Os Segredos do Washington Square Park September 29 2016

1) Um antigo cemitério

Agora essa área é linda, mas há algum tempo atrás, este parque era um simples cemitério, estima-se que mais de 20 mil cadáveres (ou melhor, os seus ossos) estão escondidos nesse subsolo. Estamos nos referindo ao período de 1797-1825, foram enterrados ali indigentes ou pessoas desconhecidas, e durante as grandes epidemias de febre amarela, o movimento aqui dobrou. 

2) A árvore dos enforcados

No parque esta localizada a árvore do enforcado, Hangman’s Elm. Embora os historiadores concordem e argumente que estas execuções são um mito, no sentido de que nenhuma pessoa foi enforcada na árvore, essa lenda ainda está presente nas histórias que os nova-iorquinos contam. De acordo com especialistas, essa é a árvore mais antiga em Nova York, com mais de 300 anos. Vale a pena conferir. Ele tem uma placa, fica fácil de você reconhecê-la

3) La statua di Garibaldi

Datada em 1888, a estátua foi construída alguns anos após a morte de Garibaldi, pelo escultor Giovanni Turini, que também esculpiu a estátua de Giuseppe Mazzini localizada no Central Park. Nada excepcional, a estátua passa até despercebida, mas existe e é uma fonte de orgulho para aqueles com raízes italianas.

4) O arco de George Wasghinton

Foi inaugurado em 1892 para comemorar o centenário do início da presidência de George Washington. Ele tem mais de 23 metros de altura e é uma imitação do Arco do Triunfo de Paris. Na década de 80 foi restaurado depois de ser preenchido com grafites, como se vê claramente na última foto deste artigo..

5) Fonte centra

Ela não possui nenhum valor artístico particular, foi construída em 1960, no verão os estudantes da NYU, assistem concertos ao ar livre, e colocam seus pés na água para se refrescar na fonte.

6) Por algum tempo aqui passavam-se carros

Olha como essa região era feia na década de 50, em seguida, graças ao ativismo de alguns moradores e, especialmente, graças ao urbanista Jane Jacobs, foi possível que este parque se tornasse uma zona de pedestres em agosto de 1959, derrotando o grande planejador Robert Moses queria a destruir e estender a Fifth Avenue. 

6) Casas "estilo grego"

No lado norte do parque você vai encontrar estas casas no “estilo grego” (estão vendo as colunas?). Elas por si só, seriam uma atração histórica e valiosa. Especialmente por elas serem de 1800. Porém, além disso, aqui vive um grande artista americano, Edward Hopper. E no número 11 foi gravado o filme I Am Legend (Eu sou a Lenda) , com Will Smith (foto abaixo)..

7) A República da Utopia Duchamp

Em 23 de janeiro de 1917 Marcel Duchamp e seus amigos foram dentro do arco, utilizado as escadas e chegaram ao seu topo (tecnicamente você pode escalar o arco e há um terraço no topo), e aqui foi declarada república independente de Washington Square, chamado de a "Nova Bohemia", lanternas japonesas foram usadas para iluminar e foram liberados vários balões. Porém isso tudo durou muito pouco, e nenhuma documentação fotográfica foi feita. Temos apenas essa imagem.

8) Edifício Brown e o trágico incêndio

Entre as mais tristes tragédias de Nova York está o incêndio de 25 de Março de 1911, em que 123 agentes e 23 homens morreram. Foi a maior tragédia da indústria de Nova York e é um dos eventos lembrados no Dia da Mulher. O Edifício Brown ainda está lá, agora pertence à Universidade de Nova York. A tragédia aconteceu nos pisos superiores, que foram reestruturados. Há placas comemorativas. Os visitantes geralmente deixam flores após a visita.

9) A porta secreta do arco

Poucos a conhecem, mas há uma porta secreta para o terraço que fica localizado no topo do arco. Em algumas ocasiões especiais alguns visitantes são autorizados a usa-la.

E esta é à vista do terraço secreto!

10) Nos anos 70 e 80 era melhor nem ir

Todos os parques de Nova York foram recuperados nos últimos 25 anos, mas nos anos 70 e 80 eram lugares frequentados e dominados pela criminalidade e drogas. Eu não vou negar que têm o seu encanto metropolitano e desesperado, mas mal se podia colocar o pé lá. Eu procurei algumas imagens que poderiam expressar esse desespero metropolitano e encontrei esta aqui. Aqui está um artigo do New York Times sobre o crime foi combatido aqui, nesses anos.