Aventuras Culinárias em Nova York (Primeira Parte) July 06 2016

Por: Mariagrazia De Luca

deluca.marymary@gmail.com

A descoberta de novas experiências gastronómicas, estranhas, originais e únicas aqui na Big Apple. Esse será o meu objetivo, neste dia ensolarado de julho. Meu transporte será uma bicicleta, o que vai me permite transitar através das ruas de Manhattan, usando as várias ciclovias que os amantes de bicicleta dispõem nessa cidade. Tenho em minhas mãos uma lista de restaurantes que vou visitar e por experiência própria ela não vai ser encontrada em outro lugar, são restaurantes excêntricos, que têm características únicas e que podem ser encontrados somente aqui na cidade de Nova York. A lista é longa, e este artigo é apenas o primeiro episódio...

Queridos leitores do Minha Viagem a Nova York, por que não discutir e propor outros locais que podem ser protagonistas das minhas próximas viagens de exploração culinária?

 

Takumi Taco

Onde: Chelsea Market, 79 9th street.

Outras sedes: 601 west 26th street; 230 Park Avenue; flea markets (Smorgasburg and Brooklyn Flea).

Takumi Taco é um restaurante japonês-mexicano. É incrível pensar como duas culturas tão distantes podem ser combinadas de uma maneira tão boa para o seu paladar! É uma 'mistura' típica de culturas nova-iorquinas com resultados surpreendentes. Para começar eu provei o Sakè Sangría, feito com frutas picadas em pedaços pequenos e imersos em licor japonês em vez de vinho. Fresco, refrescante, doce sem ser enjoativo. A bebida perfeita para estes dias quentes do final de junho. Tome cuidado, sem perceber você pode acabar cantando sozinho no restaurante, é difícil perceber, mas o teor alcoólico é muito alto! Na escolha de cervejas japonesas e mexicanas, não pode faltar a Negra Modelo e a Sapporo. Kampà! Salud! Cheers!

O Takumi Taco nasceu como um street-food, com quiosques de rua nos mercados de pulgas Smorgasburg e Brooklyn Flea. Essa sede fixa do Takumi Taco dá a ideia de um restaurante on-the-go, onde se compra mais pra viagem do que para comer no local. Quando recebi a sangría em uma jara de plástico perguntei "Posso tomar na rua?" pensando sobre a lei que proíbe o consumo de bebidas alcoólicas fora dos restaurantes, o empregado do local fez... "Shhhhh...", e sorriu para mim, mostrando que seria meu cúmplice nessa.

O símbolo da “culinary fusion” aqui é certamente o Spicy Tuna Tacos (5,75 dólares), foi aqui que México e Japão parecem ter encontrado o casamento perfeito: Sashimi de atum com brócolis, abacate, pepino, sementes de gergelim, rabanete, maionese picante, acompanhado por "gyoza" crisp.

 

Bar Suzette

Onde: Chelsea Market, 425 west 15th street

Esta pequena creperia, que se parece com um quiosque composto por um longo bar cercado por inúmeros frascos de Nutella, está localizado a direita do Takumi Taco, o descobrimos por acaso, e eu tive que colocar em discussão todo o meu conhecimento sobre crepes. Ok, crepe com nutella, chocolate e banana, manteiga e açúcar, e também com presunto e queijo. Mas os crepes do Bar Suzette vão além da imaginação de vocês... No menu há uma grande variedade de “Savory Crepes”, em comparação com os “Sweet Crepes”.

O cozinheiro da creperia se move de forma incrível, preparando os crepes com muito cuidado pratos muito quentes como um DJ mesclando a sua música. O crepe Huevo Ranchero (US $ 12) é um prato verdadeiramente autentico: Mozarela, ovos orgânicos, abacate, feijão preto e molho picante. Eu não provei o Saigon Chicken (US $ 12), mas me pareceu excelente, um crepe com frango defumado do valle Hudson, molho Hoisin, molho de pimenta, ervas frescas, salada com legumes frescos e limão.

 

MAX BRENNER

Onde: 341 Broadway

No famoso restaurante e bar de chocolate Max Brenner eu tive a experiência de comer a pizza mais achocolatada da minha vida. Para mim pareceu um waffles cobertos com frutas e sorvete de baunilha ou um chocolate quente feito com chocolate que é produzido no próprio restaurante... A pizza de chocolate do Max Brenner é unanimidade quando se fala de chocolate na cidade de Nova York. Basta imaginar uma pizza redonda, aproximadamente do tamanho que estamos acostumados, mas um pouco mais alta coberta com raspas de chocolate branco e leite. Esta é a base, em seguida, você deve personalizar, entre as várias opções (topping): Avelã, manteiga de amendoim e marshmallows torado... Um pedaço de pizza custa (6,50 dólares) e pode ser o suficiente para acalmar até um dependente de chocolate. Se você for com um grupo de amigos, certamente é mais conveniente comprar toda a pizza (17,95 dólares).

E para beber? Nem pense duas vezes, o Chocolate Martini, que faz parte dos cocktails “Choco Classic” do Max Brenner, é o acompanhamento perfeito para a pizza de chocolate.

 

S’MAC, Sarita’s Macaroni & Cheese

Onde: 245 East 12 Street

Antes de entrar no restaurante S'MAC, eu não achei que poderia haver uma variedade tão grande de Mac&Cheese. No menu S'MAC, que é um pequeno restaurante com design espartano que foi inaugurado a uma década de anos por um jovem casal, Sarita e Caesa Ekya. Existem mais de 10 tipos de Mac&Cheese, ao lado do clássico “All-American” preparado com queijo Cheddar. Minha atenção ficou voltada para o Napoletana Mac&Chesse, explicitamente inspirado na pizza napolitana, que tem como ingredientes: mozzarella fresca, tomates assados, alho e manjericão. No site há um vídeo explicando como preparar o Napoletana Mac&Cheese em casa.

Perguntei ao funcionário qual foi a mais original, tendo em vista que cada uma dessas variantes do Mac&Cheese foi uma novidade para mim. "Certamente o cubano" e me mostra uma folha exposta no balcão com todos os ingredientes desta invenção de S'MAC. "Nós transformamos o sanduíche cubano em um Mac!" O funcionário me disse com orgulho. "Os ingredientes? queijo suíço, porco marinado em casa, presunto cozido, picles, hortelã fresca e... uma explosão de sabor!"

Se você estiver na cidade com seu pai no Dia dos Pais (Father’s Day) (19 de Junho), leve-o para o S'MAC: Para ele, o Mac&Cheese será grátis.

 

THE BLACK ANT

Onde: 60 2nd Avenue

Sento-me no restaurante The Black Ant, um dos mais renomados restaurantes de cozinha mexicana de Nova York. Gregory, um jovem mexicano-americano, barman do lugar, me conta como é feito o sal de formigas pretas black ant salt, enquanto se move habilmente entre os  shaker, e garrafas de tequila preparando cocktails elegantes e provocativos . "Prove" ele me diz me entregando uma pequena tigela "Sal de formigas prestas, obviamente é feito com sal, mas também com o açúcar de cana, açúcar regular, chili e formigas pretas tostadas!" Eu observo o sal com um pouco de receio, estico a mão e levo até a boca... Depois de alguns segundos exclamo: "Uau, que sabor!" E imediatamente pedi uma Margarita com sal de formiga preta.

Eu explico para Gregory que eu não estou com muita fome, mas queria provar algo típico. Quando eu confesso que nunca tinha comido insetos, ele sorri para mim, incrédulo. Fiquei em dúvida entre dois pratos do Black Ant, a Guacamole (abacate, tomate, coentro e sal de formiga preta) e o Croquete de Chapulín (US $ 13), preparado com grilos, mandioca, queijo manchego, alho e pimentão, optei pela segunda opção.

Qual é a diferença entre comer porco e grilos tostados? Uma amiga me disse, ironicamente, um dia em estávamos falando de comida mexicana, "Para se saciar com grilos você deve comer uma quantidade incrível, no entanto, com o porco, só é preciso comer um." Não há como negar que isso é uma questão de hábitos culturais, a ideia de comer grilos fritos eu confesso que me aterrorizava!

A apresentação do prato estava impecável. Quatro croquetes de grilo em forma esférica perfeita, repousando sobre a guacamole e um bom grilo tostado descansando sobre uma camada de maionese. Mario, um amigo mexicano que me levou até o The Black Ant, pediu um prato de gafanhotos fritos temperados com sal, limão e pimenta seca. "Isso me faz lembrar o meu país."

Tenho que contar aos leitores do Minha Viagem a Nova York sobre essa experiência em Nova York. Passei meu Chapulin (croquete de grilo) na maionese... Um dois e três... Comi tudo em uma mordida só! Eu acho que não mastiguei muito, mas eu senti como se tivesse comendo pipoca, com um sabor intenso e agradável que foi único no meu paladar.

Hoje, neste restaurante mexicano aqui de Nova York, posso afirmar que dei um passo à frente para quebrar minhas barreiras culinárias...