Notizie, curiosita',aneddoti, e fantasie su New York – tagged "da mangaire" – Minha Viagem a Nova York Google+

Autenticamente Nova York

A Procura do melhor café de Nova York September 23 2016

Se há uma coisa que você não pode deixar de trazer seja para visitar ou até mesmo viver nesta cidade maravilhosa, é sem dúvida uma dose abundante de energia.

Em Nova York, de fato, se anda muito. E assim, como um grande amante do café, fui em busca do melhor café expresso de Nova York.

Venha junto comigo!

STARBUCKS

Impossível não começar por aqui.

No imaginário coletivo de todos os italianos, e acredito que não só deles, a Starbucks é a América e a América é a Starbucks.

A rede americana, fundada em Seattle em 1971, combina os melhores cafés de todo o mundo para oferecer aos seus clientes uma variedade quase ilimitada de combinações possíveis: americano, expresso, macchiato, cappuccino, frappuccino e assim por diante.

Esse não será o melhor café expresso que você pode beber na cidade, mas, certamente, ele merece destaque, por tudo que representa, a verdadeira tradição americana de café.

CAFÉ VERGNANO, EATALY

Sinceramente, aqui o nível sobe e muito.

A histórica empresa de Piemonte fica localizada na gigante Eataly, perde em fama apenas para o lendário Flatiron, o "Iron" apelido dado pela forma triangular do edifício, um dos mais famosos do mundo.

O que mais posso dizer? Bem-vindo à Itália!

Desfrute de uma pausa com muitos aromas e cortesia, e você ainda tem a vantagem de poder comprar café moído na hora, e cápsulas compatíveis com as principais máquinas do mercado (recurso valioso para aqueles que estão em hotéis ou apartamentos que possuem cafeteiras) existe também uma grande variedade de biscoitos e doces de todos os tipos.

Os preços são razoáveis, mas para quem procura um típico café italiano, essa é um ótima opção.

ZIBETTO ESPRESSO BAR

Essa é a verdadeira (deliciosa!) surpresa da minha aventura de aromas e sabores. 

Ao contrário de outras dezenas de bares espalhados pelas ruas de Nova York, o café expresso daqui não se permitiu ser influenciado pelos hábitos de Nova York e gosto típico dos americanos. A essência aqui foi mantida de forma intacta.

Não existem variantes: café preto, cappuccino e macchiato.

101% Italiano, simples e perfeito.

Os preços são médios e existe uma infindável variedade de iguarias, doces e salgados, com os quais você sai regenerado seja de um passeio ou de uma reunião de negócios estressante.

Existe uma unidade que fica localizada no Rockefeller Center em um ambiente espaçoso e acolhedor. O da 5th Avenue (esquina da 42th) é menor, no entanto, está no coração de tudo.

SAN MATTEO ESPRESSO BAR

Se há uma coisa (na verdade, existem muitas!) que eu amo fazer é certamente tomar um café.

Ciro Casella é o nome do visionário por trás deste projeto, ele é de Salerno e já possui três lojas diferentes em Manhattan. Eu sou cliente assíduo do Pizza Espresso Bar Guest na 90th com 2nd Avenue, onde sua filha Marica, é a gerente.

Bem, o café aqui é arte! A mistura produzida com orgulho pelo Ciro vem cheia de força e aroma.

Feche os olhos: você está em casa.

Para os caçadores de emoções, e especialmente para pessoas que não estão de dieta, aqui está sua majestade, com base de noz, um creme misterioso e coberto com chantilly e chocolate em pó feito à mão.

Essa é uma das obras de arte assinada por Ciro.

TARALLUCCI E VINO

Outro lugar rico em estilo italiano está espalhado por cinco locais diferentes.

O meu favorito, fica além da Union Square, próximo ao Upper West Side (esquina da 83 com a Columbus Avenue).

Café e Cappuccino assinados por Lavazza, os croissants e as bombas também são incríveis. O lugar também é muito procurado para almoço e jantar.


O lindo passeio pelo High Line September 01 2016

Por: Mariagrazia De Luca

 deluca.marymary@gmail.com

E pensar que em 1999 estavam para demolir o resto da antiga linha ferroviária que em 2009, tornou-se, graças às constantes batalhas da associação Friends of the High Line, se tornou um dos mais belos e dinâmicos parques de Nova York.

Os restos ferroviários faziam parte do West Side Elevated Highway, que foi construído no início dos anos de 1900 para substituir a estrada de ferro que antigamente corria no nível da rua. Por causa da grande quantidade de acidentes que estvam acontecendo entre o tráfego local e o ferroviário, a 10th Avenue foi apelidada de "Death Avenue". Esse certamente não é o maior parque da cidade, não tem grandes lagos ou uma área com muita grama verde, onde você pode fazer um piquenique, como Central Park. Você também não pode andar de bicicleta no High Line bem porque é proibido o uso de bicicletas nesse parque.

O High Line é um lugar mágico por outras razões: Ele foi construído sobre os trilhos da antiga ferrovia, e o parque também oferece uma vista espetacular! Com o Rio Hudson de um lado e do outro ... o Empire e todos os outros edifícios históricos e modernos de downtown e Midtown, alguns visto de longe outros de perto durante a sua caminhada de quase dois quilômetros e meio do Meatpacking District até as ruas do Chelsea. Vocês vão passar ao lado do Standard Hotel, vai dar para ver as suítes e os seus hóspedes, alimentando o sonho de um dia ser você hospedado em uma das suítes de luxo desse hotel incrível. Nunca diga nunca, especialmente em Nova York. Caminhando pelo High Line podemos sentir o coração de Nova York batendo.

Informações sobre o High Line Park

Como chegar ao High Line

O High Line se estende ao longo de treze ruas, desde a Gansevoort Street (na metade do Meatpacking District) até a West 34th Street (entre 10th e a 12th Avenue).

Horário de abertura:

Embora durante os meses de inverno, o parque feche antes do pôr do sol, durante o verão, o parque fica aberto das 07:00 até as 23:00 horas.

Como se entra no parque?

Por elevadores: 14th, 16th, 23rd, 30th, 34th e na Gansevoort Street.

Por escadas: 18th, 20th, 26th, 28th, 30th street e 11th Avenue. 

Razões que fazem valer a pena visitar o parque

Há muitas razões para ir visitar o High Line, especialmente durante o verão, quando o parque fecha mais tarde do que o habitual, e as flores ganham mais cores e ficam mais brilhantes cercadas dos restos da antiga ferrovia que ainda são visíveis de algumas partes do parque... Enquanto vários artistas buscam nos entreter com suas apresentações originais, ao nosso nos vemos rodeados por instalações, muitas vezes excêntricas, que provocam o pensamento crítico e tornam o parque um lugar único onde a arte, a poesia e a paisagem industrial, histórica e natural se reúnem de forma surpreendente, talvez isso represente a harmonia de Nova Yorker.

As obras de arte

 

Ao caminhar pelo High Line, você vai encontrar obras de arte que vão deixá-lo com a boca aberta. Pelo menos isso aconteceu comigo quando eu conheci o Sleepwalker. Um homem de cueca andando com os olhos fechados e os braços para a frente como um verdadeiro sonambulo. "Eu não posso acreditar em meus olhos!" E só quando eu estava perto o suficiente, eu descobri que não era um homem de carne e osso, mas uma obra de arte "hiper-realista" feita pelo artista americano Tony Martelli. "Este é um parque único, o High Line é único no mundo!" O artista Giorgio Andreotta Calò, também exibe suas obras de arte no parque elevado. Há uma obra de arte muito original, o Wanderlust: São barras de latão finas inseridas entre as placas de linha de alta pavimento com nomes de personagens que viajaram por toda a América a pé. O trabalho foi inspirando por Peace Pilgrim, um ativista político que durante o século passado atravessou o país... 20 vezes!

Hoje cada artista que apresenta seus trabalhos na High Line refere-se ao projeto chamado "Wanderlust", que tem como tema central: O caminhar, a viagem, e a peregrinação.

Ver as estrelas do High Line

É gratuito e acontece toda terça-feira (até outubro) a partir do anoitecer até o fechamento do parque. O parque coloca a disposição dos visitantes telescópios profissionais, de onde você será capaz de apreciar as estrelas na companhia da Amateur Astrogy Association of NY. Em Nova York também é possível ver as estrelas de perto. O que vocês acham?

Dançar no High Line

Salsa, merengue e bomba são apenas alguns dos ritmos que é possível dançar dia 03 de agosto no High Line parque, na companhia de Aurora Flores e Zan del Barrio, dançarinos profissionais de Nova York. Algumas das bandas mais "hot" da cidade participam deste evento de dança, chamado de “¡Arriba!”.

Esportes

Se vocês gostam de esportes delicados (meditação) ou mais combatíveis (Tai Chi), você pode ter a experiência de algumas aulas gratuitas no High Line, toda terça-feira de manhã: Meditação, de 8 as 9. Tai Chi ( primeiro nível) 9:30 as 10:30.

Os evento do verão: O High Line se ilumina!

Já marquei na minha agenda eu não quero perder este evento incrível no High Line. Você também não deve perder, visite o site do High Line e faça o seu registro (Up Late, June 21st), é de graça, mas o número de bilhetes é limitado. http://www.thehighline.org/activities/up-late

E acima de tudo, lembre-se de chegar cedo. Como em muitos eventos gratuitos, nesse se aplica a regra do "primeiro a chegar, primeiro a ser servido", em outras palavras, há um risco de que o parque fique lotado rapidamente e você pode acabar ficando de fora. Então: Quinta-feira, 12 de julho de 22:00 à meia-noite o High Line será preenchido com apresentações nova-iorquinas de artistas excepcionais, alguns de renome internacional.

Blood Illumination é um dos mais interessantes e controversos. Na verdade, o artista Nova-iorquino Jordan Eagles usa o sangue como fonte primária de sua arte, geralmente ele usa sangue de animais, mas também faz uso do humano (como para Blood Mirror). As obras de Eagles são como uma provocação, como em 2014, o artista organizou um protesto contra a proibição de doação de sangue por homossexuais. Ele construiu obras de arte com o sangue de 9 homens, entre eles gays e transgêneros famosos. A obras de sangue contendo elementos orgânicos foi possível graças a um tratamento feito com resina que fazem as obras serem impressionantes, especialmente quando iluminadas na transparência por feixes de luz. As obras de Eagles tem a capacidade de interferir em nos mesmos, de forma profunda, íntima, visceral, difícil de colocar em palavras, mas que causam arrepios. Elas nos lembram de que somos feitos, a materialidade do sangue que nos mantém vivos: corpóreo, tangível, mas também como um elemento misterioso.

Durante o mês de agosto outros artistas vão invadir o High Line, como o corpo de dança Blanche Performance do Brooklyn. Os dançarinos quebram todas as barreiras entre o público e a arte, com um show interativo e surpreendente. Shadoah Goldman, o fundador da Carte Blanche, além de bailarino é um mestre de Shiatsu e um grande hipnotizador. O que mais podemos esperar desse espetáculo incrível?

O artista Merche Blasco também merece uma atenção especial, ele é um artista interdisciplinar que cria música eletrônica com instrumentos extremamente originais. Temos também a exibição do documentário Jackie 60: o filme, mostra todos os segredos das noites transgressivas da boate de Nova York Meatpacking 90.

Próximo ao High Line

Chelsea Market, Hudson River Park, Highline Ballroom (clube de música ao vivo), Chelsea Piers (um dos maiores complexos desportivos de Nova York), Whitney Museum of America, The Standard Biergarten (bar que pertence ao Standard Hotel, onde se pode provar um numero incrível de cervejas alemãs).