Notizie, curiosita',aneddoti, e fantasie su New York – tagged "Independência" – Minha Viagem a Nova York Google+

Autenticamente Nova York

O lindo passeio pelo High Line September 01 2016

Por: Mariagrazia De Luca

 deluca.marymary@gmail.com

E pensar que em 1999 estavam para demolir o resto da antiga linha ferroviária que em 2009, tornou-se, graças às constantes batalhas da associação Friends of the High Line, se tornou um dos mais belos e dinâmicos parques de Nova York.

Os restos ferroviários faziam parte do West Side Elevated Highway, que foi construído no início dos anos de 1900 para substituir a estrada de ferro que antigamente corria no nível da rua. Por causa da grande quantidade de acidentes que estvam acontecendo entre o tráfego local e o ferroviário, a 10th Avenue foi apelidada de "Death Avenue". Esse certamente não é o maior parque da cidade, não tem grandes lagos ou uma área com muita grama verde, onde você pode fazer um piquenique, como Central Park. Você também não pode andar de bicicleta no High Line bem porque é proibido o uso de bicicletas nesse parque.

O High Line é um lugar mágico por outras razões: Ele foi construído sobre os trilhos da antiga ferrovia, e o parque também oferece uma vista espetacular! Com o Rio Hudson de um lado e do outro ... o Empire e todos os outros edifícios históricos e modernos de downtown e Midtown, alguns visto de longe outros de perto durante a sua caminhada de quase dois quilômetros e meio do Meatpacking District até as ruas do Chelsea. Vocês vão passar ao lado do Standard Hotel, vai dar para ver as suítes e os seus hóspedes, alimentando o sonho de um dia ser você hospedado em uma das suítes de luxo desse hotel incrível. Nunca diga nunca, especialmente em Nova York. Caminhando pelo High Line podemos sentir o coração de Nova York batendo.

Informações sobre o High Line Park

Como chegar ao High Line

O High Line se estende ao longo de treze ruas, desde a Gansevoort Street (na metade do Meatpacking District) até a West 34th Street (entre 10th e a 12th Avenue).

Horário de abertura:

Embora durante os meses de inverno, o parque feche antes do pôr do sol, durante o verão, o parque fica aberto das 07:00 até as 23:00 horas.

Como se entra no parque?

Por elevadores: 14th, 16th, 23rd, 30th, 34th e na Gansevoort Street.

Por escadas: 18th, 20th, 26th, 28th, 30th street e 11th Avenue. 

Razões que fazem valer a pena visitar o parque

Há muitas razões para ir visitar o High Line, especialmente durante o verão, quando o parque fecha mais tarde do que o habitual, e as flores ganham mais cores e ficam mais brilhantes cercadas dos restos da antiga ferrovia que ainda são visíveis de algumas partes do parque... Enquanto vários artistas buscam nos entreter com suas apresentações originais, ao nosso nos vemos rodeados por instalações, muitas vezes excêntricas, que provocam o pensamento crítico e tornam o parque um lugar único onde a arte, a poesia e a paisagem industrial, histórica e natural se reúnem de forma surpreendente, talvez isso represente a harmonia de Nova Yorker.

As obras de arte

 

Ao caminhar pelo High Line, você vai encontrar obras de arte que vão deixá-lo com a boca aberta. Pelo menos isso aconteceu comigo quando eu conheci o Sleepwalker. Um homem de cueca andando com os olhos fechados e os braços para a frente como um verdadeiro sonambulo. "Eu não posso acreditar em meus olhos!" E só quando eu estava perto o suficiente, eu descobri que não era um homem de carne e osso, mas uma obra de arte "hiper-realista" feita pelo artista americano Tony Martelli. "Este é um parque único, o High Line é único no mundo!" O artista Giorgio Andreotta Calò, também exibe suas obras de arte no parque elevado. Há uma obra de arte muito original, o Wanderlust: São barras de latão finas inseridas entre as placas de linha de alta pavimento com nomes de personagens que viajaram por toda a América a pé. O trabalho foi inspirando por Peace Pilgrim, um ativista político que durante o século passado atravessou o país... 20 vezes!

Hoje cada artista que apresenta seus trabalhos na High Line refere-se ao projeto chamado "Wanderlust", que tem como tema central: O caminhar, a viagem, e a peregrinação.

Ver as estrelas do High Line

É gratuito e acontece toda terça-feira (até outubro) a partir do anoitecer até o fechamento do parque. O parque coloca a disposição dos visitantes telescópios profissionais, de onde você será capaz de apreciar as estrelas na companhia da Amateur Astrogy Association of NY. Em Nova York também é possível ver as estrelas de perto. O que vocês acham?

Dançar no High Line

Salsa, merengue e bomba são apenas alguns dos ritmos que é possível dançar dia 03 de agosto no High Line parque, na companhia de Aurora Flores e Zan del Barrio, dançarinos profissionais de Nova York. Algumas das bandas mais "hot" da cidade participam deste evento de dança, chamado de “¡Arriba!”.

Esportes

Se vocês gostam de esportes delicados (meditação) ou mais combatíveis (Tai Chi), você pode ter a experiência de algumas aulas gratuitas no High Line, toda terça-feira de manhã: Meditação, de 8 as 9. Tai Chi ( primeiro nível) 9:30 as 10:30.

Os evento do verão: O High Line se ilumina!

Já marquei na minha agenda eu não quero perder este evento incrível no High Line. Você também não deve perder, visite o site do High Line e faça o seu registro (Up Late, June 21st), é de graça, mas o número de bilhetes é limitado. http://www.thehighline.org/activities/up-late

E acima de tudo, lembre-se de chegar cedo. Como em muitos eventos gratuitos, nesse se aplica a regra do "primeiro a chegar, primeiro a ser servido", em outras palavras, há um risco de que o parque fique lotado rapidamente e você pode acabar ficando de fora. Então: Quinta-feira, 12 de julho de 22:00 à meia-noite o High Line será preenchido com apresentações nova-iorquinas de artistas excepcionais, alguns de renome internacional.

Blood Illumination é um dos mais interessantes e controversos. Na verdade, o artista Nova-iorquino Jordan Eagles usa o sangue como fonte primária de sua arte, geralmente ele usa sangue de animais, mas também faz uso do humano (como para Blood Mirror). As obras de Eagles são como uma provocação, como em 2014, o artista organizou um protesto contra a proibição de doação de sangue por homossexuais. Ele construiu obras de arte com o sangue de 9 homens, entre eles gays e transgêneros famosos. A obras de sangue contendo elementos orgânicos foi possível graças a um tratamento feito com resina que fazem as obras serem impressionantes, especialmente quando iluminadas na transparência por feixes de luz. As obras de Eagles tem a capacidade de interferir em nos mesmos, de forma profunda, íntima, visceral, difícil de colocar em palavras, mas que causam arrepios. Elas nos lembram de que somos feitos, a materialidade do sangue que nos mantém vivos: corpóreo, tangível, mas também como um elemento misterioso.

Durante o mês de agosto outros artistas vão invadir o High Line, como o corpo de dança Blanche Performance do Brooklyn. Os dançarinos quebram todas as barreiras entre o público e a arte, com um show interativo e surpreendente. Shadoah Goldman, o fundador da Carte Blanche, além de bailarino é um mestre de Shiatsu e um grande hipnotizador. O que mais podemos esperar desse espetáculo incrível?

O artista Merche Blasco também merece uma atenção especial, ele é um artista interdisciplinar que cria música eletrônica com instrumentos extremamente originais. Temos também a exibição do documentário Jackie 60: o filme, mostra todos os segredos das noites transgressivas da boate de Nova York Meatpacking 90.

Próximo ao High Line

Chelsea Market, Hudson River Park, Highline Ballroom (clube de música ao vivo), Chelsea Piers (um dos maiores complexos desportivos de Nova York), Whitney Museum of America, The Standard Biergarten (bar que pertence ao Standard Hotel, onde se pode provar um numero incrível de cervejas alemãs). 

 


Aventuras Culinárias em Nova York (Primeira Parte) July 06 2016

Por: Mariagrazia De Luca

deluca.marymary@gmail.com

A descoberta de novas experiências gastronómicas, estranhas, originais e únicas aqui na Big Apple. Esse será o meu objetivo, neste dia ensolarado de julho. Meu transporte será uma bicicleta, o que vai me permite transitar através das ruas de Manhattan, usando as várias ciclovias que os amantes de bicicleta dispõem nessa cidade. Tenho em minhas mãos uma lista de restaurantes que vou visitar e por experiência própria ela não vai ser encontrada em outro lugar, são restaurantes excêntricos, que têm características únicas e que podem ser encontrados somente aqui na cidade de Nova York. A lista é longa, e este artigo é apenas o primeiro episódio...

Queridos leitores do Minha Viagem a Nova York, por que não discutir e propor outros locais que podem ser protagonistas das minhas próximas viagens de exploração culinária?

 

Takumi Taco

Onde: Chelsea Market, 79 9th street.

Outras sedes: 601 west 26th street; 230 Park Avenue; flea markets (Smorgasburg and Brooklyn Flea).

Takumi Taco é um restaurante japonês-mexicano. É incrível pensar como duas culturas tão distantes podem ser combinadas de uma maneira tão boa para o seu paladar! É uma 'mistura' típica de culturas nova-iorquinas com resultados surpreendentes. Para começar eu provei o Sakè Sangría, feito com frutas picadas em pedaços pequenos e imersos em licor japonês em vez de vinho. Fresco, refrescante, doce sem ser enjoativo. A bebida perfeita para estes dias quentes do final de junho. Tome cuidado, sem perceber você pode acabar cantando sozinho no restaurante, é difícil perceber, mas o teor alcoólico é muito alto! Na escolha de cervejas japonesas e mexicanas, não pode faltar a Negra Modelo e a Sapporo. Kampà! Salud! Cheers!

O Takumi Taco nasceu como um street-food, com quiosques de rua nos mercados de pulgas Smorgasburg e Brooklyn Flea. Essa sede fixa do Takumi Taco dá a ideia de um restaurante on-the-go, onde se compra mais pra viagem do que para comer no local. Quando recebi a sangría em uma jara de plástico perguntei "Posso tomar na rua?" pensando sobre a lei que proíbe o consumo de bebidas alcoólicas fora dos restaurantes, o empregado do local fez... "Shhhhh...", e sorriu para mim, mostrando que seria meu cúmplice nessa.

O símbolo da “culinary fusion” aqui é certamente o Spicy Tuna Tacos (5,75 dólares), foi aqui que México e Japão parecem ter encontrado o casamento perfeito: Sashimi de atum com brócolis, abacate, pepino, sementes de gergelim, rabanete, maionese picante, acompanhado por "gyoza" crisp.

 

Bar Suzette

Onde: Chelsea Market, 425 west 15th street

Esta pequena creperia, que se parece com um quiosque composto por um longo bar cercado por inúmeros frascos de Nutella, está localizado a direita do Takumi Taco, o descobrimos por acaso, e eu tive que colocar em discussão todo o meu conhecimento sobre crepes. Ok, crepe com nutella, chocolate e banana, manteiga e açúcar, e também com presunto e queijo. Mas os crepes do Bar Suzette vão além da imaginação de vocês... No menu há uma grande variedade de “Savory Crepes”, em comparação com os “Sweet Crepes”.

O cozinheiro da creperia se move de forma incrível, preparando os crepes com muito cuidado pratos muito quentes como um DJ mesclando a sua música. O crepe Huevo Ranchero (US $ 12) é um prato verdadeiramente autentico: Mozarela, ovos orgânicos, abacate, feijão preto e molho picante. Eu não provei o Saigon Chicken (US $ 12), mas me pareceu excelente, um crepe com frango defumado do valle Hudson, molho Hoisin, molho de pimenta, ervas frescas, salada com legumes frescos e limão.

 

MAX BRENNER

Onde: 341 Broadway

No famoso restaurante e bar de chocolate Max Brenner eu tive a experiência de comer a pizza mais achocolatada da minha vida. Para mim pareceu um waffles cobertos com frutas e sorvete de baunilha ou um chocolate quente feito com chocolate que é produzido no próprio restaurante... A pizza de chocolate do Max Brenner é unanimidade quando se fala de chocolate na cidade de Nova York. Basta imaginar uma pizza redonda, aproximadamente do tamanho que estamos acostumados, mas um pouco mais alta coberta com raspas de chocolate branco e leite. Esta é a base, em seguida, você deve personalizar, entre as várias opções (topping): Avelã, manteiga de amendoim e marshmallows torado... Um pedaço de pizza custa (6,50 dólares) e pode ser o suficiente para acalmar até um dependente de chocolate. Se você for com um grupo de amigos, certamente é mais conveniente comprar toda a pizza (17,95 dólares).

E para beber? Nem pense duas vezes, o Chocolate Martini, que faz parte dos cocktails “Choco Classic” do Max Brenner, é o acompanhamento perfeito para a pizza de chocolate.

 

S’MAC, Sarita’s Macaroni & Cheese

Onde: 245 East 12 Street

Antes de entrar no restaurante S'MAC, eu não achei que poderia haver uma variedade tão grande de Mac&Cheese. No menu S'MAC, que é um pequeno restaurante com design espartano que foi inaugurado a uma década de anos por um jovem casal, Sarita e Caesa Ekya. Existem mais de 10 tipos de Mac&Cheese, ao lado do clássico “All-American” preparado com queijo Cheddar. Minha atenção ficou voltada para o Napoletana Mac&Chesse, explicitamente inspirado na pizza napolitana, que tem como ingredientes: mozzarella fresca, tomates assados, alho e manjericão. No site há um vídeo explicando como preparar o Napoletana Mac&Cheese em casa.

Perguntei ao funcionário qual foi a mais original, tendo em vista que cada uma dessas variantes do Mac&Cheese foi uma novidade para mim. "Certamente o cubano" e me mostra uma folha exposta no balcão com todos os ingredientes desta invenção de S'MAC. "Nós transformamos o sanduíche cubano em um Mac!" O funcionário me disse com orgulho. "Os ingredientes? queijo suíço, porco marinado em casa, presunto cozido, picles, hortelã fresca e... uma explosão de sabor!"

Se você estiver na cidade com seu pai no Dia dos Pais (Father’s Day) (19 de Junho), leve-o para o S'MAC: Para ele, o Mac&Cheese será grátis.

 

THE BLACK ANT

Onde: 60 2nd Avenue

Sento-me no restaurante The Black Ant, um dos mais renomados restaurantes de cozinha mexicana de Nova York. Gregory, um jovem mexicano-americano, barman do lugar, me conta como é feito o sal de formigas pretas black ant salt, enquanto se move habilmente entre os  shaker, e garrafas de tequila preparando cocktails elegantes e provocativos . "Prove" ele me diz me entregando uma pequena tigela "Sal de formigas prestas, obviamente é feito com sal, mas também com o açúcar de cana, açúcar regular, chili e formigas pretas tostadas!" Eu observo o sal com um pouco de receio, estico a mão e levo até a boca... Depois de alguns segundos exclamo: "Uau, que sabor!" E imediatamente pedi uma Margarita com sal de formiga preta.

Eu explico para Gregory que eu não estou com muita fome, mas queria provar algo típico. Quando eu confesso que nunca tinha comido insetos, ele sorri para mim, incrédulo. Fiquei em dúvida entre dois pratos do Black Ant, a Guacamole (abacate, tomate, coentro e sal de formiga preta) e o Croquete de Chapulín (US $ 13), preparado com grilos, mandioca, queijo manchego, alho e pimentão, optei pela segunda opção.

Qual é a diferença entre comer porco e grilos tostados? Uma amiga me disse, ironicamente, um dia em estávamos falando de comida mexicana, "Para se saciar com grilos você deve comer uma quantidade incrível, no entanto, com o porco, só é preciso comer um." Não há como negar que isso é uma questão de hábitos culturais, a ideia de comer grilos fritos eu confesso que me aterrorizava!

A apresentação do prato estava impecável. Quatro croquetes de grilo em forma esférica perfeita, repousando sobre a guacamole e um bom grilo tostado descansando sobre uma camada de maionese. Mario, um amigo mexicano que me levou até o The Black Ant, pediu um prato de gafanhotos fritos temperados com sal, limão e pimenta seca. "Isso me faz lembrar o meu país."

Tenho que contar aos leitores do Minha Viagem a Nova York sobre essa experiência em Nova York. Passei meu Chapulin (croquete de grilo) na maionese... Um dois e três... Comi tudo em uma mordida só! Eu acho que não mastiguei muito, mas eu senti como se tivesse comendo pipoca, com um sabor intenso e agradável que foi único no meu paladar.

Hoje, neste restaurante mexicano aqui de Nova York, posso afirmar que dei um passo à frente para quebrar minhas barreiras culinárias...


O que fazer em Nova York no dia 04 de julho July 03 2016

Por Mariagrazia De Luca

deluca.marymary@gmail.com

 

O fatídico 4th of July está chegando, e os Estados Unidos da América vai comemorar seu aniversário 240. Em 4 de julho de 1776, os 56 representantes dos estados norte-americanos, na época da colônia da Coroa britânica finalmente afirmaram sua Declaração de Independência. Esse dia é muito comemorado pelos americanos. Haverá celebrações, eventos, discursos comemorativos, um pouco de tudo. Mas principalmente, haverá fogos de artifício, um espetáculo imperdível, especialmente para aqueles leitores do Minha Viagem a Nova York, que estiverem dia 04 de julho em Nova York.

Este artigo é dedicado ao melhor "spot" para você desfrutar dos fogos de artifício, e... Os lugares que você deve evitar nesse mesmo momento.

Primeiro de tudo: Informações gerais sobre o July 4th’s Fireworks.

Horário de inicio: "After Dark", apenas quando o sol se por, aproximadamente entre 20:00 e 21:00.

Duração dos fogos:

30 minutos

Onde irá acontecer:

Barcas perto do Pier 17 e East River entre 23° e 37th Street.

 

BROOKLYN BRIDGE PARK

É um típico "spot" que os nova-iorquinos e os turistas gostam de ir para ver os fogos de artifício de 4 de Julho. O parque é lindo: E oferece uma "killing view" de Manhattan, tudo vai estar a sua frente, perto de uma obra de arte de 1920, o Jane's Carousel, cuja recente restauração deu nova vida às cores originais da obra. Não cometa o erro que eu cometi no ano passado: sentar-se entre a ponte de Brooklyn e a ponte de Manhattan. Alguns amigos e eu saímos de casa no início da tarde com a melhor das intenções: Encontrar uma localização fantástica, para esperar os fogos, nós sentamos na grama do parque e começamos um tipo de “piquenique”, e depois de horas e horas de espera, os primeiros fogos foram lançados, e com eles a nossa decepção. Os fogos aconteceram à esquerda da ponte do Brooklyn, cujo um pilar estava cobrindo totalmente a nossa vista. As centenas de pessoas que estavam com a gente, achando que teriam uma visão de “primeira fila” ficaram de boca aberta com a situação.

Em seguida, uma multidão começou a correr desesperadamente, deixando para trás itens pessoais, mas também um monte de lixo na grama, para atravessar a ponte do Brooklyn e conseguir ver os fogos. Nós não fizemos isso, acabamos vendo os fogos a partir da reflexão sobre as janelas de um grande edifício atrás de nós, tentando levar isso tudo de uma forma bem-humorada. No final, esse ponto de vista dos arranha-céus de Manhattan foi excelente, e fez nossa decepção desaparecer!

Onde: 334 Furman St, Brooklyn

 

BERRY PARK

Berry Park: O nome pode enganar, pois não é um parque, mas um Beer garden &Restaurant, localizado em uma rua que lhe dá o nome, 4 Berry Street. No coração do Brooklyn, o Parque Berry é um ponto de encontro para aqueles que gostam de futebol (soccer). O lugar possui telas enormes... Eu me lembro de ter visto no Berry Park a Final da Eurocopa há alguns anos atrás, Itália vs Espanha. Eu não sou um fã de futebol, mas me inflamo quando vejo as partidas. Às vezes parecia que eu estava no Olímpico, eram muitos italianos, embora muitos fossem apenas "simpatizantes da Italy" e era difícil distinguir um do outro. Torcedores de azul estavam em maior numero que os espanhóis... A vitória foi da Espanha, mas...  Todos comemoraram iguais no Berry Park.

No terraço do Berry Park você consegue ter uma vista deslumbrante de Manhattan e dos fogos de 4 de julho. Você paga 20 dólares e pode entrar a partir de 17:00. Chegue antes do pôr do sol para se divertir com tranquilidade, enquanto você saborear um Daiquiri alla fragola ou uma Pinacolada. Os preços são bons (cerca de US $ 10) e há uma grande variedade de cervejas belgas. A única desvantagem: Ele fica muito cheio.

Onde: 4 Berry Street, Brooklyn

 

BROOKLYN HEIGHTS E BROOKLYN PROMENADE

Você não precisa esperar o 04 de julho para desfrutar de um agradável passeio no Brooklyn Heights ao pôr do sol... Construído em 1950, ao longo da autoestrada Brooklyn Queens, se tornou uma espécie de refúgio da agitação da cidade. Ao norte você consegue ver a ponte do Brooklyn com toda a sua majestade, ao sul, os edifícios antigos do bairro.

Definitivamente o romantismo do lugar sofre durante o 04 de julho, onde a caminhada se torna complicada pelo lugar estar muito cheio. "First came, first served" essa é a regra: Sendo assim, não deixem para chegar em cima da hora na Brooklyn avenida. Chegando mais cedo você pode aproveitar para fazer um passeio e admirar as construções antigas do Brooklyn Hights propriedades do século 19.

Onde: Pierrepont Pl., Brooklyn

 

SOUTH STREET SEAPORT

O "Historical Distric" of Manhattan, é um bairro um pouco "fora de seu tempo”, com um grande barco à vela, que agora é um museu, estacionado no porto. Foi aqui que a vida dos primeiros Nova-iorquinos começou os primeiros assentamentos de colonos, os primeiros arranha-céus, mercados e etc. Há muitos eventos organizados no Dia da Independência em South Street Port: shows, quiosques culinários, performances (como a de Parson School of Design). E o programa On-line do "Festival of Indipendence".

Onde: One Seaport Plaza

 

BROOKLYN GRANGE

Estamos em Williamsburg, novamente em um terraço com uma vista deslumbrante de Manhattan e dos fogos que vão completar o céu de Nova York. Um verdadeiro evento foi organizado pelo Brooklyn Grange, para comemorar o aniversário dos EUA. Um barbecue stile Southern, com uma banda que vai tocar músicas clássicas americanas... Com muita dança e rios de cerveja do Bronx.

Onde: 37-18 Northern Blvd, Long Island City

 

PARCHI MENO BATTUTI

O Grand Ferry Park (Grand Street próximo ao River street), geralmente não é um dos destinos mais procurados para ver os fogos, mas a visão não é ruim! O parque corresponde à área em que a balsa atracou transportando o burguês de Williamsburg, antes do bairro se tornar parte do Brooklyn.

Já o, East River State Park (90 Kent Ave), sempre em Williamsburg, tem uma visão ainda melhor, embora o parque não seja muito visitado por turistas. Há muita areia, grandes pedras, e muitos gansos para lhe fazer companhia.

 

In Congresso... July 4th, 1776

Portanto, nós, representantes da América no Congresso Geral... Em nome e por autoridade do bom povo destas colônias, publicamos e declaramos solenemente, que estas colônias unidas são e de direito têm de ser, Estados Livres e Independentes; Estão desobrigados de qualquer vassalagem para com a Coroa Britânica, e que todo vínculo político entre elas e o Estado da Grã-Bretanha está e deve ficar totalmente dissolvido; e que, como Estados livres e independentes, têm inteiro poder para declarar a guerra, concluir paz, contratar alianças, estabelecer comércio e praticar todos os atos e ações a que estados independentes têm direito. E em apoio desta declaração, plenos de firme confiança na proteção da Divina Providência, que mutuamente se comprometem nossas vidas, nossos produtos, e nossa sagrada honra.

[Na sequência seguem as assinatura dos representantes dos 56 Estados]