Notizie, curiosita',aneddoti, e fantasie su New York – tagged "Attrazioni" – Minha Viagem a Nova York Google+

Autenticamente Nova York

O que Fazer em Staten Island September 09 2019

Descobrir o distrito menos explorado pelos turistas em Nova York, é um passeio único, imperdível para quem deseja realmente entrar no estilo de vida Americano.

Localizada no sul da Big Apple, Staten Island é um bairro tipicamente residencial que tem muitas diferenças em relação aos outros distritos mais caóticos da cidade.

Com seus 265 quilômetros quadrados e uma população de cerca de 500.000 habitantes, é o distrito menos densamente povoado, portanto, o local perfeito para quem está em Nova York e quer fugir da agitada vida da cidade.

Chegando a Staten Island

Você pode chegar a Staten Island atreves de Nova York, por terra, pela da ponte Verrazzano-Narrows, de carro ou ônibus que conecta a ilha ao distrito de Brooklyn.

No entanto, a alternativa favorita dos turistas é a linha de Staten Island Ferry.

Os barcos partem do terminal South Ferry, Lower Manhattan, que é facilmente acessível pelas linhas de metrô R e W, saindo na parada de Whitehall ou pela linha 1 e chegando na parada da estação de ferry.

Uma vez a bordo, os navios permitirão chegar ao Terminal de Ferry de Saint George.

Os ferries funcionam todos os dias do ano e são totalmente gratuitos.

O passeio leva cerca de 30 minutos e você pode desfrutar de uma bela vista de toda a cidade de Nova York e da Estátua da Liberdade.

Recomendações ao pegar balsa para Staten Island:

  • Não é permitido fumar a bordo do ferry, como na maioria das áreas do Terminal.
  • No ferry, você pode comprar lanches, bebidas e cervejas.
  • As bicicletas podem ser carregadas a bordo, mas devem ser deixadas no espaço fornecido durante o embarque.
  • Você pode trazer skates e patins a bordo, mas não pode usá-los durante a corrida ou dentro do terminal.

Para aproveitar a viagem ao máximo, eu recomendo que você evite os horários de pico. Nos dias úteis, o horário é das 6:00 às 9:00 da manhã e das 15:30 às 18:00 da tarde.

O que fazer em Staten Island

Depois de desembarcar na ilha perto do terminal, você pode visitar o Staten Island September 11th Memorial. Este monumento feito em memória das 274 vítimas do ataque as Torre Gêmea e representa duas alas prontas para o voo, enquadrando o perfil dos arranha-céus de Manhattan ao fundo.

Ao norte da ilha fica o Snug Harbor Cultural Center & Botanical Garden.

Dentro deste parque, você terá a oportunidade de admirar o jardim botânico da ilha dividido em muitos pequenos jardins temáticos, como o Jardim das Rosas ou o labirinto de arbustos do Jardim Secreto de Connie Gretz.

Outro lugar marcante é o New York Chinese Scholars Garden, uma fiel proposta de um jardim chinês clássico, com componentes arquitetônicos característicos, como pontes e pagodes.

Também no Snug Harbor, você pode visitar o Staten Island Children Museum e a Noble Maritime Collection.

O primeiro é um museu dedicado a exposições e atividades interativas para crianças, enquanto o segundo é uma exposição de pinturas marítimas e modelos de navios do artista John A. Noble.

Outro museu que poderia interessar os italianos, é o Garibaldi-Meucci Museum.

Esta propriedade está localizada no distrito italiano de Rosebank e já recebeu nossos compatriotas em diferentes épocas. É possível visitá-lo através de visitas guiadas ou até participar de oficinas e conferências.

Mais adiante, em direção ao centro de Staten Island, está o Jacques Marchais Museum of Tibetan Art. Dentro do prédio, você pode admirar a coleção de um grande especialista em cultura tibetana, Jacques Marchais, que fundou o Museu em 1945.

Além da exposição, também são realizadas aulas de Tai Chi e meditação, leituras e apresentações musicais.

Você também pode participar de ritos celebrados por monges tibetanos e saborear pratos típicos da pequena cidade situada na maior cordilheira do mundo.

Não muito longe deste museu, você pode visitar a Historic Richmond Town.

É uma antiga vila de 1700 completamente reconstruída, na qual é possível fazer visitas guiadas, durante as quais as pessoas se reúnem em trajes tradicionais da época com a intenção de realizar atividades típicas daquele momento histórico.

Em alguns períodos do ano, também serão realizadas representações históricas, como a reconstrução da guerra civil americana.

Vale a pena visitar os inúmeros parques e praias de toda a ilha, como South Beach ou o Great Kills Park. Dentro deste último parque, é possível chegar à praia de Great Kills Beach.

 


O US OPEN, e a chance de conhecer o Queens. Vamos com o Luca! September 05 2016

Luca Marfé
Instagram: @lucamarfe - Twitter: @marfeluca
www.lucamarfe.com


O US Open é um dos eventos mais incríveis realizados na cidade de Nova York. Como vocês sabem os americanos são incomparáveis em termos de organização
Se você é ou não fã ou não fã de tênis, não faz diferença: Venha conhecer comigo os jogadores e as celebridades de todos os cantos do planeta que vão estar aqui.

A estrutura é colossal e o torneio tem quatro fases principais e inúmeros campos secundários. Acima de tudo, temos que destacar a quadra principal (central) que leva o nome do lendário Arthur Ashe, com 23.000 assentos e um incrível teto retrátil, uma bela homenagem ao ex jogador de tênis afro-americano que em 1968, ganhou o primeiro US OPEN.
Para chegar ao US OPEN é só usar a linha 7 do metrô usando o seu MetroCard e após descer (parada Mets-Willets Point) vá para o leste. Dê uma olhada também na extremidade oposta, la vai estar o estádio dos Mets!
A poucos minutos a pé, se você não tiver feito a compra on-line, vai ver uma fila para compra de ingressos.
Que se torna bem grande durante a parte final do torneio.
O preço das entradas varia muito: ele começa a a partir de 75 dólares para o ground, com o qual você pode passear livremente em torno da área esportiva e ter acesso as quadras menores, caso você queira ver algum jogo mais importante, prepare-se para pagar alguns “mil” dólares.
Meu conselho, a menos que você seja um grande fã, é de aproveitar a possibilidade de participar desse evento, é pagando a entrada de 75 dólares, não que seja barato, mas é um valor justo para se desfrutar de um momento de relaxamento total em ambientes elegantes, grandiosos e divertidos ao mesmo tempo.






Meu passatempo favorito aqui, são os encontros inesperados em que o espírito competitivo e as apostas causam um ambiente com muita tensão (esportiva, é claro),  sendo o plano de fundo para grandes jogos.
Manhãs e tardes inesquecíveis, passadas em um ambiente descontraído entre autógrafos e sorrisos. Com as lendas do esporte, logo ali, a um passo.
Levem as crianças, especialmente para elas, tudo é uma grande festa.

Para comer, você tem várias opções, quase todas bem americanas. Um festival de hambúrgueres e cachorro-quente, servidos com uma avalanche de batatas fritas e todos os tipos de bebidas (escolha um copo grande e guarde como lembrança!).
O meu favorito, no entanto, é o Fish Shack, onde podemos desfrutar de uma salada gigante de lagosta e camarão por 21 dólares, sendo a melhor opção, especialmente se você não quiser sair da sua dieta. A salada é deliciosa!
O Neapolitan Express também é uma boa pedida, onde você pode desfrutar de uma boa pizza, "quase" autêntica.





E finalmente, podemos tomar uma boa xícara de café Lavazza, que são parceiros e patrocinadores do torneio. Os quiosques italianos de café estão espalhados por toda parte.
E não se esqueça de passar pela loja da Ralph Lauren (tem modelos incríveis de camisa polo!). É a marca oficial do torneio, os vendedores são extremamente simpáticos. Os americanos são altamente qualificados em "fazer dinheiro", mas eles também sabem como fazer você se sentir em casa.



Dez dicas de como visitar a ponte do Brooklyn May 24 2016 1 Comment

1) Normalmente as pessoas não caminham entre Manhattan a o Brooklyn, e assim deixam para trás um visual incrível, e perdem o efeito wow. Acredite, você irá se surpreender ao fazer a travessia Brooklyn  Manhattan, e ver o pôr do sol diante de você. As luzes dos arranha-céus iluminando a cidade, que se emerge como um quadro. Então, eu os aconselho a pegar o metro A ou C e parar na High Street ($ 2,75 de tarifa única), a partir daí começou o passeio. Olhe para o mapa, a rota marca cerca de 25 minutos, mas caminhando lentamente você irá gastar uns 40. Esse passeio deve ser feito com calma.

2) Como nós já dissemos, o pôr do sol é o melhor momento para a visita. Se você estiver aqui no verão, ele deve acontecer entre 8 e 9 horas. Jáem dezembro entre4 e 5 horas. Mas eu recomendo que você verifique primeiro qual será o momento exato do pôr do sol (escreva "sunset new york"  no Google, e ele vai te informar). Pode ter certeza que você vai ver um dos mais incríveis espetáculos de Nova York.

 

3) Você deverá caminhar por mais ou menos dois quilômetros, por isso, não use saltos, procure utilizar sapatos confortáveis, e lembre-se: na ponte não existem banheiros públicos.

4) Duas fotos são obrigatórias: uma com os skylines com a downtown ao fundo, e a outra com os arcos da ponte, depois de ter cruzado metade dela.

5) Cuidado para não invadir a ciclovia, caso contrário, você corre sérios riscos de ser atropelado por uma bicicleta..

6) Tente escolher um dia que não esteja ventando muito. Caso contrário, o passeio será longo! O vento é multiplicado por mil na ponte.

7) Lembre-se que atravessando a ponte você pode ver a Estátua da Liberdade ao fundo, Wall Street, a ponte de Manhattan, e a pequena ponte de Williamsburg e Verrazano, poderá ver um pouco além do Brooklyn também, Governors Island, Ellis Island, LibertyIsland, e a Freedom Tower.

8) Chegue um pouco antes do por do sol, e use pelo menos uma hora para visitar a área de Dumbo, o coração boêmio do fantástico Brooklyn. Façaum passeio até o Brooklyn Park. Neste caso, você pode usar a linha F e parar em York Street (em vez de ir para a High St, tal como sugerimos na etapa 1).

9) Não faça o passeio se você sentir que não irá conseguir atravessar a ponte andando, porque se você parar no meio do caminho, não há nenhuma maneira de tomar um ônibus para completar a travessia. Você tem que fazer tudo! Então, se você não se sentir preparado no dia, faça apenas um pedaço do caminho, não tente atravessar tudo!

10) Mas não se preocupe muito, ao longo do caminho há bancos para você descansar, relaxar e curtir esse fantástico visual!


10 Selfies que não podem faltar na sua primeira viagem a Nova York May 13 2016

1) Estátua da Liberdade

Impossível não tirar uma foto com a Estátua da Liberdade a sua volta. Entre todas as selfies, essa é a mais emblemática de sua viagem para os Estados Unidos. A foto deve ser preferencialmente tirada quando você estiver na balsa, à vista é fantástica.

2) Ponte do Brooklyn

Após a estátua da liberdade, a ponte de Brooklyn é a atração mais fotografada. Outra imagem emblemática.

 

3) Times Square

Chegamos à terceira opção de selfie. Você não pode perder a Times Square. Todos os neons, as pessoas, o movimento... O coração de Nova York! Um sonho!

4) Flatiron Building

Edifício em forma de ferro de passar roupa, um dos primeiros arranha-céus de Nova York. Impossível resistir de tirar uma foto com esse cenário de fundo.

 

5) Touro de Wall Street

Entre o sagrado e o profano, a foto com os testículos do touro construído por Arturo di Modica vale pelo menos um post no Facebook.

 

6) Central Park

Ser capaz de unir o verde e os arranha-céus em uma única fotografia é um grande desafio para todos os amantes de selfies, especialmente se você conseguir encaixar o seu rosto no meio.

7) Empire State Building (Top of the Rock rooftop)

O selfie no topo de um arranha-céu, vendo a cidade como se estivesse em um helicóptero, pode seduzir até mesmo o mais cético entre os fãs de Nova York.

 

8) Guggenheim Museum

Fantástico museu de Frank Lloyd Wright está entre os edifícios mais reconhecíveis do mundo. Difícil de resistir à tentação. 

 

9) Grand Central Station

Uma obra-prima de Nova York, com arcos celestiais. Parece mais um museu do que uma estação. Impossível resistir à tentação de uma selfie.

10) Natural History Museum

Como resistir ao fascínio que causa o esqueleto do dinossauro?


Em dúvida no que visitar no Central Park? No final do artigo veja o mapa. April 28 2016

O Central Park é inigualável no mundo, é o parque mais fotografado, o pulmão verde de Nova York. Foi desenhado pelo paisagista Grederick Law Olmster e projetado pelo arquiteto inglês Calvert Vaux, que ganhou um concurso organizado pelo governo da cidade em 1857.

Este é um pequeno guia para visitar o Central Park, ele pode ser feito em um dia, ou metade de um dia (se você for rápido). Já adiantamos que há muito mais para ver (incluindo uma estátua de Giuseppe Mazzini), mas vamos falar sobre isso em artigos futuros. Aproveite, enquanto isso, a beleza do Central Park, e acima de tudo preste atenção no mapa no final do artigo, depois, é só apreciar as estrelas desse lugar fantástico.

1) The Pond e Gapstown Bridge

Para visitar o Central Park definitivamente devemos entrar pelo lado direito, na parte sul, próximo da Apple Store e do Hotel Plaza. A primeira coisa que você vai ver será a lagoa, e ela vai te impressionar, você vai conseguir tirar fotos fantásticas com a visão dos arranha-céus de fundo. Uma variedade enorme de pássaros e tartarugas frequentemente são vistas na lagoa, e vale a pena subir na Gapstown Bridge. Construída em 1896, feita toda de pedra, da significado a ideia de fugir da capital da modernidade, para mergulhar em uma cena medieval e bucólica.

 2) Zoo del Central Park

É um pequeno jardim zoológico, muito antigo, foi aberto em 1860 (antes da unificação da Itália), e ainda esta muito presente na cultura popular de Nova York, ao ponto de ter um registro e citações em vários livros e filmes (quem não se lembra de Madagáscar? Ou do livro The Catcher in the Rye). É um passeio lindo especialmente se você vier com crianças, o custo da entrada é de 18 dólares para adultos e 13 dólares para crianças até 12 anos. Vocêpoderá ver leões marinhos, pinguins, ursos, etc. Aqui podemos ver o mapa do zoológico.

 

3) Carousel

Agora, não se negue a ir até os cavalos do Central Park, este carrossel montado aqui em 1951, é uma experiência única, especialmente se tiver acompanhado de crianças. Entre outras coisas, este carrossel é citado na obra prima de Salinger, Catcher in the Rye. Custa 3 dólares o bilhete.

4) Statua di Balto

Balto é um cachorro conhecido por sua astúcia. Ele vivia na cidade de Nome, no Alasca. Em 1925 houve uma epidemia de difteria em Nome que se alastrou entre as crianças da cidade. Por causa das nevascas, que bloquearam todos os meios de comunicação, era impossível a chegada de medicamentos. A única solução para obter os remédios seria a utilização de trenós puxados por matilhas de cães. Várias equipes percorreram os 1600 quilômetros desde Nenana até Nome. Balto fez parte da última equipe nesta corrida, e foram os que chegaram com as antitoxinas a Nome. Uma estátua de Balto foi erguida em Nova York um ano depois para homenagear todos os cães.

5) Sheep Meadow

Uma enorme pradaria, aberta de abril até outubro, onde da para fazer um piquenique com vista fantástica dos arranha-céus. Aposto que você nunca iria pensar em fazer um piquenique aqui. Mas você deve fazer, especialmente quando o tempo estiver bom. Há também uma estátua de Giuseppe Mazzini nessa área. Mas você tem que descobrir onde ela está!

6) Bethesda terrace e Bethesa Fountain

A estátua que se vê no centro da fonte é uma das mais famosas de Nova York porque ela foi projetada por Emma Stabbins, a primeira mulher escultora de Nova York a ganhar um contrato. O cenário artístico de Nova York, nessa época era muito machista. Ela foi inaugurada em 1873. Na frente você vê uma série de arcos, e uma varanda. Esse é o lugar preferido dos artistas de rua, para suas performances e concertos ao ar livre. Atravessado as colunas, existe um espaço muito sugestivo na fechada.

7) Cherry Hill

É uma bela praça com uma fonte no meio, chama a atenção por ser cercada de cerejeiras que dão um espetáculo a parte quando florescem, lembra as praças japonesas.

8) Strawberry Fields 

Talvez esta seja a principal atração do Central Park. O Strawberry Fields é dedicado à memória de John Lennon, que a poucos passos do memorial, foi assassinado em 1980, na entrada do edifício em que vivia em North Dakota. O mosaico no centro foi feito por ceramistas napolitanos, e doado à cidade de Nova York. Essa é a imagem que não pode faltar no álbum de todos os nova-iorquinos.

9) The Lake

O lugar mais romântico por excelência do Central Park. The Lake (o lago) oferece como fundo a visão clássica das duas torres do edifício San Remo. Por US $ 12 por hora, mais 3 dólares adicionais para cada 15 minutos a mais, você pode experimentar remar em um pequeno barco nas águas calmas do lago. Há também a oportunidade de fazer um passeio em uma gôndola com um gondolista, Andres Garcia.

10) Ladies Pavillion

É o ponto que oferece a melhor vista do lago. É um lugar que está sempre cheio de casais, e uma boa parada para descasar antes de continuar a caminhada. Muitos estão pedindo permissão para celebrar seus casamentos neste local. O estilo vitoriano é encantador,ele foi construído originalmente em 1871, mas já foi restaurado várias vezes.

 

11) Bow Bridge

Diz à lenda que nenhuma mulher diz não, se você a propor em casamento na Bow Bridge, conhecida como a ponte dos amantes, no meio do lago. Novamente temos a visão usual do edifício de San Remo. Essa ponte foi concluída em 1862, e é a 'ponte mais longa do parque, com os seus 26 metros e meio de comprimento.

12) Alice nel paese delle meraviglie

Desculpe-me, mas se você tem filhos, você não deixar de trazê-los aqui! A estátua foi colocada aqui em 1959, projetado especialmente para as crianças, e foi uma doação do filantropo George Delacorte. Não é a estatua de um livro qualquer, é de Alice no País das Maravilhas um dos livros infantis mais famosos de todos os tempos. Você não pode perde.

 

13) Shakespeare Garden

É um pequeno jardim, onde encontramos plantas e flores, mencionadas nas obras do grande dramaturgo Inglês, ao qual o jardim leva o nome. Lembre-se que no verão um palco é colocado nesse local, e as obras de Shakespeare são apresentadas no Delacorte Theater, que fica a uma curta caminhada desse jardim. Os ingressos são gratuitos, mas acabam rapidamente, você tem que procurar diariamente para conseguir um, eles são sorteados no mesmo dia em que a peça e apresentada.

 

14) Belvedere Castle e Turtle Pond

Um sonho, um conto de fadas. De que outra forma você definiria este castelo? Dessa incrível obra vitoriana da para se observar Manhattan de longe, foi construído em 1865 por Calvert Vauxe Jacob Wrey. O nome italiano, "belvedere", é usado para indicar que a vista daqui é linda. O castelo também é uma estação meteorológica, mas acima de tudo é um ótimo lugar para se visitar. Em torno do lago podemos ver várias espécies de tartarugas, outro lugar mágico e encantado: TurtlePond.

 15) Great Lawn

Embora seja bem ao norte e muitos tenham dificuldades para chegar lá, especialmente se você começou seu passeio pelo sul do parque, este é o “maior gramado do Central Park”, aqui cabem pelo menos 8 campos de softball. Ideal para uma refeição ao ar livre.

 16) Onassis Reservoir 

Um grande e reservatório de água, agora abandonado, que ocupa uma área enorme do parque. Tem uma vista fantástica, do Central Park, e a profundida de um prédio de 7 andares. Possui uma famosa pista de corrida de dois quilômetros e meio ao longo de suas margens. Era frequentada por Jacqueline Kennedy que fazia os seus exercícios da manhã aqui.

17) Huddlestone Arch

Um arco de pedra, em que os blocos são mantidos pressionados em conjunto um a um, de forma suspensa. Uma pequena joia construída em 1866 que pode ser apreciada se você caminhar mais para a parte norte do parque.