Notizie, curiosita',aneddoti, e fantasie su New York – tagged "gastronomia" – Minha Viagem a Nova York Google+

Autenticamente Nova York

Plano de smartphone exclusivos para turistas! 30 dólares com internet ilimitada por três semanas. March 18 2018



Pessoal, esse é o link onde vocês vão poder encontrar mais informações sobre esse plano:  https://prepaid-phones.t-mobile.com/prepaid-international-tourist-plan 

Esse é o plano ideal para todo turista que chega em Nova York. Apenas 30 dólares, e 3 semanas de internet ilimitada, com velocidade 4G LTE, ou seja, alta velocidade!

Você consegue aproveitar a velocidade máxima dessa internet até chegar ao consumo de 2GB, depois ela perderá força. Mas posso garantir que ainda sim será uma velocidade alta até para os padrões americanos.

As chamadas ilimitadas nos Estados Unidos estão incluídas no plano (mas não acho que você precisará) e mensagens de texto ilimitadas estão sempre disponíveis nos Estados Unidos.

Visite a loja da T-Mobile e garanta o seu plano!


Dez dicas para você não ser enganado em Nova York December 04 2016 1 Comment

 

  • Chegando ao aeroporto, preste atenção: não seja enganado por golpistas que se oferecem para levá-lo ao seu hotel em carros pretos, muitas vezes eles inventam vários tipos de desculpa para lhe enganar, como afirmar que o AirTrain está quebrado, ou combinar um preço, e no fim da corrida dizer que esse preço era por pessoa, fazendo você pagar o dobro ou o triplo do valor. Outra sacanagem é que as vezes você pode lhes dar duas notas de 100 e o motorista guardar e dizer que eram duas notas de dez dólares. Fique atento a tudo, caso contrário isso pode lhe custar de 200 a 400 dólares, quase o preço da passagem aérea. Procure usar o AirTrain e os serviços de traslado como o táxi. Se você quiser um serviço mais caro, é conveniente contratar alguém que fale português para busca-lo no aeroporto, e nós temos este serviço!
  • Não compre produtos eletrônicos em lojas próximas a Times Square. Elas elevam bastante os preços, e você pode encontrar um produto semelhante a algumas quadras por um valor menor. Para fazer compras vá a B&H ou a loja da Apple.
  • Lembre-se de incluir a taxa de serviço (ou seja, a gorjeta), mesmo ao pagar com cartão de crédito. Caso contrário, eles podem colocar o valor que quiserem. Não é sempre que isso acontece, mas pode acontecer. Atenção!
  • Não tome café da manhã no hotel, o café no hotel é muito mais caro. A rua é a melhor opção para você economizar com isso.
  • Nunca faça xixi na rua ou beba álcool em local público. Caso contrário, você receberá uma multa pesada. Além de ter que comparecer perante o tribunal de justiça.
  • Não use o pedicab, esse tipo de taxi-bicicleta que você encontra nas ruas de Nova York. Eles custam muito caro!
  • Quando você for comprar uma cerveja, a taxa de serviço não é automaticamente incluída na conta. Se eles não disserem nada pergunte se há alguma taxa, ai você decide quanto pagar.
  • Cuidado ao tirar fotos com os "bonecos" que ficam na Times Square. Se você não der dinheiro a eles (uma boa quantia) por vezes, eles podem se tornar agressivos quando você tirar a foto.
  • Se você for alugar uma casa ou um apartamento, não faça o depósito em dinheiro. Muitos desaparecem. Use sites seguros como o airbnb.
  • Evite trocar dinheiro em casas de câmbio, isso pode custar caro. Faça saques em caixa eletrônicos da ATM, você vai economizar muito assim. Retire grandes somas para amortizar os custos fixos.
  • Sempre pergunte o preço antes de comprar um cachorro-quente que esteja sem preço. Ele deve custar entre 1 e 3 dólares, porém alguns podem chegar a custar 10 dólares!

    O US OPEN, e a chance de conhecer o Queens. Vamos com o Luca! September 05 2016

    Luca Marfé
    Instagram: @lucamarfe - Twitter: @marfeluca
    www.lucamarfe.com


    O US Open é um dos eventos mais incríveis realizados na cidade de Nova York. Como vocês sabem os americanos são incomparáveis em termos de organização
    Se você é ou não fã ou não fã de tênis, não faz diferença: Venha conhecer comigo os jogadores e as celebridades de todos os cantos do planeta que vão estar aqui.

    A estrutura é colossal e o torneio tem quatro fases principais e inúmeros campos secundários. Acima de tudo, temos que destacar a quadra principal (central) que leva o nome do lendário Arthur Ashe, com 23.000 assentos e um incrível teto retrátil, uma bela homenagem ao ex jogador de tênis afro-americano que em 1968, ganhou o primeiro US OPEN.
    Para chegar ao US OPEN é só usar a linha 7 do metrô usando o seu MetroCard e após descer (parada Mets-Willets Point) vá para o leste. Dê uma olhada também na extremidade oposta, la vai estar o estádio dos Mets!
    A poucos minutos a pé, se você não tiver feito a compra on-line, vai ver uma fila para compra de ingressos.
    Que se torna bem grande durante a parte final do torneio.
    O preço das entradas varia muito: ele começa a a partir de 75 dólares para o ground, com o qual você pode passear livremente em torno da área esportiva e ter acesso as quadras menores, caso você queira ver algum jogo mais importante, prepare-se para pagar alguns “mil” dólares.
    Meu conselho, a menos que você seja um grande fã, é de aproveitar a possibilidade de participar desse evento, é pagando a entrada de 75 dólares, não que seja barato, mas é um valor justo para se desfrutar de um momento de relaxamento total em ambientes elegantes, grandiosos e divertidos ao mesmo tempo.






    Meu passatempo favorito aqui, são os encontros inesperados em que o espírito competitivo e as apostas causam um ambiente com muita tensão (esportiva, é claro),  sendo o plano de fundo para grandes jogos.
    Manhãs e tardes inesquecíveis, passadas em um ambiente descontraído entre autógrafos e sorrisos. Com as lendas do esporte, logo ali, a um passo.
    Levem as crianças, especialmente para elas, tudo é uma grande festa.

    Para comer, você tem várias opções, quase todas bem americanas. Um festival de hambúrgueres e cachorro-quente, servidos com uma avalanche de batatas fritas e todos os tipos de bebidas (escolha um copo grande e guarde como lembrança!).
    O meu favorito, no entanto, é o Fish Shack, onde podemos desfrutar de uma salada gigante de lagosta e camarão por 21 dólares, sendo a melhor opção, especialmente se você não quiser sair da sua dieta. A salada é deliciosa!
    O Neapolitan Express também é uma boa pedida, onde você pode desfrutar de uma boa pizza, "quase" autêntica.





    E finalmente, podemos tomar uma boa xícara de café Lavazza, que são parceiros e patrocinadores do torneio. Os quiosques italianos de café estão espalhados por toda parte.
    E não se esqueça de passar pela loja da Ralph Lauren (tem modelos incríveis de camisa polo!). É a marca oficial do torneio, os vendedores são extremamente simpáticos. Os americanos são altamente qualificados em "fazer dinheiro", mas eles também sabem como fazer você se sentir em casa.



    Aventuras Culinárias em Nova York (Primeira Parte) July 06 2016

    Por: Mariagrazia De Luca

    deluca.marymary@gmail.com

    A descoberta de novas experiências gastronómicas, estranhas, originais e únicas aqui na Big Apple. Esse será o meu objetivo, neste dia ensolarado de julho. Meu transporte será uma bicicleta, o que vai me permite transitar através das ruas de Manhattan, usando as várias ciclovias que os amantes de bicicleta dispõem nessa cidade. Tenho em minhas mãos uma lista de restaurantes que vou visitar e por experiência própria ela não vai ser encontrada em outro lugar, são restaurantes excêntricos, que têm características únicas e que podem ser encontrados somente aqui na cidade de Nova York. A lista é longa, e este artigo é apenas o primeiro episódio...

    Queridos leitores do Minha Viagem a Nova York, por que não discutir e propor outros locais que podem ser protagonistas das minhas próximas viagens de exploração culinária?

     

    Takumi Taco

    Onde: Chelsea Market, 79 9th street.

    Outras sedes: 601 west 26th street; 230 Park Avenue; flea markets (Smorgasburg and Brooklyn Flea).

    Takumi Taco é um restaurante japonês-mexicano. É incrível pensar como duas culturas tão distantes podem ser combinadas de uma maneira tão boa para o seu paladar! É uma 'mistura' típica de culturas nova-iorquinas com resultados surpreendentes. Para começar eu provei o Sakè Sangría, feito com frutas picadas em pedaços pequenos e imersos em licor japonês em vez de vinho. Fresco, refrescante, doce sem ser enjoativo. A bebida perfeita para estes dias quentes do final de junho. Tome cuidado, sem perceber você pode acabar cantando sozinho no restaurante, é difícil perceber, mas o teor alcoólico é muito alto! Na escolha de cervejas japonesas e mexicanas, não pode faltar a Negra Modelo e a Sapporo. Kampà! Salud! Cheers!

    O Takumi Taco nasceu como um street-food, com quiosques de rua nos mercados de pulgas Smorgasburg e Brooklyn Flea. Essa sede fixa do Takumi Taco dá a ideia de um restaurante on-the-go, onde se compra mais pra viagem do que para comer no local. Quando recebi a sangría em uma jara de plástico perguntei "Posso tomar na rua?" pensando sobre a lei que proíbe o consumo de bebidas alcoólicas fora dos restaurantes, o empregado do local fez... "Shhhhh...", e sorriu para mim, mostrando que seria meu cúmplice nessa.

    O símbolo da “culinary fusion” aqui é certamente o Spicy Tuna Tacos (5,75 dólares), foi aqui que México e Japão parecem ter encontrado o casamento perfeito: Sashimi de atum com brócolis, abacate, pepino, sementes de gergelim, rabanete, maionese picante, acompanhado por "gyoza" crisp.

     

    Bar Suzette

    Onde: Chelsea Market, 425 west 15th street

    Esta pequena creperia, que se parece com um quiosque composto por um longo bar cercado por inúmeros frascos de Nutella, está localizado a direita do Takumi Taco, o descobrimos por acaso, e eu tive que colocar em discussão todo o meu conhecimento sobre crepes. Ok, crepe com nutella, chocolate e banana, manteiga e açúcar, e também com presunto e queijo. Mas os crepes do Bar Suzette vão além da imaginação de vocês... No menu há uma grande variedade de “Savory Crepes”, em comparação com os “Sweet Crepes”.

    O cozinheiro da creperia se move de forma incrível, preparando os crepes com muito cuidado pratos muito quentes como um DJ mesclando a sua música. O crepe Huevo Ranchero (US $ 12) é um prato verdadeiramente autentico: Mozarela, ovos orgânicos, abacate, feijão preto e molho picante. Eu não provei o Saigon Chicken (US $ 12), mas me pareceu excelente, um crepe com frango defumado do valle Hudson, molho Hoisin, molho de pimenta, ervas frescas, salada com legumes frescos e limão.

     

    MAX BRENNER

    Onde: 341 Broadway

    No famoso restaurante e bar de chocolate Max Brenner eu tive a experiência de comer a pizza mais achocolatada da minha vida. Para mim pareceu um waffles cobertos com frutas e sorvete de baunilha ou um chocolate quente feito com chocolate que é produzido no próprio restaurante... A pizza de chocolate do Max Brenner é unanimidade quando se fala de chocolate na cidade de Nova York. Basta imaginar uma pizza redonda, aproximadamente do tamanho que estamos acostumados, mas um pouco mais alta coberta com raspas de chocolate branco e leite. Esta é a base, em seguida, você deve personalizar, entre as várias opções (topping): Avelã, manteiga de amendoim e marshmallows torado... Um pedaço de pizza custa (6,50 dólares) e pode ser o suficiente para acalmar até um dependente de chocolate. Se você for com um grupo de amigos, certamente é mais conveniente comprar toda a pizza (17,95 dólares).

    E para beber? Nem pense duas vezes, o Chocolate Martini, que faz parte dos cocktails “Choco Classic” do Max Brenner, é o acompanhamento perfeito para a pizza de chocolate.

     

    S’MAC, Sarita’s Macaroni & Cheese

    Onde: 245 East 12 Street

    Antes de entrar no restaurante S'MAC, eu não achei que poderia haver uma variedade tão grande de Mac&Cheese. No menu S'MAC, que é um pequeno restaurante com design espartano que foi inaugurado a uma década de anos por um jovem casal, Sarita e Caesa Ekya. Existem mais de 10 tipos de Mac&Cheese, ao lado do clássico “All-American” preparado com queijo Cheddar. Minha atenção ficou voltada para o Napoletana Mac&Chesse, explicitamente inspirado na pizza napolitana, que tem como ingredientes: mozzarella fresca, tomates assados, alho e manjericão. No site há um vídeo explicando como preparar o Napoletana Mac&Cheese em casa.

    Perguntei ao funcionário qual foi a mais original, tendo em vista que cada uma dessas variantes do Mac&Cheese foi uma novidade para mim. "Certamente o cubano" e me mostra uma folha exposta no balcão com todos os ingredientes desta invenção de S'MAC. "Nós transformamos o sanduíche cubano em um Mac!" O funcionário me disse com orgulho. "Os ingredientes? queijo suíço, porco marinado em casa, presunto cozido, picles, hortelã fresca e... uma explosão de sabor!"

    Se você estiver na cidade com seu pai no Dia dos Pais (Father’s Day) (19 de Junho), leve-o para o S'MAC: Para ele, o Mac&Cheese será grátis.

     

    THE BLACK ANT

    Onde: 60 2nd Avenue

    Sento-me no restaurante The Black Ant, um dos mais renomados restaurantes de cozinha mexicana de Nova York. Gregory, um jovem mexicano-americano, barman do lugar, me conta como é feito o sal de formigas pretas black ant salt, enquanto se move habilmente entre os  shaker, e garrafas de tequila preparando cocktails elegantes e provocativos . "Prove" ele me diz me entregando uma pequena tigela "Sal de formigas prestas, obviamente é feito com sal, mas também com o açúcar de cana, açúcar regular, chili e formigas pretas tostadas!" Eu observo o sal com um pouco de receio, estico a mão e levo até a boca... Depois de alguns segundos exclamo: "Uau, que sabor!" E imediatamente pedi uma Margarita com sal de formiga preta.

    Eu explico para Gregory que eu não estou com muita fome, mas queria provar algo típico. Quando eu confesso que nunca tinha comido insetos, ele sorri para mim, incrédulo. Fiquei em dúvida entre dois pratos do Black Ant, a Guacamole (abacate, tomate, coentro e sal de formiga preta) e o Croquete de Chapulín (US $ 13), preparado com grilos, mandioca, queijo manchego, alho e pimentão, optei pela segunda opção.

    Qual é a diferença entre comer porco e grilos tostados? Uma amiga me disse, ironicamente, um dia em estávamos falando de comida mexicana, "Para se saciar com grilos você deve comer uma quantidade incrível, no entanto, com o porco, só é preciso comer um." Não há como negar que isso é uma questão de hábitos culturais, a ideia de comer grilos fritos eu confesso que me aterrorizava!

    A apresentação do prato estava impecável. Quatro croquetes de grilo em forma esférica perfeita, repousando sobre a guacamole e um bom grilo tostado descansando sobre uma camada de maionese. Mario, um amigo mexicano que me levou até o The Black Ant, pediu um prato de gafanhotos fritos temperados com sal, limão e pimenta seca. "Isso me faz lembrar o meu país."

    Tenho que contar aos leitores do Minha Viagem a Nova York sobre essa experiência em Nova York. Passei meu Chapulin (croquete de grilo) na maionese... Um dois e três... Comi tudo em uma mordida só! Eu acho que não mastiguei muito, mas eu senti como se tivesse comendo pipoca, com um sabor intenso e agradável que foi único no meu paladar.

    Hoje, neste restaurante mexicano aqui de Nova York, posso afirmar que dei um passo à frente para quebrar minhas barreiras culinárias...


    Viaje dentro da Little Italy, no bairro que está sendo engolido pela Chinatown June 25 2016

    Texto e fotos de Luca Marfé

    Facebook: Luca Marfé Photography - Twitter: @marfeluca - Instagram: @lucamarfe

    O verdadeiro ponto de partida é: o que resta da Little Italy? E o mais importante: o que resta dos verdadeiros italianos? O bairro histórico de Nova York, na verdade, foi "devorado" pela expansão do SoHo por um lado, e o dinheiro dos novos ricos da Chinatown do outro.

    Os novos ricos, em particular, adquiriram muitas propriedades locais e diversificadas, ampliando significativamente os limites do seu território à custa da "Little Italy", que perdeu bastante espaço. Basta conversar com qualquer italiano dali para descobrir alguns dos problemas com as comunidades ao redor e como os italianos estão se sentido, de alguma forma, "invadidos". Mas voltando ao ponto de partida: então o que resta? Não há muito a dizer. Na verdade, há muito pouco. No entanto, esse pouco vale a pena ser vivido. A área é um quadrado "estranho" entre Broome, Lafayette, Bowery e Canal Street. E é na Canal Street, que você deve ir, se chegar de metrô (linhas 4, 6, J e Z).  Comece o passeio e desfrutando dos sinais escritos em italiano, a “street art” espalhada por todo lugar (tem grafite e muitas outras) e os jovens que trabalham em restaurantes, entre uma piada e outra, feita em dialeto, vão tentar convencer você e entrarem em seus restaurantes. No fundo, a Little Italy é tudo isso. Esse calor italiano que por um momento, não importa a distância, vai lhe dar a ilusão de estar na Itália.

    Entre meus favoritos, Gennaro. Por quê? Bem, além de ter um menu variado e ser relativamente acessível, Gennaro é simplesmente um mito. Você vai encontrá-lo na parte de fora, com os braços cheios de tatuagens e um chapéu inconfundível em sua cabeça. E sim, ele vai ser um daqueles que fará de tudo para convencê-lo a se sentar em uma mesa em seu restaurante.

    Uma das paradas históricas e culturais que não podem ser perdidas é o Italian American Museum. Localizado na 155 Mulberry Street, que é a principal rua do bairro. Não é um museu como o tradicional, mas é uma espécie de armazém cheio de relíquias, que permite você mergulhar na vida passada dos italianos nesta parte do mundo. Você precisará comprar um ingresso (US $ 7), mas se você ama o passado, esse passeio realmente vale a pena. E também, é bom pensar que esse "coração" italiano pode continuar a existir, graças a essas doações.

    Para fechar, temos duas "pérolas", ambas um pouco fora da rota turística central mais visitada. O primeiro é delicioso, uma verdadeira joia: é a Elizabeth Street Gallery (209 Elizabeth St.), uma galeria a céu aberto, um jardim encantado, onde as pessoas se encontram para folhear um livro, compartilharem uma paixão pela yoga ou cultivar pequenos pedaços de terra disponíveis para as pessoas que apoiam o projeto. Ele não tem muito a ver com o patrimônio cultural italiano, mas está muito perto e não pode ser desperdiçado. Emocionante.

    O segundo lugar é o mais importante, especialmente se você considerar as pessoas com bom gosto. Este é o restaurante Emilio’s Ballato, que pode ser alcançado a pé em poucos minutos, ele está no número 55 E na Hudson Street. Emilio é italiano e muito orgulhoso disso. Está a aqui há muito tempo e é uma verdadeira lenda no bairro.  Não só entre os italianos. Na verdade, ele é um amigo próximo da metade de Hollywood, e por este lugar já passou todo tipo de pessoa. Dê uma olhada nessas fotos, uma pequena exposição na parede, e você irá compreender. Quando se fala de comida, qualquer palavra seria supérflua. Eu, particularmente, experimentei as massas, e eu não vejo a hora de voltar a comer lá. Entende-se que os italianos da "velha escola" não gostam muito, mas ele insiste em dizer que é o melhor de todos nos Estados Unidos.


    Venha junto com a gente até Soho, entre seus restaurantes e boutiques June 24 2016

    Texto e fotos de Luca Marfé

    Facebook:  Luca Marfé Photography- Twitter:  @marfeluca - Instagram: @lucamarfe

    SoHo: South of Houston Street. Vamos começar do começo: o bairro mais cool de Nova York. Alguns anos atrás essa área hospedava antigas fábricas e lojas, mas hoje é o templo da moda e das celebridades. Rihanna, Leonardo Di Caprio e Justin Bieber, só para citar alguns que são residentes dessa parte da cidade.

    Para conhecemos os seus limites, estamos falando de uma área bem grande, ao sul da Houston Street, que se estende até a Crosby Street com 6th Avenue, respectivamente, East, West, e Canal Streetna estão a sua frente. Mas, para dizer a verdade, SoHo está continuamente se expandindo, mês após mês e de alguma forma "devorando" suas fronteiras com os bairros ao seu redor, incluindo a Little Italy.

    Esse avanço não é só de lojas e das grandes marcas, mas também de galerias de arte e loft de todos os tipos. A nova fronteira do mercado residencial de luxo de Nova York passa por aqui, além dos grandes arranha-céus de Midtown.

    Vá até o lendário metrô de Nova York (linha verde local, 6) e saia na Spring Street. Assim que você sair do metrô, já pode fazer a sua primeira parada: Joe & the Juice. Diversos sabores de suco, vários tipos de croissants e um café premium, porém a "jóia" do local vai para os amantes de fotografia: Uma máquina automática que você pode tirar quantas polaroides quiser, a cores ou preto e branco, deixando uma dedicatória aos amigos locais e para levar com você como uma boa lembrança impressa, como se fazia antigamente. Uma ideia grátis e muito divertida do lugar. Cheeeese!

    Depois de recarregar as "baterias" vamos até a grande Spring Street. O paraíso das compras! É inútil fazer uma lista com as grandes marcas que vamos encontrar entre a Spring e a West Broadway por uma razão muito simples: Todas as marcas estão aqui! A loja da Diesel é muito bonita, é caracterizada por uma alma urbana e casual como a loja da marca Benetton. Por outro lado, as lojas da Chanel e Empório Armani são mais elegantes. Mas não vamos nos limitar a ver as marcas, porque vamos percorrer lugares incríveis, cheios de arte e estilo. Vamos ver produtos artesanais da mais alta qualidade! Olhe com atenção para a AUrate, e a “hogar” elas tem uma maneira completamente nova de se fazer joias. É um lugar lindo de ladrilhos brancos, aberto e animado. E o que dizer das galerias... Para aqueles que assim como são apaixonados por fotografia, não pode deixar de visitar a Rotella Gallery (sempre na West Broadway). Sem contar que você pode estar caminhando ao ar livre e ser surpreendido por diversos tipos de autenticas obras-primas que ficam em exibição pelas ruas: Desde as fachadas dos edifícios a diferentes tipos de vans dos anos 60. Porém, acima disso tudo, para mim esta o Studio Art Street (esquina da Spring com a Wooster Street) de Esin Kosoglu. Não deixem de prestar muita atenção nas suas fotos.

    Cientistas renomados argumentam que ir as compras é a melhor maneira de queimar calorias. Para aqueles que “duvidam”, é só pensar que após comprar não podemos fazer nada, a não ser correr e trabalhar mais para recuperar o que gastamos. O grande clássico desta área talvez seja o restaurante Balthazar, um famoso e popular restaurante francês dessa região, para o qual eu recomendo que você faça reservas com bastante antecedência. No entanto, o barulho do lugar e os preços elevados o excluem dos meus favoritos.

    Por outro lado, um verdadeiro motivo de orgulho é a “joia” siciliana Piccola Cucina. Ele está localizado no número 196 na Spring Street. É conduzida com paixão e a simpatia contagiante de Philip Guardione. Vocês vão o reconhecer imediatamente por causa do chapéu típico de sua terra que ele usa, e especialmente pelo toque incrível que ele dá aos seus pratos. Tudo aqui é divino! Adorei o linguine com lagosta (pena que fotos ainda não possam reproduzir as fragrâncias e os sabores!), porém o que me deixou fascinado foi o talharim com ouriços do mar. Eu nunca fui apaixonado por doces, mas quando vi o cannoli caseiro me rendi a ele, independentemente de qualquer tentativa de dieta. Ele estava incrível! Devo ressaltar toda bondade da equipe, que merece uma menção especial: O chef Benedetto Biascquino (e seu amigo, Benny) e todos os outros: Paolo, Antonio, Luigi, Alfio e Misha. Neste caso, eu recomendo fazer reservas. Se por acaso você for ao restaurante para um almoço de segunda a sexta-feira, pode começar a sorrir, pois os preços do menu de almoço são excelentes! Para o jantar e durante o fim de semana, os preços sobem um pouco, mas continuam modestos, especialmente considerando essa área. Durante o verão, tentem escolher uma mesa do lado de fora e aproveitem a paisagem das ruas de SoHo.