Algumas fotografias em exposição vêm de coleções particulares que estavam escondidas por mais de um século... Observando-as podemos ter certeza que os nossos antepassados não eram exatamente santos. Simplesmente, a sexualidade no passado era um tabu, muito porque tinha um difícil acesso, hoje com a internet temos isso em um clique. Entre os objetos expostos temos o guia de bordéis de Nova York, The New York City Brothel Guide, de 1885.

     

    Museu do Elevador

    Onde: 43-39 21st street, Long Island City

    Fundado pelo “The Elevator Historical society”, o Museu do Elevador é um dos mais originais do mundo, e certamente único dentro do seu género. Escrevendo esse artigo, eu aprendi que o museu está fechado há algumas semanas (espero que em breve ele seja reaberto novamente). Na verdade, é difícil para um pequeno museu como este conseguir financiamento que lhe permita sobreviver, o fundador, um homem apaixonado por qualquer coisa que tenha a ver com elevadores, sequer cobra taxa de entrada em seu museu.

    Botões antigos de elevadores, publicidades expostas em elevadores, filmes de VHS com o título de “the elevator”ou a versão britânica “the lift”, pedaços de um elevador da Macy’s,  uniformes de trabalhadores de manutenção de elevadores... Tudo isso pode ser encontrado no Museu. O elevador não é um objeto tão óbvio, como muitos devem imaginar, eles são essenciais nos arranha-céus de Manhattan. Como poderíamos subir até o 86º andar do Empire sem o elevador?


    Aventuras Culinárias em Nova York (Primeira Parte) July 06 2016

    Por: Mariagrazia De Luca

    deluca.marymary@gmail.com

    A descoberta de novas experiências gastronómicas, estranhas, originais e únicas aqui na Big Apple. Esse será o meu objetivo, neste dia ensolarado de julho. Meu transporte será uma bicicleta, o que vai me permite transitar através das ruas de Manhattan, usando as várias ciclovias que os amantes de bicicleta dispõem nessa cidade. Tenho em minhas mãos uma lista de restaurantes que vou visitar e por experiência própria ela não vai ser encontrada em outro lugar, são restaurantes excêntricos, que têm características únicas e que podem ser encontrados somente aqui na cidade de Nova York. A lista é longa, e este artigo é apenas o primeiro episódio...

    Queridos leitores do Minha Viagem a Nova York, por que não discutir e propor outros locais que podem ser protagonistas das minhas próximas viagens de exploração culinária?

     

    Takumi Taco

    Onde: Chelsea Market, 79 9th street.

    Outras sedes: 601 west 26th street; 230 Park Avenue; flea markets (Smorgasburg and Brooklyn Flea).

    Takumi Taco é um restaurante japonês-mexicano. É incrível pensar como duas culturas tão distantes podem ser combinadas de uma maneira tão boa para o seu paladar! É uma 'mistura' típica de culturas nova-iorquinas com resultados surpreendentes. Para começar eu provei o Sakè Sangría, feito com frutas picadas em pedaços pequenos e imersos em licor japonês em vez de vinho. Fresco, refrescante, doce sem ser enjoativo. A bebida perfeita para estes dias quentes do final de junho. Tome cuidado, sem perceber você pode acabar cantando sozinho no restaurante, é difícil perceber, mas o teor alcoólico é muito alto! Na escolha de cervejas japonesas e mexicanas, não pode faltar a Negra Modelo e a Sapporo. Kampà! Salud! Cheers!

    O Takumi Taco nasceu como um street-food, com quiosques de rua nos mercados de pulgas Smorgasburg e Brooklyn Flea. Essa sede fixa do Takumi Taco dá a ideia de um restaurante on-the-go, onde se compra mais pra viagem do que para comer no local. Quando recebi a sangría em uma jara de plástico perguntei "Posso tomar na rua?" pensando sobre a lei que proíbe o consumo de bebidas alcoólicas fora dos restaurantes, o empregado do local fez... "Shhhhh...", e sorriu para mim, mostrando que seria meu cúmplice nessa.

    O símbolo da “culinary fusion” aqui é certamente o Spicy Tuna Tacos (5,75 dólares), foi aqui que México e Japão parecem ter encontrado o casamento perfeito: Sashimi de atum com brócolis, abacate, pepino, sementes de gergelim, rabanete, maionese picante, acompanhado por "gyoza" crisp.

     

    Bar Suzette

    Onde: Chelsea Market, 425 west 15th street

    Esta pequena creperia, que se parece com um quiosque composto por um longo bar cercado por inúmeros frascos de Nutella, está localizado a direita do Takumi Taco, o descobrimos por acaso, e eu tive que colocar em discussão todo o meu conhecimento sobre crepes. Ok, crepe com nutella, chocolate e banana, manteiga e açúcar, e também com presunto e queijo. Mas os crepes do Bar Suzette vão além da imaginação de vocês... No menu há uma grande variedade de “Savory Crepes”, em comparação com os “Sweet Crepes”.

    O cozinheiro da creperia se move de forma incrível, preparando os crepes com muito cuidado pratos muito quentes como um DJ mesclando a sua música. O crepe Huevo Ranchero (US $ 12) é um prato verdadeiramente autentico: Mozarela, ovos orgânicos, abacate, feijão preto e molho picante. Eu não provei o Saigon Chicken (US $ 12), mas me pareceu excelente, um crepe com frango defumado do valle Hudson, molho Hoisin, molho de pimenta, ervas frescas, salada com legumes frescos e limão.

     

    MAX BRENNER

    Onde: 341 Broadway

    No famoso restaurante e bar de chocolate Max Brenner eu tive a experiência de comer a pizza mais achocolatada da minha vida. Para mim pareceu um waffles cobertos com frutas e sorvete de baunilha ou um chocolate quente feito com chocolate que é produzido no próprio restaurante... A pizza de chocolate do Max Brenner é unanimidade quando se fala de chocolate na cidade de Nova York. Basta imaginar uma pizza redonda, aproximadamente do tamanho que estamos acostumados, mas um pouco mais alta coberta com raspas de chocolate branco e leite. Esta é a base, em seguida, você deve personalizar, entre as várias opções (topping): Avelã, manteiga de amendoim e marshmallows torado... Um pedaço de pizza custa (6,50 dólares) e pode ser o suficiente para acalmar até um dependente de chocolate. Se você for com um grupo de amigos, certamente é mais conveniente comprar toda a pizza (17,95 dólares).

    E para beber? Nem pense duas vezes, o Chocolate Martini, que faz parte dos cocktails “Choco Classic” do Max Brenner, é o acompanhamento perfeito para a pizza de chocolate.

     

    S’MAC, Sarita’s Macaroni & Cheese

    Onde: 245 East 12 Street

    Antes de entrar no restaurante S'MAC, eu não achei que poderia haver uma variedade tão grande de Mac&Cheese. No menu S'MAC, que é um pequeno restaurante com design espartano que foi inaugurado a uma década de anos por um jovem casal, Sarita e Caesa Ekya. Existem mais de 10 tipos de Mac&Cheese, ao lado do clássico “All-American” preparado com queijo Cheddar. Minha atenção ficou voltada para o Napoletana Mac&Chesse, explicitamente inspirado na pizza napolitana, que tem como ingredientes: mozzarella fresca, tomates assados, alho e manjericão. No site há um vídeo explicando como preparar o Napoletana Mac&Cheese em casa.

    Perguntei ao funcionário qual foi a mais original, tendo em vista que cada uma dessas variantes do Mac&Cheese foi uma novidade para mim. "Certamente o cubano" e me mostra uma folha exposta no balcão com todos os ingredientes desta invenção de S'MAC. "Nós transformamos o sanduíche cubano em um Mac!" O funcionário me disse com orgulho. "Os ingredientes? queijo suíço, porco marinado em casa, presunto cozido, picles, hortelã fresca e... uma explosão de sabor!"

    Se você estiver na cidade com seu pai no Dia dos Pais (Father’s Day) (19 de Junho), leve-o para o S'MAC: Para ele, o Mac&Cheese será grátis.

     

    THE BLACK ANT

    Onde: 60 2nd Avenue

    Sento-me no restaurante The Black Ant, um dos mais renomados restaurantes de cozinha mexicana de Nova York. Gregory, um jovem mexicano-americano, barman do lugar, me conta como é feito o sal de formigas pretas black ant salt, enquanto se move habilmente entre os  shaker, e garrafas de tequila preparando cocktails elegantes e provocativos . "Prove" ele me diz me entregando uma pequena tigela "Sal de formigas prestas, obviamente é feito com sal, mas também com o açúcar de cana, açúcar regular, chili e formigas pretas tostadas!" Eu observo o sal com um pouco de receio, estico a mão e levo até a boca... Depois de alguns segundos exclamo: "Uau, que sabor!" E imediatamente pedi uma Margarita com sal de formiga preta.

    Eu explico para Gregory que eu não estou com muita fome, mas queria provar algo típico. Quando eu confesso que nunca tinha comido insetos, ele sorri para mim, incrédulo. Fiquei em dúvida entre dois pratos do Black Ant, a Guacamole (abacate, tomate, coentro e sal de formiga preta) e o Croquete de Chapulín (US $ 13), preparado com grilos, mandioca, queijo manchego, alho e pimentão, optei pela segunda opção.

    Qual é a diferença entre comer porco e grilos tostados? Uma amiga me disse, ironicamente, um dia em estávamos falando de comida mexicana, "Para se saciar com grilos você deve comer uma quantidade incrível, no entanto, com o porco, só é preciso comer um." Não há como negar que isso é uma questão de hábitos culturais, a ideia de comer grilos fritos eu confesso que me aterrorizava!

    A apresentação do prato estava impecável. Quatro croquetes de grilo em forma esférica perfeita, repousando sobre a guacamole e um bom grilo tostado descansando sobre uma camada de maionese. Mario, um amigo mexicano que me levou até o The Black Ant, pediu um prato de gafanhotos fritos temperados com sal, limão e pimenta seca. "Isso me faz lembrar o meu país."

    Tenho que contar aos leitores do Minha Viagem a Nova York sobre essa experiência em Nova York. Passei meu Chapulin (croquete de grilo) na maionese... Um dois e três... Comi tudo em uma mordida só! Eu acho que não mastiguei muito, mas eu senti como se tivesse comendo pipoca, com um sabor intenso e agradável que foi único no meu paladar.

    Hoje, neste restaurante mexicano aqui de Nova York, posso afirmar que dei um passo à frente para quebrar minhas barreiras culinárias...


    O que fazer em Nova York no dia 04 de julho July 03 2016

    Por Mariagrazia De Luca

    deluca.marymary@gmail.com

     

    O fatídico 4th of July está chegando, e os Estados Unidos da América vai comemorar seu aniversário 240. Em 4 de julho de 1776, os 56 representantes dos estados norte-americanos, na época da colônia da Coroa britânica finalmente afirmaram sua Declaração de Independência. Esse dia é muito comemorado pelos americanos. Haverá celebrações, eventos, discursos comemorativos, um pouco de tudo. Mas principalmente, haverá fogos de artifício, um espetáculo imperdível, especialmente para aqueles leitores do Minha Viagem a Nova York, que estiverem dia 04 de julho em Nova York.

    Este artigo é dedicado ao melhor "spot" para você desfrutar dos fogos de artifício, e... Os lugares que você deve evitar nesse mesmo momento.

    Primeiro de tudo: Informações gerais sobre o July 4th’s Fireworks.

    Horário de inicio: "After Dark", apenas quando o sol se por, aproximadamente entre 20:00 e 21:00.

    Duração dos fogos:

    30 minutos

    Onde irá acontecer:

    Barcas perto do Pier 17 e East River entre 23° e 37th Street.

     

    BROOKLYN BRIDGE PARK

    É um típico "spot" que os nova-iorquinos e os turistas gostam de ir para ver os fogos de artifício de 4 de Julho. O parque é lindo: E oferece uma "killing view" de Manhattan, tudo vai estar a sua frente, perto de uma obra de arte de 1920, o Jane's Carousel, cuja recente restauração deu nova vida às cores originais da obra. Não cometa o erro que eu cometi no ano passado: sentar-se entre a ponte de Brooklyn e a ponte de Manhattan. Alguns amigos e eu saímos de casa no início da tarde com a melhor das intenções: Encontrar uma localização fantástica, para esperar os fogos, nós sentamos na grama do parque e começamos um tipo de “piquenique”, e depois de horas e horas de espera, os primeiros fogos foram lançados, e com eles a nossa decepção. Os fogos aconteceram à esquerda da ponte do Brooklyn, cujo um pilar estava cobrindo totalmente a nossa vista. As centenas de pessoas que estavam com a gente, achando que teriam uma visão de “primeira fila” ficaram de boca aberta com a situação.

    Em seguida, uma multidão começou a correr desesperadamente, deixando para trás itens pessoais, mas também um monte de lixo na grama, para atravessar a ponte do Brooklyn e conseguir ver os fogos. Nós não fizemos isso, acabamos vendo os fogos a partir da reflexão sobre as janelas de um grande edifício atrás de nós, tentando levar isso tudo de uma forma bem-humorada. No final, esse ponto de vista dos arranha-céus de Manhattan foi excelente, e fez nossa decepção desaparecer!

    Onde: 334 Furman St, Brooklyn

     

    BERRY PARK

    Berry Park: O nome pode enganar, pois não é um parque, mas um Beer garden &Restaurant, localizado em uma rua que lhe dá o nome, 4 Berry Street. No coração do Brooklyn, o Parque Berry é um ponto de encontro para aqueles que gostam de futebol (soccer). O lugar possui telas enormes... Eu me lembro de ter visto no Berry Park a Final da Eurocopa há alguns anos atrás, Itália vs Espanha. Eu não sou um fã de futebol, mas me inflamo quando vejo as partidas. Às vezes parecia que eu estava no Olímpico, eram muitos italianos, embora muitos fossem apenas "simpatizantes da Italy" e era difícil distinguir um do outro. Torcedores de azul estavam em maior numero que os espanhóis... A vitória foi da Espanha, mas...  Todos comemoraram iguais no Berry Park.

    No terraço do Berry Park você consegue ter uma vista deslumbrante de Manhattan e dos fogos de 4 de julho. Você paga 20 dólares e pode entrar a partir de 17:00. Chegue antes do pôr do sol para se divertir com tranquilidade, enquanto você saborear um Daiquiri alla fragola ou uma Pinacolada. Os preços são bons (cerca de US $ 10) e há uma grande variedade de cervejas belgas. A única desvantagem: Ele fica muito cheio.

    Onde: 4 Berry Street, Brooklyn

     

    BROOKLYN HEIGHTS E BROOKLYN PROMENADE

    Você não precisa esperar o 04 de julho para desfrutar de um agradável passeio no Brooklyn Heights ao pôr do sol... Construído em 1950, ao longo da autoestrada Brooklyn Queens, se tornou uma espécie de refúgio da agitação da cidade. Ao norte você consegue ver a ponte do Brooklyn com toda a sua majestade, ao sul, os edifícios antigos do bairro.

    Definitivamente o romantismo do lugar sofre durante o 04 de julho, onde a caminhada se torna complicada pelo lugar estar muito cheio. "First came, first served" essa é a regra: Sendo assim, não deixem para chegar em cima da hora na Brooklyn avenida. Chegando mais cedo você pode aproveitar para fazer um passeio e admirar as construções antigas do Brooklyn Hights propriedades do século 19.

    Onde: Pierrepont Pl., Brooklyn

     

    SOUTH STREET SEAPORT

    O "Historical Distric" of Manhattan, é um bairro um pouco "fora de seu tempo”, com um grande barco à vela, que agora é um museu, estacionado no porto. Foi aqui que a vida dos primeiros Nova-iorquinos começou os primeiros assentamentos de colonos, os primeiros arranha-céus, mercados e etc. Há muitos eventos organizados no Dia da Independência em South Street Port: shows, quiosques culinários, performances (como a de Parson School of Design). E o programa On-line do "Festival of Indipendence".

    Onde: One Seaport Plaza

     

    BROOKLYN GRANGE

    Estamos em Williamsburg, novamente em um terraço com uma vista deslumbrante de Manhattan e dos fogos que vão completar o céu de Nova York. Um verdadeiro evento foi organizado pelo Brooklyn Grange, para comemorar o aniversário dos EUA. Um barbecue stile Southern, com uma banda que vai tocar músicas clássicas americanas... Com muita dança e rios de cerveja do Bronx.

    Onde: 37-18 Northern Blvd, Long Island City

     

    PARCHI MENO BATTUTI

    O Grand Ferry Park (Grand Street próximo ao River street), geralmente não é um dos destinos mais procurados para ver os fogos, mas a visão não é ruim! O parque corresponde à área em que a balsa atracou transportando o burguês de Williamsburg, antes do bairro se tornar parte do Brooklyn.

    Já o, East River State Park (90 Kent Ave), sempre em Williamsburg, tem uma visão ainda melhor, embora o parque não seja muito visitado por turistas. Há muita areia, grandes pedras, e muitos gansos para lhe fazer companhia.

     

    In Congresso... July 4th, 1776

    Portanto, nós, representantes da América no Congresso Geral... Em nome e por autoridade do bom povo destas colônias, publicamos e declaramos solenemente, que estas colônias unidas são e de direito têm de ser, Estados Livres e Independentes; Estão desobrigados de qualquer vassalagem para com a Coroa Britânica, e que todo vínculo político entre elas e o Estado da Grã-Bretanha está e deve ficar totalmente dissolvido; e que, como Estados livres e independentes, têm inteiro poder para declarar a guerra, concluir paz, contratar alianças, estabelecer comércio e praticar todos os atos e ações a que estados independentes têm direito. E em apoio desta declaração, plenos de firme confiança na proteção da Divina Providência, que mutuamente se comprometem nossas vidas, nossos produtos, e nossa sagrada honra.

    [Na sequência seguem as assinatura dos representantes dos 56 Estados]


    Viaje dentro da Little Italy, no bairro que está sendo engolido pela Chinatown June 25 2016

    Texto e fotos de Luca Marfé

    Facebook: Luca Marfé Photography - Twitter: @marfeluca - Instagram: @lucamarfe

    O verdadeiro ponto de partida é: o que resta da Little Italy? E o mais importante: o que resta dos verdadeiros italianos? O bairro histórico de Nova York, na verdade, foi "devorado" pela expansão do SoHo por um lado, e o dinheiro dos novos ricos da Chinatown do outro.

    Os novos ricos, em particular, adquiriram muitas propriedades locais e diversificadas, ampliando significativamente os limites do seu território à custa da "Little Italy", que perdeu bastante espaço. Basta conversar com qualquer italiano dali para descobrir alguns dos problemas com as comunidades ao redor e como os italianos estão se sentido, de alguma forma, "invadidos". Mas voltando ao ponto de partida: então o que resta? Não há muito a dizer. Na verdade, há muito pouco. No entanto, esse pouco vale a pena ser vivido. A área é um quadrado "estranho" entre Broome, Lafayette, Bowery e Canal Street. E é na Canal Street, que você deve ir, se chegar de metrô (linhas 4, 6, J e Z).  Comece o passeio e desfrutando dos sinais escritos em italiano, a “street art” espalhada por todo lugar (tem grafite e muitas outras) e os jovens que trabalham em restaurantes, entre uma piada e outra, feita em dialeto, vão tentar convencer você e entrarem em seus restaurantes. No fundo, a Little Italy é tudo isso. Esse calor italiano que por um momento, não importa a distância, vai lhe dar a ilusão de estar na Itália.

    Entre meus favoritos, Gennaro. Por quê? Bem, além de ter um menu variado e ser relativamente acessível, Gennaro é simplesmente um mito. Você vai encontrá-lo na parte de fora, com os braços cheios de tatuagens e um chapéu inconfundível em sua cabeça. E sim, ele vai ser um daqueles que fará de tudo para convencê-lo a se sentar em uma mesa em seu restaurante.

    Uma das paradas históricas e culturais que não podem ser perdidas é o Italian American Museum. Localizado na 155 Mulberry Street, que é a principal rua do bairro. Não é um museu como o tradicional, mas é uma espécie de armazém cheio de relíquias, que permite você mergulhar na vida passada dos italianos nesta parte do mundo. Você precisará comprar um ingresso (US $ 7), mas se você ama o passado, esse passeio realmente vale a pena. E também, é bom pensar que esse "coração" italiano pode continuar a existir, graças a essas doações.

    Para fechar, temos duas "pérolas", ambas um pouco fora da rota turística central mais visitada. O primeiro é delicioso, uma verdadeira joia: é a Elizabeth Street Gallery (209 Elizabeth St.), uma galeria a céu aberto, um jardim encantado, onde as pessoas se encontram para folhear um livro, compartilharem uma paixão pela yoga ou cultivar pequenos pedaços de terra disponíveis para as pessoas que apoiam o projeto. Ele não tem muito a ver com o patrimônio cultural italiano, mas está muito perto e não pode ser desperdiçado. Emocionante.

    O segundo lugar é o mais importante, especialmente se você considerar as pessoas com bom gosto. Este é o restaurante Emilio’s Ballato, que pode ser alcançado a pé em poucos minutos, ele está no número 55 E na Hudson Street. Emilio é italiano e muito orgulhoso disso. Está a aqui há muito tempo e é uma verdadeira lenda no bairro.  Não só entre os italianos. Na verdade, ele é um amigo próximo da metade de Hollywood, e por este lugar já passou todo tipo de pessoa. Dê uma olhada nessas fotos, uma pequena exposição na parede, e você irá compreender. Quando se fala de comida, qualquer palavra seria supérflua. Eu, particularmente, experimentei as massas, e eu não vejo a hora de voltar a comer lá. Entende-se que os italianos da "velha escola" não gostam muito, mas ele insiste em dizer que é o melhor de todos nos Estados Unidos.


    Venha junto com a gente até Soho, entre seus restaurantes e boutiques June 24 2016

    Texto e fotos de Luca Marfé

    Facebook:  Luca Marfé Photography- Twitter:  @marfeluca - Instagram: @lucamarfe

    SoHo: South of Houston Street. Vamos começar do começo: o bairro mais cool de Nova York. Alguns anos atrás essa área hospedava antigas fábricas e lojas, mas hoje é o templo da moda e das celebridades. Rihanna, Leonardo Di Caprio e Justin Bieber, só para citar alguns que são residentes dessa parte da cidade.

    Para conhecemos os seus limites, estamos falando de uma área bem grande, ao sul da Houston Street, que se estende até a Crosby Street com 6th Avenue, respectivamente, East, West, e Canal Streetna estão a sua frente. Mas, para dizer a verdade, SoHo está continuamente se expandindo, mês após mês e de alguma forma "devorando" suas fronteiras com os bairros ao seu redor, incluindo a Little Italy.

    Esse avanço não é só de lojas e das grandes marcas, mas também de galerias de arte e loft de todos os tipos. A nova fronteira do mercado residencial de luxo de Nova York passa por aqui, além dos grandes arranha-céus de Midtown.

    Vá até o lendário metrô de Nova York (linha verde local, 6) e saia na Spring Street. Assim que você sair do metrô, já pode fazer a sua primeira parada: Joe & the Juice. Diversos sabores de suco, vários tipos de croissants e um café premium, porém a "jóia" do local vai para os amantes de fotografia: Uma máquina automática que você pode tirar quantas polaroides quiser, a cores ou preto e branco, deixando uma dedicatória aos amigos locais e para levar com você como uma boa lembrança impressa, como se fazia antigamente. Uma ideia grátis e muito divertida do lugar. Cheeeese!

    Depois de recarregar as "baterias" vamos até a grande Spring Street. O paraíso das compras! É inútil fazer uma lista com as grandes marcas que vamos encontrar entre a Spring e a West Broadway por uma razão muito simples: Todas as marcas estão aqui! A loja da Diesel é muito bonita, é caracterizada por uma alma urbana e casual como a loja da marca Benetton. Por outro lado, as lojas da Chanel e Empório Armani são mais elegantes. Mas não vamos nos limitar a ver as marcas, porque vamos percorrer lugares incríveis, cheios de arte e estilo. Vamos ver produtos artesanais da mais alta qualidade! Olhe com atenção para a AUrate, e a “hogar” elas tem uma maneira completamente nova de se fazer joias. É um lugar lindo de ladrilhos brancos, aberto e animado. E o que dizer das galerias... Para aqueles que assim como são apaixonados por fotografia, não pode deixar de visitar a Rotella Gallery (sempre na West Broadway). Sem contar que você pode estar caminhando ao ar livre e ser surpreendido por diversos tipos de autenticas obras-primas que ficam em exibição pelas ruas: Desde as fachadas dos edifícios a diferentes tipos de vans dos anos 60. Porém, acima disso tudo, para mim esta o Studio Art Street (esquina da Spring com a Wooster Street) de Esin Kosoglu. Não deixem de prestar muita atenção nas suas fotos.

    Cientistas renomados argumentam que ir as compras é a melhor maneira de queimar calorias. Para aqueles que “duvidam”, é só pensar que após comprar não podemos fazer nada, a não ser correr e trabalhar mais para recuperar o que gastamos. O grande clássico desta área talvez seja o restaurante Balthazar, um famoso e popular restaurante francês dessa região, para o qual eu recomendo que você faça reservas com bastante antecedência. No entanto, o barulho do lugar e os preços elevados o excluem dos meus favoritos.

    Por outro lado, um verdadeiro motivo de orgulho é a “joia” siciliana Piccola Cucina. Ele está localizado no número 196 na Spring Street. É conduzida com paixão e a simpatia contagiante de Philip Guardione. Vocês vão o reconhecer imediatamente por causa do chapéu típico de sua terra que ele usa, e especialmente pelo toque incrível que ele dá aos seus pratos. Tudo aqui é divino! Adorei o linguine com lagosta (pena que fotos ainda não possam reproduzir as fragrâncias e os sabores!), porém o que me deixou fascinado foi o talharim com ouriços do mar. Eu nunca fui apaixonado por doces, mas quando vi o cannoli caseiro me rendi a ele, independentemente de qualquer tentativa de dieta. Ele estava incrível! Devo ressaltar toda bondade da equipe, que merece uma menção especial: O chef Benedetto Biascquino (e seu amigo, Benny) e todos os outros: Paolo, Antonio, Luigi, Alfio e Misha. Neste caso, eu recomendo fazer reservas. Se por acaso você for ao restaurante para um almoço de segunda a sexta-feira, pode começar a sorrir, pois os preços do menu de almoço são excelentes! Para o jantar e durante o fim de semana, os preços sobem um pouco, mas continuam modestos, especialmente considerando essa área. Durante o verão, tentem escolher uma mesa do lado de fora e aproveitem a paisagem das ruas de SoHo.